quarta-feira, janeiro 10, 2007

SÓ MIOJO SALVA
...E o homem criou o macarrão instantâneo... (ilustração: Niklas Jansson)


Uns amam, outros odeiam, mas quem nunca foi salvo na larica por um miojo? Prático & barato, o macarrão-instantâneo foi inventado em 1958 no Japão por Momofuku Ando, fundador e presidente da Nissin Food Products Co. Criada em 1948, nas cinzas da 2ª Guerra Mundial, a empresa de Ando permaneceu como um pequeno negócio familiar por dez anos, até que Momofuku conseguiu chegar ao ponto certo da sua “fritura-relâmpago” da massa, que levou à invenção do popular “lamen”.
Popular mesmo. Segundo uma pesquisa realizada no Japão em 2000, o macarrão instantâneo foi considerado a invenção japonesa mais importante do Séc. XX, superando o CD e o karaokê, por exemplo. Estima-se que 65 bilhões de unidades de miojo sejam consumidas anualmente em todo o mundo. “Miojo”, aliás, é um nome brasileiro. A Nissin adotou essa expressão na época de lançamento do produto, e o termo virou sinônimo de macarrão instantâneo por aqui.Momofuku Ando nasceu em Taiwan em 1910, quando o país vivia sob ocupação japonesa. Mudou-se p/ o Japão ainda jovem, e trabalhou em várias empresas antes de fundar a Nissin. A idéia p/ o macarrão instantâneo surgiu quando ele notou o tempo que as pessoas perdiam na fila p/ comprar alimentos no mercado negro, durante o racionamento que se seguiu à derrota do Japão na Grande Guerra.
Seu invento consistia em um macarrão pré-cozido em óleo que requeria apenas alguns minutos na água fervente e um pouco de tempero, p/ ser consumido. O sucesso foi igualmente instantâneo, e em 1971, já um gigante do ramo, Momofuku inventou o “
cup noodle, um rango ainda mais prático: um macarrão dentro de um copo, no qual é só jogar água e comer.

Graças a seu baixo custo e fácil preparo, os macarrões instantâneos tornaram-se sucesso mundial e fizeram do seu criador um homem rico. Além de empresário e inventor, Ando sempre foi um excelente garoto-propaganda de seu produto – em suas aparições públicas, gostava de degustar os pratos que ele mesmo criou. Permaneceu ativo na velhice. Em 2005, divulgou a versão do “cup noodles” p/ os astronautas do ônibus espacial americano Discovery.
Momofuku Ando morreu na última sexta-feira, 05/01, de ataque cardíaco, aos 96 anos, no Japão. “Ando morreu, mas deixou milhões de seguidores da sua fabulosa invenção”, declarou um
no site Orkut, que contabiliza 883 comunidades dedicadas ao miojão e mais duas exclusivas p/ o japonês. “Você deve muito a este gênio da gastronomia. Se não fosse ele, o mundo não seria o mesmo”, escreveu o criador da comunidade “Seguidores do Sr.Momofuku”. "Só haverá paz na Terra quando o povo tiver comida suficiente", dizia o finado Ando.Alimento favorito de estudantes, desempregados e gente que não sabe cozinhar, o macarrão do Momofuku já virou até filme: “O Miojo do Mal”, um curta-metragem “infame e amador”, segundo seu próprio diretor, o gaúcho Jadir Nunes. Filmado em uma única tarde de 1997 c/ um orçamento de R$ 10,00 – gastos em pacotes de macarrão – , “O Miojo do Mal” conta a história de “uma tola família brutalmente atacada por um Miojo com sede de sangue e malignas intenções de vingança”, diz o release. Segundo o diretor, um filme “improvisado, expresso e instantâneo como o macarrão Nissin Lamen”.

4 comentários:

Viva La Brasa disse...

Muito bom, deu até vontade de bater miojão.

Moura disse...

putz esse comentário aí em cima é meu!!!!!! entrou no seu login

adolfo disse...

Firmeza, Pingo! Valeu a préza! Vamo tomar aquela cerveja essa semana ainda, falou? É nós...

girlie disse...

mas que doideira esses comentários!... bjs...