sábado, dezembro 30, 2006

FOI POR MEDO DE AVIÃO
Santos Dumont inventou o avião & o relógio de pulso. Grande invenção, o relógio de pulso. A ironia é que ele só chegou a esse formato porque precisava de uma forma mais prática de monitoramento do tempo durante seus vôos. Mineiro de nascimento, era herdeiro de uma família de barões do café de Ribeirão Preto (SP), e pôde estudar mecânica e ciência em Paris. A propósito, Alberto Santos Dumont assinava apenas seus sobrenomes porque se orgulhava de sua origem luso-francesa. Um dândi.
Apesar dos americanos forçarem a barra c/ aqueles
Irmãos Wright - que foram catapultados em seu pseudoavião em 1903 - todos nós brasileiros sabemos que o cara que começou essa história de verdade foi nosso amigo S.D., c/ o 14 Bis, 1º modelo voador a decolar impulsionado por seu próprio motor. Ao sobrevoar a Torre Eiffel, Dumont "foi o primeiro a cumprir um circuito pré-estabelecido sob testemunho oficial de especialistas, jornalistas e da população parisiense" (Wikipedia). Esse vôo lhe rendeu um prêmio milionário & moral c/ a comunidade científica de todos os tempos. Santos Dumont, que antes já havia desenvolvido os balões dirigíveis (zepelins), continuou inventando moda nos anos seguintes, inventando tb. o 1º modelo c/ a estrutura standard dos aviões atuais - o Demoiselle. "Ao contrário de outros aeronautas da época, deixava suas pesquisas como domínio público e sem registrar patentes" (Wikipedia). Um visionário idealista.
Foi recebido c/ festa no Rio de Janeiro em 1928. Em 1930, foi condecorado c/ o título de Grande Oficial da Legião de Honra pelo Aeroclube da França. No ano seguinte, mal de saúde, passou uma temporada internado em hospitais no sul da França, e de volta ao Brasil, foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras.
Em 1932, estoura a Revolução Constitucionalista, um levante do Estado de São Paulo contra o Presidente Getúlio Vargas. Aviões enviados pelo Governo Federal atacaram o Campo de Marte, em São Paulo, no dia 23 de julho daquele ano. Santos Dumont pôde vê-los ao sobrevoarem o Guarujá, e sentindo-se culpado pelo uso bélico de seu invento, nosso amigo se recolheu ao seu quarto no Grand Hotel de La Plage, onde fixara residência, e suicidou-se usando a própria gravata como forca.
Este ano, 2006, comemorou-se o centenário do vôo do 14 Bis. Muito se falou em Santos Dumont, e o Brasil até pagou alguns milhões à Nasa p/ mandar o 1º cosmonauta brazuca plantar feijão no espaço. Uau... Em outubro, o choque entre dois aviões no espaço aéreo brasileiro matou 157 pessoas & deflagrou a mais cabulosa crise na aviação mundial que eu já tive notícia. Em 31 anos de vida, eu nunca ouvi falar de um colapso no sistema aeronáutico de um país como o que vem ocorrendo no Brasil há três meses - caos operacional, vôos cancelados, passageiros estressados passando noites nos aeroportos à espera de um vôo... O ministro da Defesa, Waldir Pires, tem feito juz ao cargo, ficando na defensiva toda vez que tem que se defrontar c/ a imprensa. No feriado do Natal, aviões da Força Aérea Brasileira precisaram ser mobilizados. "É inconcebível que tenha ocorrido isso e espero que não se repita", disse Pires na ocasião. Ele jogou a culpa na companhia TAM, que teria praticado overbooking (venda de passagens acima da capacidade da empresa de prover o serviço). É uma jogada p/ transferir a culpa do Estado p/ a esfera privada. Mas os próprios controladores de tráfego afirmam publicamente que a crise na aviação civil foi provocada por má gestão da manutenção do sistema aéreo.O Governo Federal publicou um decreto proibindo qualquer cancelamento de vôos durante este feriado de ano-novo, válido até o dia 02/01/07. Mas ontem, 29/12, só ontem, 31 VÔOS FORAM CANCELADOS. O apático Waldir Pires já jogou p/ cima: "Estamos fazendo a nossa parte, mas também pedimos a Deus que nos ajude". Ainda bem que sou pobre & não tenho dinheiro pra viajar de avião. Se bem que isso tb. não ajuda muito. Se eu quisesse ir pro Rio de Janeiro de ônibus, por exemplo, estaria me arriscando a morrer queimado em algum atentado terrorista de alguma facção criminosa carioca, como aqueles turistas que viajavam do Espírito Santo p/ São Paulo e foram incendiados juntos c/ um ônibus da Itapemirim quando passavam pela Avenida Brasil na última quarta-feira. Foi apenas o estopim p/ uma nova onda de violência, c/ vários ataques-surpresa a policiais, e muitas vítimas inocentes no meio do caminho, como a vendedora ambulante (camelô) que foi metralhada no bairro de Botafogo por estar na linha de tiro, entre os bandidos e o alvo - uma cabine da polícia. Segundo minhas fontes, a ordem p/ os ataques saiu de dentro do presídio de Bangu, igual às ações do PCC em São Paulo.
100 anos depois do vôo revolucionário do 14 Bis, o que mais evoluiu no Brasil foi a bandidagem. Se Santos Dumont estivesse vivo p/ ver sua invenção se chocar contra as Torres Gêmeas no 11 de setembro, o acidente c/ o vôo da Gol na Amazônia e a crise na aviação nacional, não me resta dúvida - ele se mataria de novo.

terça-feira, dezembro 26, 2006

NITROGLICERINA PURA

James Joseph Brown (Geórgia, EUA, em 3 de maio de 1933 - 25 de dezembro de 2006)

O que fazer quando vc. tá de ressaca & fica sabendo que morreu (mais) um dos seus heróis? JAMES BROWN, o cara que inventou o funk, disseminou o orgulho negro & que perdeu e recuperou tudo o que tinha - por 3X! Um gênio, como poucos que já existiram. O homem, o mito, o cara que inventou um estilo & levou a luz às almas perdidas - ou vc. nunca assistiu "Os Irmãos Cara-de-Pau"? Havia muito a ser dito sobre o "Padrinho do Soul", mas como eu disse, tô de ressaca & sem gás p/ escrever. Vai aí uma série de links p/ sites onde vcs. podem encontrar quase tudo sobre Mr.Dynamite. "I feel good/ I know that I wouldn't..."Biografia & links:http://pt.wikipedia.org/wiki/James_Brown
http://en.wikipedia.org/wiki/James_Brown

Notícias(?):
http://territorio.terra.com.br/canais/canalpop/az/artista.asp?artistaID=James+Brown

Sites "oficiais":
http://www.godfatherofsoul.com/
http://www.funky-stuff.com/
http://www.funky-stuff.com/jamesbrown/

Letras & MP3:
http://james-brown.letras.terra.com.br/
http://www.ez-tracks.com/showArtists-Artist-James%20Brown.html

"Mr. Dynamite", "The Godfather of Soul", o cara que inventou o funk & mudou o mundo

sexta-feira, dezembro 15, 2006

MORTE AOS PARASITAS
Mas esse Brasil é uma bosta mesmo. Enquanto o Ministro do Trabalho e Emprego (?!!), Luiz Marinho, diz que o reajuste do salário mínimo de R$ 350,00 p/ 420,00 é IMPOSSÍVEL, uma comissão de parlamentares do Senado e da Câmara Federal aprovou o reajuste de seus ganhos mensais de R$ 12.800,00 p/ R$ 24.500,00! Como se não bastasse, eles ainda têm direito a auxílios p/ moradia, transporte, gabinete etc. Segue abaixo a lista dos 26 canalhas que votaram a favor de se locupletar às custas do povo - mais uma vez - c/ seus respectivos e-mails. Mande seu recado. Como dizia o punk Dadá Figueiredo nos anos 80, MORTE AOS PARASITAS:
Aldo Rebelo (PC do B-SP):dep.aldorebelo@camara.gov.br Renan Calheiros (PMDB-AL):renan.calheiros@senador.gov.br Ciro Nogueira (PP-PI):dep.cironogueira@camara.gov.br Jorge Alberto (PMDB-SE):dep.jorgealberto@camara.gov.br Luciano Castro (PL-RR):dep.lucianocastro@camara.gov.br José Múcio (PTB-PE):dep.josemuciomonteiro@camara.gov.br Wilson Santiago (PMDB-PB):dep.wilsonsantiago@camara.gov.br Miro Teixeira (PDT-RJ):dep.miroteixeira@camara.gov.br Sandra Rosado (PSB-RN):dep.sandrarosado@camara.gov.br Colbert Martins (PPS-BA):colbertmartins@camara.gov.br Bismarck Maia (PSDB-CE):dep.bismarckmaia@camara.gov.br Rodrigo Maia (PFL-RJ):dep.rodrigomaia@camara.gov.br José Carlos Aleluia (PFL-BA):dep.josecarlosaleluia@camara.gov.br Sandro Mabel (PL-GO):dep.sandromabel@camara.gov.br Givaldo Carimbão (PSB-AL):dep.givaldocarimbao@camara.gov.br Arlindo Chinaglia (PT-SP):dep.arlindochinaglia@camara.gov.br Inácio Arruda (PC do B-CE):dep.inacioarruda@camara.gov.br Carlos Willian (PTC-MG):dep.carloswillian@camara.gov.br Mário Heringer (PDT-MG):dep.marioheringer@camara.gov.br Inocêncio Oliveira (PL-PE):dep.inocenciooliveira@camara.gov.br Demóstenes Torres (PFL-GO):demostenes.torres@senador.gov.br Efraim Moraes (PFL-PB):efraim.morais@senador.gov.br Tião Viana (PT-AC):mtiao.viana@senador.gov.br Ney Suassuna (PMDB-PB):neysuassun@senador.gov.br Benedito de Lira (PL-AL):dep.beneditodelira@camara.gov.br Ideli Salvatti (PT-SC):ideli.salvatti@senadora.gov.br
ilustrações: (1) Adão Iturrusgarai e (2) Allan Sieber

quarta-feira, dezembro 13, 2006

NÃO É A MAMÃE
1) Bush segura garoto em visita à Alemanha (13/7)
A agência de notícias Reuters, uma das maiores do mundo, divulgou as melhores fotos produzidas por seu cast este ano, c/ o título "Imagens do Mundo 2006". Reproduzo aqui as 10+ na minha opinião. A imagem campeã só podia ser essa do Bush, aí em cima. Eleito num processo duvidoso no ano 2000, Bush vem se destacando como um dos piores presidentes dos EUA em todos os tempos. Deflagrou uma guerra no Iraque que só resultou em prejuízo político e ódio declarado dos países orientais, jogou a economia da maior potência do mundo no esgoto, recusa-se a assinar o Protocolo de Kyoto, e já foi zoado até por Hugo Chaves, que o chamou de "diablo" em plena ONU. Dono de um índice de rejeição sem precedentes desde a era Nixon, vem tentando mudar sua imagem, posando de estadista na Casa Branca e carregando criancinhas no colo igual candidato em época de eleição no Brasil. A foto acima lembra aquela do Michael Jackson pendurando seu filho na sacada de um prédio. O nenê era novo demais pra entender a cena, mas esse moleque aí já tava bem grandinho pra abrir o berreiro. Bush ou Michael Jackson? Não sei qual é o mais assustador.
2) Garoto ferido em ataque aéreo de Israel a Gaza (7/6)
3) Libanesa é levada dos escombros de sua casa, em Bent Jbail (31/7)
4) Amigos de vítimas de atentado a bomba em Bagdá (16/8)
5) A cabeçada de Zidane em Materazzi na final da Copa (9/7)

6) Estudante dispara morteiro caseiro em protesto conttra tarifas de ônibus, em Manágua (6/6)

7) Turista fotografa estátua de Lênin na Bulgária, que, junto com a Romênia, deve se integrar à União Européia



8) Rato "navega" em sapo em enchente na Índia (30/6)



9) Ellen Johnson-Sirleaf, da Libéria, a primeira mulher a se eleger presidente na África



10) O vulcão Mayon em erupção (19/8)
Faltam os fatos que marcaram o ano aqui no Brasil, como os atentados do PCC em São Paulo, o quebra na Câmara Federal em Brasília, a queda do avião da Gol na Amazônia, o exército fechando a Petobras na Bolívia, etc. Se eu tiver tempo, faço uma nova lista personalizada, antes da contagem regressiva p/ o ano-novo. Tipo uma bomba-relógio: dez... nove... oito...
@dolfo s@´ - Viva La Brasa

terça-feira, dezembro 12, 2006

JAMYS VIVE
Dick & Jamys num retiro espiritual regado a álcool e muito "verde"
"Caros e caras, uma notícia apressada lançada por alguém aqui de São Luis, levantou a suposta morte de um cara que AINDA LUTA PELA VIDA!! Seu estado de saúde ainda é muito grave mas é isso mesmo: JOACY JAMYS VIVE!! Acabei de chegar do hospital que o cara tá internado. A precipitação desta notícia ocorreu no dia 05 deste mês, quando um dos médicos de plantão da UTI em que JJ se encontra afirmou a sua família que havia SUSPEITA de morte cerebral. Porém isso ainda não foi declarado de forma oficial - até por que o exame que detecta a existência, ou não, de atividade cerebral ainda não foi realizado devido as atuais condições clínicas. Porém, a suspeita de morte cerebral se transformou rápida e equivocadamente em fato consumado e muitos (inclusive aqui em São luis) acham que nosso combativo companheiro já tenha falecido. Jamys, como sempre, RESISTE!! Muitos amigos do cara estão acompanhando diariamente junto a sua família, a luta contra este que é maior desafio de sua vida: manter viva a luta pela qual sempre berrou, rascunhou, esperneou, se fudeu... Enfim, dedicou todo o seu tempo desde que nos conhecemos - meados da década de 80. Peço ao editor desta página que destaque isso com urgência. O que foi escrito a respeito de JJ foi legal e que isto sirva para que possamos reconhecer a sua importância e torçamos pela sua recuperação.
Saudações, Carlos Pança"
carlospereirasl@yahoo.com.br

segunda-feira, dezembro 11, 2006

A MORTE DO DEMÔNIO
Finalmente uma boa notícia. Morreu ontem o general Augusto Pinochet, famoso ex-ditador chileno conhecido pelos inúmeros assassinatos que comandou à frente do Estado, pelas violações aos direitos humanos e pela corrupção que o tornou milionário. Chegou ao poder através de um golpe militar em 1973. Durante 17 anos, governou o Chile c/ mão-de-ferro, tortutando e matando inimigos políticos. Alguns economistas estão dizendo que seu governo ditatorial fortaleceu a economia chilena, mas isso é caô. Foi por causa das altas taxas de desemprego e do déficit na balança comercial do Chile nos anos 80 que ele foi obrigado a entregar os pontos em 1990, após ser derrotado em plebiscito popular. Daí em diante viveu no exílio na Inglaterra porque sabia que, se ficasse, a chapa ia esquentar pro lado dele. Foi extraditado de volta ao Chile mas morreu antes de ser julgado. Era tão "querido" em seu país que o povo saiu às ruas pra comemorar sua morte. Tinha 91 anos e já foi tarde. Menos um filho-da-puta no mundo.

sexta-feira, dezembro 08, 2006

SINGULARPLURAL
"Não Sistema!": um dos melhores livros de tiras já publicados no Brasil

Joacy Jamys era um punk. Viveu rápido & morreu jovem. Nascido no Rio de Janeiro em 1971, Jamys morava na ilha de São Luís, no Maranhão, desde a adolescência. Aos 14 anos começou a editar fanzines p/ escoar sua incessante produção de quadrinhos. Ficou famoso no underground c/ os ótimos zines Legenda, Grito Punk, Singularplural, Não Sistema!, Mundo Caótico, e Sociedade dos Mutilados, sempre aliando ideologia punk a experimentalismos gráficos.
Além de zineiro/cartunista/poeta, J.J. era escritor, tradutor, ativista político/cultural e foi vocalista das 3 melhores bandas punk/hardcore da cena maranhense:
Estrago, Terror Terror e Última Marcha, c/ a qual gravou 6 CDs e tocou no exterior. Também promovia shows, encontros punks e exposições de zines. Na época das fitas demo, manteve o selo Estrago Tapes Recs., que lançou várias coletâneas de bandas brasileiras, tchecas, lituanas etc. Integrou a Associacion LatinoAmericana de Historietas, sediada em Cuba, e a ULMA - União Libertária do Maranhão. Um cara não-sistema até a veia.
Ganhava uma grana como webdesigner, ilustrador e artista gráfico, através da própria empresa, Etnia Design. Nunca parou de fazer quadrinhos, pelo contrário. Depois de dominar o formato de HQs de uma ou duas páginas e tiras de 3 quadros, começou a experimentar todos os gêneros: de histórias de rock, protesto ou cotidianas a aventura, fantasia e ficção científica. Ganhou "Menção Honrosa" no Concurso Nacional de HQs de 1994 e na 2ª Mostra de Humor Nacional do Maranhão, em 99. Foi selecionado em várias exposições, mostras, concursos e salões no Brasil, Europa e África. Foi indicado p/ o prêmio HQ Mix de 2006 como autor revelação e melhor site."Mas infelizmente nem tudo eram flores!", conta o quadrinista Márcio Baraldi no texto "A Última Marcha de Joacy Jamys": "No último e-mail que troquei c/ meu broder JJ em 11 de outubro passado, ele queixava-se sobre os últimos dois anos de sua vida (...). Havia experimentado o famoso 'fundo do poço', que dez entre dez mortais cedo ou tarde experimentam, e estava retornando à superfície. (...) Uma outra queixa que o aborrecia muito interrompeu seus planos: sua saúde debilitada. Joacy reclamava que precisava cuidar urgente de seu corpo, judiado por alguns excessos cometidos. Mas como diria o grande New model Army (que o Jamys curtia também): 'The Body is gone, the body is dead, children'!"...
Joacy Jamys morreu no último dia 05, após sofrer um
AVC (derrame) no dia anterior e entrar em coma após uma operação de emergência. Justo agora que ele tinha acabado de construir sua casa e estava negociando a publicação de seus quadrinhos na editora americana Dark Horse. "No momento não sei o que dizer", foi tudo o que Marcos Curisco, do Núcleo Anarco-Punk de Aracaju, conseguiu comentar quando soube da notícia. Curisco era um dos poucos caras aqui da cidade que conheceu Jamys pessoalmente. Outro amigo sergipano de JJ era Adelvan Barbosa, p/ quem nosso amigo maranhense dedicou até uma tira, sobre o vocalista de uma banda HC que quase morre numa crise de asma. Fato verídico que ocorreu c/ Adelvan quando ele era da ExTxCx. Não conheci Joacy em pessoa (nunca fui ao Maranhão), mas nos tornamos amigos na época em que eu editava o zine Cabrunco. Jamys era foda, desenhava pra caralho & suas histórias eram engraçadas - tive a honra de publicar "Um Dia da Caça", uma HQ sobre um punk que toma um baculejo da polícia.
Joacy Jamys era um punk, um artista autêntico e inquieto. Seu site na internet é muito completo e dá uma geral sobre o homem & sua obra. Fico na torcida p/ que pelo menos sejam feitas compilações de seu material gravado c/ suas bandas esporrentas e seus quadrinhos publicados em diversos zines mundo afora. A editora Marca de Fantasia poderia relançar o livro de tiras "Não Sistema!", um dos melhores que já li. Jamys viveu rápido, morreu jovem e tudo que fez, fez ele mesmo.
homenagem de Viva La Brasa ao cartunista mais punk do Brasil

terça-feira, dezembro 05, 2006

A PONTE
Moro na Praia da Costa há quase 5 anos. A Costa é a parte virada pro oceano da Ilha da Sta.Luzia, mais conhecida como Barra dos Coqueiros. A outra parte da ilha fica de frente a Aracaju, capital do menor estado do Nordeste - e um dos melhores de se viver. Desde sempre, p/ irmos de uma cidade à outra, usávamos barcos - ferry-boats ou lanchinhas chamadas de "tototó". Em setembro, foi inaugurada a Ponte Aracaju-Barra, após dois anos de construção. É "a maior obra de engenharia de Sergipe", que "entra pra história como a maior ponte urbana do Nordeste e a segunda do gênero do país", segundo o release amplamente divulgado pela imprensa local. O secretário de infra-estrutura gosta de destacar o sistema c/ que foi construída ("estaiamento") e a iluminação dos pilares centrais em led, "moderníssima, sem similaridade no Brasil". Realmente, a ponte é um avanço inevitável, e sua estrutura é atualíssima. A sua base no lado continental fica no Bairro Industrial, zona norte, onde minha namorada se criou e vive até hoje. Seu Joselito, que vive no bairro há 43 anos, está animado c/ a novidade. "A ponte trará benefícios p/ o bairro. Aqui não era nada, agora muita gente vem, tanto pra conhecer como pra passear - e tomar uma cervejinha no meu bar", comemora. Três meses após a inauguração, no entanto, quase nada mudou na Zona Norte, a área mais antiga de Aracaju. Na Barra, fora a facilidade na locomoção, os outros problemas continuam os mesmos. A autopista que liga o município à praia nunca teve iluminação nos postes, o que sempre gerou acidentes, alguns fatais, geralmente causados por animais na pista. Eu mesmo vivi uma experiência dessas, após bater de frente em um cavalo a 80 km/h, numa noite de domingo. Isso foi em 2005. Agora, quase 2007, os acidentes estão acontecendo na cabeceira da ponte, escura como a estrada de madrugada. Já houve casos de atropelamentos e derrapagens. Um irmão de uma amiga está no hospital, c/ risco de não voltar a andar. A última sobre a ponte ocorreu ontem: foi encontrado o cadáver de um homem c/ quatro facadas no corpo aos pés da construção, na beira do rio. Do lado da Barra.
Não é o Oriente Médio: inauguração da Ponte Aracaju-Barra em grande estilo

quinta-feira, novembro 30, 2006

OLIMPINHO
Juro que eu não queria mais home-nagear nenhum herói morto, pelo menos por esses dias. Queria uma trégua de notícias ruins. Por isso já tinha deixado de falar em política. Mas ontem recebi uma notícia que me deixou baqueado. Estava na fábrica de pranchas do Ricardo Gringo, meu shaper há quase 10 anos, quando me contaram: mataram Olimpinho!
Quando eu comecei a surfar nos anos 80, ele era o melhor surfista, não só da praia que eu freqüentava, como de todo estado. Nascido e criado na favela do Nordeste de Amaralina, Olímpio Batista aprendeu a surfar no Quebra-Coco, uma onda poderosa que quebra praticamente na areia e forjou seu surf forte e estiloso.
A febre do surf atingiu Olimpinho no início dos anos 70”, escreveu seu amigo Cly Lolie. “Fez a primeira prancha de tábua de compensado, as populares ‘taubinhas’. Pra conseguir a 1ª prancha de fibra, teve que trabalhar de ajudante de pedreiro, ‘virando’ cimento na obra em que seu pai trabalhava. Com o trampo deu pra juntar a grana do material.” Coincidência ou não, seu primeiro patrocínio foi das pranchas Quebra-Coco. “E o retorno foi grande”, continua Cly em seu texto. “Em pouco tempo o negão começou a desbancar os playboyzinhos que tinham as melhores pranchas, as gringas.”
Olimpinho venceu o circuito baiano profissional em 1986, aos 20 anos, venceu o campeonato nacional Bahia Pro Contest no ano seguinte, e tornou-se bicampeão estadual em 88. Nunca teve um patrocínio forte, como foi o caso de seu contemporâneo Jojó de Olivença (bicampeão brasileiro e ex-Top 16 WCT), e não deslanchou. Outro talento absurdo da Amaralina, Neidson de Jesus, dono de um surf aerialista e de vanguarda, também teve uma aposentadoria precoce no surf competição por falta de apoio e preconceito. No Brasil tudo é mais difícil se você é negro e pobre.
Mudou-se p/ o Rio de Janeiro no início dos anos 90, onde tentou estender por mais alguns anos a carreira de surfista pro. Mas sua sorte só começou a mudar quando passou a dar aulas na escolinha do lendário Rico de Souza. Um de seus alunos, o empresário Ari Svartsnaider, presenteou-o c/ um longboard e uma viagem p/ a Costa Rica. De shortboarder a surfista de pranchão, a adaptação foi rápida – quem aprendeu a surfar numa tábua surfa em cima de qualquer coisa.
Eu conhecia Olimpinho, ele freqüentava minha casa e sempre me deu uma força, descolando equipamentos como bermudas e cordinhas, que ganhava de brinde. Era um gigante gentil, mas nunca teve a real noção do seu potencial, e costumava duvidar das probabilidades. “Como um baiano, negro e sem um tostão no bolso vai conseguir um visto pros Estados Unidos?”, ele se perguntava. Mas não só conseguiu o visto p/ o Havaí como venceu o primeiro campeonato que participou na nova categoria – e em Haleiwa, um dos principais picos de surf do cenário internacional.Quando retornou ao Brasil, surpreendeu mais uma vez e venceu o Red Bull International na Barra da Tijuca, derrotando na final o tricampeão mundial Collin McPhillips. Não tinha pra mais ninguém naquele ano de 1999, e Olimpinho fez barba, cabelo e bigode, levando a última etapa do circuito, o Petrobrás Classic, e sagrando-se campeão brasileiro de longboard profissional. Com a grana das vitórias, construiu uma casa na praia da Macumba.
Olímpio nunca se meteu em tretas nem tinha inimigos, pelo contrário. Era um cara querido e admirado por todos. Mas no dia 30/10, meu amigo foi encontrado morto c/ cinco tiros nas costas, dentro de um canal na Estrada do Urubu, Zona Oeste do Rio. Seu carro, um Parati, foi achado na Cidade de Deus c/ marcas de tiros.
Só fiquei sabendo ontem e não acreditei quando vieram me dizer. Parece que uma mulher foi a causa da tragédia, mas a lei da favela é ouvir e não falar... A comunidade do surf compareceu em peso ao seu enterro, no Cemitério do Pechincha, rua Benevente 307, RJ. Amigos fizeram homenagens nos mares das praias da Macumba, no Rio, e Quebra-Coco, em Salvador, os dois locais em que Olimpinho mais se sentia em casa. É muito triste saber que um cara como ele foi embora”, disse o Top da ASP Victor Ribas ao canal Sportv. “Olimpinho era uma pessoa única, muito alto-astral e espontâneo. Estou chocado c/ o que aconteceu”, falou Teco Padarataz, bicampeão do WQS.Olimpinho foi um amigo mais velho e um professor pra mim. Apesar de termos perdido contato c/ ele nos últimos anos, eu e meu irmão Lú ainda voltamos algumas vezes ao Nordeste em visitas a Salvador, pra rever seus irmãos, Batata e Mimi, que também tiveram uma vida trágica. Aprendi c/ Olimpinho a mandar na lata sem perder a classe, e essa lição vale tanto pro surf quanto pra vida.


Homenagem dos amigos a Olimpinho (1966-2006)