sexta-feira, agosto 11, 2006

JIHADA Guerra Santa e o surfista muçulmano
É mesmo difícil de entender


1 mês de bombardeios entre Israel e Líbano. Não é a primeira vez que esses países entram em guerra, mas toda vez que nações vizinhas chegam a tal ponto, há de se parar pra pensar.O Oriente Médio é uma zona de conflito. Foi assim durante todo o séc.XX: Líbano, Israel, Palestina, Irã, Iraque, Síria, Paquistão – todos já tretaram entre si, ou contra inimigos externos. Israel, por exemplo, é um Estado judeu cercado de países árabes, criado sobre território palestino, numa tentativa de se corrigir 2 fatos: a Diáspora, fuga em massa dos judeus escravos da região há 2000 anos, e a 2ª Guerra Mundial, na qual milhões de judeus foram exterminados em campos de concentração. Acontece que, ao invés de corrigir 2 erros históricos, criou-se um terceiro: a Palestina ficou desprovida de um Estado, uma guerra endêmica começou entre esses dois povos, e a nação israelita tornou-se um vizinho indesejado e odiado p/ toda a comunidade muçulmana.
O Hamas, principal partido palestino na atualidade, não reconhece a existência de um Estado judeu no Oriente Médio. O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, já chegou a dizer que o Holocausto não existiu. O Islamismo é a religião que mais cresce no mundo, e foi a responsável por unificar a península árabe e derrubar dois impérios, dando início à Era Moderna na História.
CRISE NAS INFINITAS TERRAS
A Guerra Israel X Líbano começou em 12 de julho, quando o grupo político/terrorista Hezbollah, baseado no sul do Líbano, invadiu o território israelense numa operação que capturou 2 soldados e matou outros oito. A resposta de Israel foi iniciar um bombardeio às cidades suspeitas de abrigar terroristas da organização, e o envio de tropas ao sul do Líbano. O conflito já matou centenas de judeus e milhares de libaneses. O Líbano está à beira de um colapso.A ONU apresentou uma resolução p/ tentar estabelecer uma trégua, mas não houve acordo c/ a liga de países árabes e a guerra continua. Esta semana, as forças israelenses avançaram vários quilômetros no território libanês. Fontes internacionais garantem que essa ofensiva ampliada pode durar mais 30 dias. O líder do Hezbollah, xeque Hassan Nasrallah, respondeu em discurso na TV: “Vocês (israelenses) não vão conseguir ficar na nossa terra, e se vierem vamos transformar nossa preciosa terra em um cemitério p/ os invasores sionistas”.
Ao mesmo tempo, Israel vem mantendo uma ofensiva paralela na Faixa de Gaza p/ resgatar outro soldado, seqüestrado por militantes palestinos em junho. Ontem (10/08), atentados suicidas mataram 30 pessoas e feriram mais 90 em uma série de explosões na cidade de Najaf, destino de peregrinos xiitas no sul do Iraque.
Ataques terroristas não estão mais restritos aos fundamentalistas muçulmanos radicais. Aqui no Brasil mesmo, o PCC vem utilizando táticas terroristas desde maio, quando explodiu a primeira onda de ataques em São Paulo. Atualmente, SP está sob a mira da 3ª leva de atentados caóticos organizados pela facção criminosa. O PCC nasceu dentro do sistema prisional e hoje domina toda a cena do crime paulista, c/ extensões no Espírito Santo e Mato Grosso. Os primeiros ataques este ano ocorreram c/ a saída de presos p/ o Dia das Mães. Agora, 10.000 deles irão receber o indulto do Dia dos Pais. O Governador Cláudio Lembo declarou brilhantemente: “Eu confio no bom-senso dos presos.” São Paulo pode se preparar p/ mais um fim-de-semana no parque.

“COM UMA FACA ENTRE OS DENTES”

Jihad Khodr é brasileiro e muçulmano. Local de Matinhos, no litoral do Paraná, aprendeu a surfar nas mesmas direitas que moldaram o surf agressivo do tricampeão brasileiro e 3X Top 10 do mundo, Peterson Rosa – seu padrinho. Depois de perder a classificação p/ a 1ª divisão do surf mundial, o WCT, por apenas uma vaga (ficou em 17º no ranking que classificava 16) em 2005, passou por um período de depressão e voltou c/ tudo este ano, após uma viagem à Indonésia, um dos países asiáticos de maioria islâmica. Atualmente, lidera o Circuito Brasileiro c/ a impressionante marca de 3 finais em 3 etapas, c/ uma vitória em Maresias(SP) sobre o bicampeão brasileiro e casca-grossa Léo Neves. A duas etapas do final da temporada, Jihad é o favorito ao título. Já chegou a ser chamado na mídia especializada de “fundamentalista do surf”, mas é um cara tranqüilo. A não ser que você cruze c/ ele numa bateria...
Como foi o episódio no aeroporto em que encrencaram c/ o seu nome?
JK - Foi só uma vez, quando tava sem grana. Ao invés de ir pra Los Angeles direto, usei minhas milhas pra ir via Washington. Então imagina: fazia menos de 1 ano do 11 de setembro. Chega um cara de nome Jihad, muçulmano, carregando um sacolão de pranchas, é mais bomba né? Ainda por cima na capital dos caras... Foi punk, mas deu tudo certo. Até hoje foi minha melhor participação no US Open. Ganhei do Rob Machado duas vezes!
Você é muçulmano praticante?
JK - Minha família é bem praticante. Quando eu era criança rezava junto c/ eles, lia o Alcorão e tudo. Mas c/ o tempo, passei a viajar muito e não deu mais pra acompanhar.
Quais surfistas te influenciaram?
JK - Não gosto muito desse lance de ídolos, influências e tal. Quando eu era moleque gostava de ver o Taj Burrow nos filmes e depois ia pra água tentar fazer igual. O Peterson me ensinou muito a ser guerreiro, então talvez seja um pouco de cada.
O que é o surf p/ você?JK - Minha vida, minha luz. Sou Jihad, em árabe quer dizer: Guerreiro. Sou um guerreiro que entra sério em todas as disputas. Gosto do que eu faço, defendo as cores dos meus patrocinadores c/ uma faca entre os dentes e parto pra cima.

(Moral da história: Religião por religião, sou mais o surf. @)

Entrevista Jihad Khodr: Gerson Filho
Reportagem: Adolfo Al Brasa
Trilha sonora: “Something´s Got to Give” Beastie Boys

3 comentários:

Quem Tá Com Alá Tá Com Tudo disse...

"Mazen Kerbaj é um cartunista que mora em Beirute, no Líbano, e mantém um blog no meio do caos e do medo: http://mazenkerblog.blogspot.com/. Ele desenha muito e faz comentários precisos sobre o momento complicado que vive seu país. Isso com a autoridade de quem tem o quintal de casa bombardeado por psicopatas e não se muda."

fast fodo disse...

E eu pensava que Beirute era só o nome de um sanduíche...

Anônimo disse...

Recomendamos o livro Guerra Santa, Guerra Justa - Prof. Roberto De Mattei - Ed. Civilizacao.

No Brasil comercializado na Majestatis em
www.jatservers.com/loja