sexta-feira, abril 28, 2006

DOCES BEIJOS
Mulheres gostam de beijar. O blog Doces Beijos era sobre isso: mulheres beijando... mulheres! Aparentemente o fotolog suspendeu suas atividades em novembro de 2004, mas em menos de seis meses na ativa estas gatinhas de atitude produziram um dos blogs mais legais de toda a internet. Se você é uma menina e gosta desse tipo de brincadeira, envie uma colaboração para doces-beijos@uol.com.br. Quem sabe as garotas não se animam e voltam a atualizar o site?... A seguir, alguns dos melhores momentos do saudoso Doces Beijos:
Foi assim...:
”E começou assim...Uma festa, uma baladinha, uma risada, um selinho...”







Devagar:
”Ahhh, devagarinho, chegando de levinho, uma surpresa nos espera!!!”






Ahhhh:
”Nossa...não faz assim que me apaixono!”



Moreninha x Loirinha:
”Beijo de carinho, de paixão!!!”



Ruivinha x Loirinha:
”Me divirto, e ninguem me impede...não ligo...VIVO!!!”












(É isso aí, meninas. @)

quarta-feira, abril 12, 2006

DON´T BELIEVE THE HYPE

Jack Johnson, a instituição
A música que se faz hoje em dia é tão chinfrim que qualquer artista que não seja criação das gravadoras vira a salvação da lavoura. O “cara da hora” é o Jack Johnson, um havaiano de 30 anos que toca uma viola e canta a vida simples. Talvez o estilo low-profile do cara seja o que o distingue das milhares de apostas “fake” do mercado fonográfico. No início deste mês ele esteve no Brasil p/ 2 shows, e a babação de ovo em cima do cara foi tão grande que se tornou insuportável ouvir aquelas baladinhas que ele faz: música folk calminha, som de luau, nada que o Ben Harper (que por sinal é seu amigo e padrinho) não tenha feito antes – e melhor.
Eu até entendia o sucesso que ele fazia no meio do surf, afinal os surfistas sempre seguem as tendências que estão nos filmes de surf, e Jack Johnson surgiu p/ o mundo ao dirigir os documentários “Thick then Water” e “September Sessions”, c/ seus chapas Kelly Slater, Rob Machado, e outros “surf stars”. Johnson compôs as trilhas sonoras destes filmes, e daí a começou sua bem-sucedida carreira de músico, c/ três discos já lançados. Mas, como disse meu amigo
Allan Sieber: “Tá na cara que esse sujeito é um cantor de churrascaria havaiana.” Em São Paulo, os ingressos p/ a área vip custavam R$ 380,00, antecipados. Puta couvert caro!Na verdade, o que mais me impressiona na biografia dele foi um acidente que ele sofreu há 12 anos em Pipeline, a esquerda mais clássica do surf. E também a mais matadora. No último inverno havaiano, o big-rider taitiano da nova geração Malik Joyeux morreu ao ser acertado pelo lip de Pipe. Jack Johnson se deu bem: só precisou de algumas cirurgias p/ reconstruir a face. Tem sorte mesmo, o puto.
Há quem ache positivo o fato de o Brasil estar sendo incluído nas tours das grandes bandas e artistas gringos. Quando os Rolling Stones e o U2 vieram tocar aqui no início do ano, lembrei do Bukowski. Ele foi p/ um show dos Stones nos anos 70 sendo pago por uma revista, mas na sua resenha ele falou mais de corridas de cavalo que do show em si, e concluiu que teria sido melhor ficar em casa ouvindo Beethoven. Vinte anos depois, ganhou convites p/ uma apresentação do U2 em L.A., e percebeu que a banda falava sobre mudar o mundo. Bono dedicou uma música a ele, "Dirty World", como se o conhecesse, o que fez o velho Buk rir. Mais tarde ele escreveria: "Havia uma vibração lá, mas não durava muito. Era quase simplória. Eu acho que as letras eram boas se você conseguia entendê-las. Eles provavelmente estavam falando de Causas, Bons Costumes, Amores achados e perdidos etc. As pessoas precisam daquilo - idéias antiinstituição, antiautoridade, antitudo. Mas um grupo de sucesso e milionário como aquele, não interessa o que dizia, ELES ERAM A PRÓPRIA INSTITUIÇÃO."

sexta-feira, abril 07, 2006

RADICAL CHIC
Esta semana aconteceu um evento digno de nota em São Paulo. A Daslu, loja p/ ricos metidos a besta, recebeu o rapper MV Bill e o produtor Celso Athayde p/ o lançamento do livro “Falcão – Meninos do Tráfico”.
Com vcs, os melhores momentos do surreal release do encontro:
“(...) quarta-feira, 05 de abril, o Terraço Daslu abre seus salões para um dos mais importantes eventos de ação social dos últimos tempos (...) para um debate com os convidados sobre a obra e o documentário (...) exibido no Fantástico, da Rede Globo, e já considerado um marco no telejornalismo brasileiro. (...) Os autores também discutem temas polêmicos como racismo, segurança pública, repressão policial e a importância do hip-hop para a juventude que vive nas favelas. (...) O evento é fechado para convidados.”
MV Bill é um dos principais nomes do rap nacional, tem 2 discos lançados, e já havia escrito um livro antes deste, “Cabeça de Porco”, junto c/ seu parceiro Celso Athayde, produtor musical e criador do projeto Hutúz. Bill é morador da Cidade de Deus, e Athayde cresceu na Favela do Sapo, em Senador Câmara (RJ). Ambos são fundadores da ONG CUFA – Central Única das Favelas. Ou seja, os caras estão envolvidos c/ o problema social do Brasil desde o berço, e vêm trabalhando p/ mudar a situação há muito tempo, mas só depois de veicular um trecho de seu último documentário no Fantástico é que as classes mais abastadas se tocaram da realidade que existe fora de seus condomínios de luxo e carros blindados.A Daslu é conhecida por ser a loja mais grã-fina do Brasil. Ela vende artigos de luxo das griffes mais caras do mundo – Armani, Chanel, Prada etc. - , além de carros importados, lanchas e helicópteros. Tudo a preços modicamente extorsivos, porque p/ os ricos pagar mais caro é sinal de status. A sua sede é um prédio de quatro andares e 17 mil metros quadrados na Marginal Pinheiros, São Paulo. Mas, ironia do destino, ano passado a dona da loja, Eliana Tranchesi, seu irmão e mais dois executivos da empresa foram detidos pela Polícia Federal acusados de formação de quadrilha, sonegação fiscal, falsificação de documentos e contrabando. Segundo a polícia, a quadrilha dos abastados criava empresas no exterior p/ emissão de faturas comerciais p/ compra de outros produtos. Em seguida, essas faturas eram substituídas no Brasil por outras de menor valor. A Daslu deu um rombo na Receita Federal de pelo menos 10 milhões de dólares. Quer dizer, de crime eles também entendem.
Talvez venha daí a conexão. Eu só fico imaginando o debate dos “representantes da favela” c/ os convidados vip, entre as flores do terraço e o cafezinho tipo exportação:
- Mas não dá pra pôr essas crianças numa creche?!...
A última polêmica em que a Daslu se envolveu foi o processo em cima da marca “DASPU”, uma criação da ONG Beijo da Rua, que cuida de prostitutas e as orienta em sua vida de risco. A Daspu, como sugere o nome, produz roupas desenhadas e costuradas por putas, possibilitando a elas diversificar sua renda e abrindo a possibilidade de uma nova profissão. A “griffe” é inovadora, apresentando uma nova opção p/ as mulheres: as roupas de batalha, baseadas no figurino que as garotas da mais antiga profissão do mundo usam (ou tiram) quando estão pegando no pesado. A Daslu considera que o nome que as garotas escolheram p/ sua marca pode prejudicar sua imagem refinada. Mas não foi o pessoal da Daslu que foi acusado de formação de quadrilha, sonegação, falsificação e contrabando? Uma camiseta da Daspu (R$ 20,00) custa menos que entrar c/ o carro no estacionamento da Daslu (R$ 30,00 a 1ª hora!). Talvez as putas devessem processar a Daslu por denegrir a sua imagem.
Voltando ao evento da última quarta, MV Bill afirmou: “Não queremos, c/ este livro, apresentar soluções p/ a criminalidade infantil, induzir opiniões, ou fazer uma análise profunda baseada em teorias p/ explicar o motivo dessa tragédia. Pretendemos simplesmente narrar as dificuldades que fizeram parte do nosso dia-a-dia, durante as gravações do documentário Falcão”. Ah, bom.
Só p/ finalizar, o mediador do encontro foi o jornalista Paulo Lima, editor das revistas Trip, TPM e... Daslu!


Marketing social...
Vão tomar na CUFA!

Chora, favela...


terça-feira, abril 04, 2006

FAÇA VOCÊ MESMO (parte 1)
O veneno desse escorpião é doce
Um amigo meu acha que o orkut acabou c/ os blogs. Será que ele já ouviu falar da Bruna Surfistinha? Blogs são um fenômeno da internet, tanto quanto o orkut, só que, ao contrário deste, blogs são extremamente democráticos, à medida em que permitem que até mesmo analfabetos em linguagem html possam ter sua página na rede. Feito eu, por exemplo.
Eu sou um ex-zineiro, e a 1ª coisa que me atraiu na idéia de ter um blog foi a possibilidade de voltar a “zinar” sem ter que me preocupar em gastar grana c/ impressão e distribuição, por exemplo.
Mas, apesar das massas virtuais terem migrado p/ o orkut, e a despeito do “fenômeno blog” (a Playboy já falou melhor sobre isso, na edição da Fernanda Paes Leme), ainda tem gente que não se adequa muito ao modo “mastigadinho” como as coisas são feitas hoje, e prefere produzir à moda antiga. Como a americana Mimi, por exemplo.

Mimi é uma zineira, autora de quadrinhos nas horas vagas, que veiculou no site Fecal Face um “faça-vc-mesmo” em 10 lições, ensinando a fazer um zine de bolso c/ uma simples folha de papel A4 (ofício). É tipo assim:
MATERIAL:
-1 folha de papel
-lápis e caneta(s)
-estilete
-xerox
PROCESSO:
1) Pegue o papel e dobre-o ao meio
2) Dobre-o novamente, dividindo-o em 4 partes

3) Divida essas quatro partes em 8 p/ obter o formato básico
4) Faça a sua arte (seja original!)
5) Faça cópias (xerox)
6) Dobre-as do mesmo jeito que zine original
7) Corte o centro horizontal da página c/ o estilete – apenas os quadros centrais

8) O zine praticamente assumirá o formato final por si próprio, após o corte; vc só precisa dobra-lo de modo que a capa que vc criou fique exposta 9) Use canetas coloridas ou marcadores p/ dar um diferencial à sua capa10)Divirta-se distribuindo o zine p/ seus amigos – se eles gostarem, vc pode começar a pensar em fazer uma grana c/ isso
ENQUANTO ISSO...
A Direita avança no mundo: Nos EUA, a nova lei de imigração do governo Bush quer limitar a permanência de trabalhadores estrangeiros a, no máximo, seis anos. Na França, protestos de estudantes contra a nova lei que libera de encargos as empresas que despedirem trabalhadores abaixo dos 25 anos. A famosa Universidade de Sorbonne foi fechada pela polícia, e ontem foi deflagrada uma greve geral. No Brasil, 11 dos 19 deputados indiciados na CPI dos Bingos (a do Mensalão) foram inocentados por seus colegas parlamentares. O país subiu da 15ª p/ a 11ª colocação no ranking dos países na economia mundial – mas já fomos os oitavos... Tudo isso em março. O 1º astronauta brasileiro deu pista. No dia do lançamento da nave Soyuz, a melhor frase sobre o assunto estava estampada na camisa de um senhor: “Quem você quer mandar pro espaço?” Ilustrando a pergunta, uma foto do presidente Lula. E vc? Quem mandaria pro espaço?