sexta-feira, novembro 25, 2005

S/ COMENTÁRIOS
“Seja bem-vindo à ADM: só má sorte e consciência pesada!”... A frase de Allan Sieber me lembrava aquela inscrição que se lê na porta do inferno em “A Divina Comédia”: “aquele que por aqui passar, deixai pra trás toda a esperança”. Na verdade, na porta do inferninho que a gente estava entrando tinha escrito apenas “Pantera´s”, um bar de strip-tease que já foi uma casa de show chamada “Little Hell”. O mundo dá voltas.
Ano passado, quando eu tava na merda – havia sido despedido e não passava por uma boa fase c/ as mulheres – me joguei pro RJ e quem me deu uma força foi o Allan, cineasta tosco e cartunista quase famoso, velho chapa dos tempos de zines. Na época, ele havia acabado de lançar o “Preto no Branco”, seu 1º livro, mas também não tava muito legal – inchado de tanto beber e fumando 2 maços de cigarro por dia. A princípio eu iria colorir parte do“Santa de Casa”, o novo projeto de animação da sua produtora de vídeo, a Toscographics. Mas a maldição ADM bateu forte, e durante minha estada só rolou merda: o computador que eu ia trampar quebrou, o apartamento foi arrombado por ladrões, e nós passávamos fome direto, apesar de nunca faltar cerveja na geladeira – que ficava na sala... Daí eu voltei p/ casa e o Allan foi despejado.
Este ano as coisas estão melhores, pra mim e pra ele. Eu tô c/ um novo emprego e uma namorada firme. Ele ganhou o prêmio HQ Mix de melhor álbum de humor nacional por “Preto no Branco” e lançou mais 2 livros: “Vida de Estagiário”, pela Conrad, e “Sem Comentários”, pela Casa 21; está c/ uma revista de humor nas bancas, a “F.”, feita em parceria c/ os cartunistas Leonardo e Arnaldo Branco; o “Santa de Casa” finalmente ficou pronto e deverá ser lançado em breve e o longa “Sou Feia Mas Tô na Moda”, de sua ex-esposa e sócia na Tosco, Denise Garcia, está bombando por onde passa. E ainda tem o documentário “Pereio Eu Te Odeio”, que está em andamento...
O Grande Bastardo esteve aqui na cidade no último final-de-semana p/ um workshop de animação patrocinado pela Casa Curta-SE, espaço de cinema da incansável Rosângela. Fez uma présa me descolando uma cópia do seu mais novo livro. “Sem Comentários” é a transposição p/ o papel do blog que o Allan mantém há 3 anos e é um sucesso de público na internet. Com formato de calendário e recheio colorido, mistura quadrinhos, charges, ilustrações e textos autobiográficos do autor, uma espécie de Bukowski e Sid Vicious juntos numa pessoa só.
C/ vcs, alguns dos melhores (ou piores, dependendo do ponto de vista) momentos de Allan “Sem Comentários” Sieber:

“Sempre tive medo de ser preso e me fuder porque não fiz faculdade e nãotenho direito a cela especial. Esse é o único motivo pelo qual me submeteria a anos de estudo.” (05/05/03)

“Hoje em dia parece que todo mundo já nasceu com um celular enfiado no raboe NÃO existe outra forma de se comunicar.” (25/05/03)

“Voltei da minha Misery Tour pela Europa. Fui com 10 reais e voltei com 20euros. Me dei bem, afinal isso quer dizer um lucro de mais ou menos 60reais.” (23/12/03)

“Tenho dificuldade em me concentrar. Converso com as pessoas mas não ouço oque elas dizem. Leio um livro e ao chegar na metade preciso voltar para ocomeço porque esqueci quem é quem na história.” (09/08/04)

“Estou tão na merda, mas tão na merda, que o João Moreira Salles estápensando em fazer um documentário sobre minha vida. (...) E esses diasestava comendo uma coxinha e vi que tinha um tiozinho tirando fotos de mim.Olhei pra trás e era o Sebastião Salgado.” (07/12/04)

trilha sonora indicada: “I don´t know what to do with myself” - the White Stripes

Nenhum comentário: