sexta-feira, junho 09, 2006

É PAU, É PEDRA
A classe operária vai ao paraíso

Há três dias, o Movimento de Libertação dos Sem-Terra invadiu a Câmara dos Deputados e a casa quase caiu. O fato foi amplamente divulgado pela mídia, que mostrou em detalhes as cenas da quebradeira. Imediatamente, os setores mais influentes da sociedade se puseram contra o ocorrido, e não faltaram partlamentares indignados com a atitude “antidemocrática” dos invasores.
O MLST é um braço dissidente do Movimento dos Sem-Terra. A princípio este texto seria favorável a eles, mas no decorrer da semana eu vi que os principais articuladores da manifestação de terça não são desprovidos de terra, pelo contrário. O cabeça deles, o petista Bruno Maranhão, é filho de usineiros. Em abril, o MLST invadiu o prédio da Secretaria da Fazenda, também em Brasília. Não pegou nada. Desta vez, os militantes sem-terra serão autuados por dano ao patrimônio público, formação de quadrilha
e corrupção de menores. Os 11 líderes do grupo também serão incrimados por tentativa de homicídio.
Por outro lado, a Câmara dos Deputados absolveu este ano 11 dos 19 deputados envolvidos no esquema do Mensalão, em sessões de votação secreta, com a conivência de seu presidente, Aldo Rebelo. O escândalo das ambulâncias, desmascarado em uma operação da Polícia Federal que levou 65 funcionários dessa casa de respeito presos (algemados), teria favorecido 280 deputados. Enquanto isso, o Orçamento da União p/ 2006 só foi aprovado em junho.Se o MLST afrontou os alicerces democráticos da nação, os crimes de colarinho-branco vêm atropelando a democracia há muito mais tempo, e o povo, por ignorância ou passividade, não faz nada a respeito. A atitude dos radicais pode não ter sido a mais sensata, mas quer saber? Se no Brasil pobre só tem direito a se foder, foi divertido ver os ilustres srs. deputados, pelo menos uma vez na vida, com o cu na mão.

terça-feira, junho 06, 2006

BESTA É TU

Muita gente está dizendo que hoje é o “Dia do Anticristo”, porque a data 06/06/2006 forma o número da Besta: 666. Dizem que o mundo vai acabar. Algum dia, vai. Mas hoje não. Vivemos num mundo cão, onde desgraças e desumanidades acontecem todo dia, e quase sempre ninguém se importa. O Coisa-Ruim já tá dominando a cena há um tempão. Pode ser que hoje ele faça uma festinha pra comemorar seu dia, embalada a black metal, gangsta rap e funk carioca. Tá no inferno, abraça o capeta.

@DOLFO S@´ - é um homem de pouca fé
(ilustração: Coop)