quinta-feira, fevereiro 02, 2006

TEMPO QUENTE

O ano do Cachorro de Fogo. Nós, ocidentais, estamos em 2006. Os chineses já passaram do ano 4700... E dos 2 bilhões de habitantes. O mundo anda muito cheio. E quente. Muito quente. Quer dizer, no Oriente e na Europa o inverno está sendo o mais rigoroso das últimas décadas. Um mundo cada vez mais bipolar.
Há 1 mês falei sobre Israel e Palestina. O Hamas ganhou as eleições p/ o parlamento palestino. Sua plataforma política é a completa destruição do Estado de Israel. A chapa esquentou. Militantes do Fatah, o partido majoritário há 40 anos, não aceitaram a derrota, invadiram prédios públicos e entraram em conflito c/ várias facções do Hamas. Os colonos judeus dos assentamentos declarados clandestinos (por estarem em solo palestino) estão resistindo à retirada de suas famílias da região porque o Hamas vem dizendo que foi a abordagem terrorista do partido a razão pela saída dos judeus. Pela 1ª vez, eu vi colonos judeus em conflito direto c/ tropas israelenses. Vejam bem. Há 1 mês o problema era Israel x Palestina. Agora também há palestinos contra palestinos e israelenses contra israelenses.
Ontem – só ontem – morreram 8 pessoas, e 60 ficaram feridas, em um atentado de homem-bomba no Iraque. Ah, o Iraque. Um dos berços da civilização. Um lugar onde homens-bomba fazem parte do cotidiano. Nada muito distante das nossas grandes cidades.
Foi divulgado esta semana: em 2005, pela primeira vez na história, a dívida pública da União ultrapassou 1 TRILHÃO de reais. Ou seriam dólares? Não importa. 1 trilhão é uma puta dívida em qualquer moeda. Esse não é um problema exclusivo do Brasil, nem do 3º mundo; os EUA, maior economia mundial, está afundada em dívidas internas. O problema, no caso do Brasil, é a política de juros, que atingiu níveis recordes, de $157 bilhões no ano, equivalente a 8% do PIB. Há uma ou duas semanas vi o Presidente Lula declarar na TV que saldamos nossa dívida c/ o FMI e agora “são eles que têm de nos prestar contas”. Preciso checar essa informação...
Por aqui as coisas também têm oscilado entre o bom e o horrível. Pra não entrar em detalhes, basta dizer que passei umas 3 semanas sem postar nada novo porque o acesso à internet que eu tinha no trabalho, que já era restrito, ficou ridículo. O VxLxBx está prestes a completar 1 ano em atividade e eu ainda não tenho um computador em casa. As coisas não são nada fáceis.
Comecei a ler a biografia do Bukowski, “um pobre diabo superando adversidades”, como definiu o jornalista Howard Sounes, autor do livro, lançado no Brasil pela editora Conrad. Essa editora é dos caras que faziam a Animal e a General, duas das revistas mais legais dos anos 90. Atualmente, é ela que vem lançando os livros mais interessantes (p/ mim): quadrinhos de Robert Crumb, Gilbert Shelton, a série “Buda”, os livros do Hunter S.Thompson (tá faltando o “Fear and Loathing”), e esse do Bukoswki, meu escritor favorito e o único poeta que eu respeito:
“Se você me vir sorrindo (...)/
caçando uma luz amarela/
guiando direto pro sol/
estarei preso nas garras/
de uma vida louca”.
2006, ano do Cachorro. Os chineses dizem que será um ano bom. Afinal, é um mundo cão.

*****
fotos: 1) partidários do Fatah protestam contra o resultado nas eleições da Palestina 2) "Girls Gone Wild", um dos filmes da produtora x-rated do rapper Snoop Dogg.

Nenhum comentário: