terça-feira, outubro 17, 2006

SORRIA, VOCÊ ESTÁ SENDO ENTUBADO
Chad Hurley e Steve Chen, criadores do YouTube:
1 bilhão e 650 milhões de motivos p/ sorrir

Tá todo mundo entubando. Em menos de 1 ano na ativa, o site YouTube se tornou o maior fenômeno de popularidade na internet desde a febre do Orkut. O YouTube é um site de compartilhamento de vídeo que já conta c/ mais de 100 milhões de títulos disponíveis – de filmes de Hollywood e clips de artistas famosos a vídeos caseiros e imagens pirateadas de programas de TV. Qualquer um pode disponibilizar um vídeo no YouTube. Qualquer um pode baixar seus arquivos.
São 65.000 novos vídeos diariamente. Segundo as empresas de pesquisa americanas Nielsen NetRatings e Hitwise, o usuário médio do YouTube passa 26 minutos ao mês assistindo vídeos no site. São 34 milhões de internautas, só nos EUA. Isso equivale a 46% do mercado de compartilhamento e distribuição de vídeos on-line. Em segundo lugar fica o
MySpace.com, de propriedade da News Corporation.O YouTube nasceu independente, e assim permaneceu até semana passada, quando foi comprado pela módica cifra de $1 bilhão e 650 milhões de dólares pelo mais popular site de busca da internet, o Google. Na ponta do lápis, o YouTube não vale tanto, porque ele ainda não rendeu em termos econômicos o equivalente ao número de acessos a seus serviços. Trata-se de uma aposta no site como plataforma p/ a ampliação do Google, que já subiu do 3º p/ o 2º lugar entre as páginas mais acessadas. Google e YouTube juntos totalizam 101 milhões de visitas/mês, contra 106,5 do Yahoo e 98,5 do MSN. No dia em que o negócio foi fechado, as ações da companhia subiram de US$ 8,5 p/ US$ 429.O engraçado é que a maioria das pessoas só acessa o YouTube p/ ver besteira. Pelo menos aqui no Brasil, que dá ao site uma audiência mensal de 2,5 milhões de internautas. Vide o sucesso do Fernando Vanucci bêbado e da Daniela Cicarelli fodendo no mar. A tiazinha maconheira do filminho “Tapa na Pantera” virou celebridade. Por outro lado, os produtores independentes foram os que mais se beneficiaram c/ essa história toda. Meu amigo Matias Maxx entubou sua animação “Bonde do Brejo” e pretende lançar em breve “A Batalha do Real”: “é filme curto demais, tosco, mas que vale por ter documentado uma época muito especial do rap carioca”, diz o cineasta tarja-preta, mais um usuário do site.Como tudo que é bom dura pouco, essa megacompra do YouTube já começa a cheirar mal. Em breve, será implantado um sistema que eliminará conteúdos ilegais – tipo aqueles vídeos hardcore da Belladonna e do Hezbollah. Além disso, o YouTube acertou parcerias c/ a rede de televisão CBS e a maior gravadora do mundo, Universal Music. O Google fechou negócios c/ a Sony e a Warner Music. Faz lembrar do Napster, maior fenômeno de distribuição de MP3 da internet, que virou uma sombra do que era originalmente, após ser proibido na justiça americana de disponibilizar música grátis s/ autorização prévia.
A Justiça quebrou as pernas do Napster, mas inúmeros sites de “free download” de MP3 continuam a existir em toda a rede. Pode até ser que essas novas parcerias c/ as majors sejam um primeiro passo p/ uma “privatização” no uso do YouTube. Mas se isso acontecer, novos sites de vídeo acessíveis a todos continuarão a surgir. Quando uma nova tecnologia é disponibilizada na internet, não há como detê-la.

Fotos e ilustrações: 1) Quem disse que a internet não dá mais grana? 2) arte de Ooguro. 3) Maria Alice Vergueiro no vídeo "Tapa na Pantera". 4) arte de Juca p/ "Bonde do Brejo". 5) Tá ruim pros gringos no Oriente Médio.

2 comentários:

Wandy Horrol disse...

No futuro todos serão anônimos por 15 segundos.

emerson wiskow disse...

Amigo, mudei o nome e o endereço do Sorte Inversa, agora chama-se CONTRAIMAGENS www.contraimagens.blogspot.com
abraço