terça-feira, novembro 29, 2005

SEARCH & DESTROY
Show dos Stooges no Brasil! Essa foi p/ pagar meus pecados... A minha banda favorita de todos os tempos vem tocar no meu país e eu não consegui ir. Além de morar bem longe das cidades onde Iggy e sua banda se apresentaram (RJ e SP), os ingressos custavam entre R$ 100 e 120,00. O show dos Stooges no Brasil entra p/ minha longa lista dos que eu perdi: Beastie Boys, Sonic Youth, Pixies, Mudhoney, Manu Chao, MC5...
Não há nada mais a ser dito sobre Iggy Pop: o cara é uma lenda viva porque se recusou a morrer. Já foi chamado de “a mais exageradamente audestrutiva criatura do showbusiness”, por seu estilo selvagem de viver e se apresentar nos palcos: Iggy foi o primeiro roqueiro a pular de um palco em pleno show, em 1968 – estava inventado o stage diving; Usou tanta heroína que as paredes de sua casa eram manchadas de sangue; Comeu todas as hippies de Detroit nos anos 60 e todas as punks de Nova Iorque nos 70; Rolava em cima de cacos de vidro, abaixava as calças, chamava o público pro pau...
Junto c/ os irmãos Ron (guitarra) e Scott (bateria) Ashton, e do baixista Dave Alexander (morto em 1975), formou os Stooges (“patetas” em inglês) e inventou um jeito mais cru e selvagem de tocar música, praticamente criando o PUNK – as primeiras bandas do gênero, tipo Ramones, tinham os Stooges como modelo principal. Lançaram 3 álbuns que são clássicos da fudição: “The Stooges” em 1969, “Funhouse” em 70, e “Raw Power” em 73. A banda acabou, na época, como um fracasso de público e crítica. 30 anos depois, voltaram a se reunir. Nesse meio tempo, porém, Iggy manteve uma carreira solo bem estável, e é praticamente em cima da fama dele que a banda voltou. No baixo, Mike Watt, ex-Minutemen.
Aos 58 anos, Iggy explica o motivo da reunião após 3 décadas de separação: "Não posso responder pelos outros, mas p/ nós levou esse tempo porque eu não tinha confiança de que seria tão bom quanto está sendo. Foi um choque quando a banda se separou [em janeiro de 1974, após um show que acabou em confusão generalizada, com Iggy brigando com uma gangue de motoqueiros]. Minha música chegou a um ponto em que não sabia o que fazer. Aí chamei os caras novamente. Não foi nada planejado. Eles vieram para tocar em apenas uma música. Aí eu disse: ´Que tal mais uma?´. Depois: ´Que tal mais quatro?´. Foi assim."
Dizem que o rock morreu e esqueceram de enterrar. Iggy Pop & the Stooges são a prova viva de que vaso ruim não quebra fácil. No Brasil, tocaram “Dirt”, “1969”, “Fun House”, “Real Cool Time”, “Not Right”, “No Fun” e “I Wanna Be Your Dog”, uma lista que me dá vontade de chorar de tão foda. Quando eu ficar velho quero ser que nem o Iggy.

Nenhum comentário: