terça-feira, maio 02, 2006

LULA LÁ & OS 40 LADRÕES


Não sei, não vi, não ouvi
Maio começa c/ o Dia do Trabalho, data instituída em 1889 por um Congresso Socialista em Paris, em homenagem aos mártires de 1º de maio de 1886, quando milhares de trabalhadores foram às ruas de Chicago p/ protestar contra as condições de trabalho desumanas a que eram submetidos, e exigir a redução da jornada de trabalho de 13 p/ 8 horas diárias. Naquele dia, passeatas, piquetes e discursos movimentaram a cidade, e a repressão ao movimento veio c/ prisões e até mortes, nos confrontos entre os operários e a polícia. A duras penas, os trabalhadores de Chicago conseguiram adquirir todos os direitos exigidos, e nós, assalariados, nos beneficiamos c/ isso até hoje.
Na França, o Governo Chirac teve que revogar a Lei do 1º Emprego após 1 mês de protestos populares. No Nepal, o rei Gyanendra teve que voltar atrás e reabrir o congresso, após duas semanas de protestos ferozes da população. Nos EUA, os imigrantes vêm protestando há mais de uma semana contra uma nova lei do Governo Bush que restringe sua permanência no país.
Em diferentes partes do mundo, o poder do povo é visível através dos mais diversos tipos de protestos.
No Brasil, o Ministério Público Federal denunciou um esquema de suborno e lavagem de dinheiro envolvendo 40 pessoas do alto escalão da política e economia nacional – o Mensalão -, e ninguém faz nada. Parece que não é c/ a gente. Por bem menos o brasileiro saiu às ruas p/ pedir o impeachment do puto do Collor. O PT era a última esperança de mudança p/ quem votou em Lula, e a decepção c/ essa história de mensalão parece ter deixado o brasileiro mais passivo do que nunca.O
MPF é um órgão independente dos três poderes (Executivo, Legislativo, Judiciário). O Procurador-Geral da República, Antonio Fernando de Souza, é um juiz s/ manchas na biografia. Em seu relatório, apresentou denúncia formal contra a cúpula do PT, acusada de formar uma “sofisticada organização criminosa” especializada em “desviar dinheiro público e comprar apoio político” p/ “garantir a continuidade do projeto de poder”.Entre os nomes citados, há figuras conhecidas como o ex-ministro José Dirceu, acusado de “chefe do organograma delituoso”; o ex-presidente do PT José Genoíno, “interlocutor da organização criminosa”; o ex-deputado Roberto Jefferson, que vendeu o apoio do PTB ao PT por R$ 20 milhões; o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, “elo c/ as ramificações operacionais da quadrilha”; o ex-secretário Sílvio Pereira, que distribuía cargos no governo; o publicitário Duda Mendonça, acusado de lavagem e evasão de dinheiro; e o mega star das negociatas, o careca Marcos Valério, c/ seis acusações, chamado pelo Procurador-Geral de “profissional do crime”. A elite do PT, PP, PL, PTB e Banco Rural estava envolvida. Só o presidente não sabia de nada?
Este ano tem eleição e Lula tem tudo p/ ganhar de novo, graças aos pangarés que estão disputando c/ ele e à conivência do povo brasileiro, que aceita qualquer coisa desde que a inflação esteja controlada. Diz o ditado que “todo povo tem o governo que merece”. Mais vale confiar em ditos populares do que em políticos. Que o diga a Petrobrás.

@dolfo s@´ - trabalha, não vota e está sempre contra os verdadeiros canalhas

Nenhum comentário: