terça-feira, maio 29, 2007

LÁ VEM O CHÁVEZ
"Foi sem querer querendo! Isso, isso, isso..."
“Lá vem o Chaves, Chaves, Chaves/ Todos atentos olhando pra TV...” A trilha sonora do seriado Chaves (“El Chavo Del Ocho”, no original mexicano) bem que poderia ser a música tema da nova TV do presidente da Venezuela, Hugo Chávez. Só que, neste caso, não se trata de “uma historinha bem gostosa de se ver”...Desde a 0h20 de ontem, segunda 28/05, começou a funcionar a TVes, Fundação Televisora Venezuelana Social, no lugar da Radio Caracas Television, a rede de televisão mais antiga e de maior audiência do país, por ordem do governo chavista, que não renovou a concessão de freqüência estatal da RCTV.
Chávez a acusa de “golpista”, alegando que durante o golpe civil que o depôs em 2002 a RCTV não noticiou as manifestações que pediam a volta do presidente. A decisão de fechar um órgão de comunicação por fazer oposição ao governo gerou protestos nas ruas da capital Caracas, e repercutiu em todo mundo – até o líder da União Européia, Durão Barroso, pronunciou-se a respeito: “trata-se de um passo atrás”.A imprensa da América Latina se solidarizou c/ a RC e inúmeros jornais dedicaram editoriais condenando o episódio. O uruguaio El País chamou o ato de “neototalitarismo”, o panamenho La Prensa afirmou que Chávez está se tornando “um autocrata” e o paraguaio ABC Color estampou a manchete “Chávez mata a liberdade na Venezuela”. O Jornal do Brasil lamentou que “as democracias estáveis na região, o Brasil incluído, foram incapazes de impedir mais uma perigosa demonstração de desprezo à liberdade”. O presidente Lula tirou o dele da reta: “É um problema da Venezuela”, disse ele hoje durante um almoço c/ um representante do partido comunista do Vietnã. Traduzindo: “Eles que se fodam, eu é que não vou me indispor c/ meu amigo Hugo”. Nós já perdemos a Petrobras na Bolívia e agora abrimos este precedente. De que Lula tem medo?
“EL PODER QUE EL PUEBLO ME DIO”
O tenente-coronel Hugo Chávez surgiu na cena política ao protagonizar o golpe militar que tentou derrubar o presidente Carlos Pérez, em 1992. Após passar dois anos preso, foi libertado graças a uma anistia do presidente seguinte, Rafael Caldera.
Em 1998 é eleito presidente “num clima político marcado pela corrupção” (Wikipedia). Seu primeiro ato foi convocar uma Assembléia p/ elaborar uma nova Constituição, a “Quinta República”, que atribuiu mais poderes à Presidência, permitiu uma maior intervenção do Estado na economia, eliminou o Senado e reconheceu os direitos culturais e lingüísticos das comunidades indígenas. Foi reeleito em 2000 e criou a Ley Habilitante, que lhe permitia governar por decreto durante um ano, período em que promulgou 49 decretos, entre eles a Lei de Hidrocarbonetos, que fixou a participação do Estado no setor petrolífero em 51%. Em 2002, demitiu os gestores da companhia estatal Petróleos da Venezuela e os substituiu por testas-de-ferro, o que gerou uma greve geral no país que deixou 15 pessoas mortas e culminou c/ a sua deposição do cargo. Mas o novo governo não era muito melhor, dissolvendo a Assembléia e os poderes judiciais, o que abriu espaço p/ a volta de Chávez, que ainda se reelegeria p/ seu 3º mandato em 2006. Vale frisar que ele foi o único candidato a concorrer ao cargo - a oposição retirou sua candidatura em protesto ao regime.
No início deste ano, Hugo Chávez ganhou do Congresso plenos poderes p/ governar por 18 meses através de decretos-lei em 11 áreas da Venezuela. O fechamento da RCTV é conseqüência dessa decisão parlamentar e da sanha de vingança e sede de poder de “Huguito”. O diretor-geral da extinta emissora,
Marcel Granier, enviou uma carta pessoal ao presidente em que dizia que estava em suas mãos confirmar sua posição de “líder de uma nova esquerda latino-americana” ou tornar-se mais um ditador. A escolha foi feita.Essa é uma decisão política de um governo extremamente intolerante”, afirmou Granier. “O governo da Venezuela tem conflitos c/ os sindicatos, c/ as empresas, c/ a imprensa, c/ os Estados Unidos, c/ a Igreja e até c/ a Rede Globo. O presidente não aceita nenhuma opinião diferente da dele. Não há diálogo c/ ninguém, essa é a sua maneira de governar.”
QUINTA REPÚBLICA, 3º MUNDO
Chávez gosta de chamar a atenção, talvez por isso queira uma emissora de TV só p/ ele. Apadrinhado pelo ditador morto-vivo
Fidel Castro, não é de estranhar que a única manifestação de apoio por parte da imprensa tenha vindo do jornal Granma, do Partido Comunista de Cuba: Milhares de venezuelanos lotaram as ruas de Caracas p/ saudar o nascimento da TVes e a saída do ar da RCTV, incitadora do golpe de Estado de abril de 2002 e da greve petrolífera que causou graves estragos à economia do país”, afirmou ontem em artigo.
O que o Granma não disse é que a Venezuela sofre c/ uma inflação altíssima que anula o crescimento do PIB e empobrece a população. Medidas de fixação de preço só pioraram as coisas, gerando escassez de produtos e o surgimento de um mercado negro. O presidente acusa os próprios produtores pelos prejuízos, a despeito do consenso de que medidas extremas como congelamento de preços só levam a desastres econômicos.
Karl Marx dizia que "a história se repete como farsa". Ao contrário do ator Roberto Gómez Bolaños, criador do
personagem infantil, o Chávez da Venezuela é um tremendo canastrão e não tem nada de inofensivo. Fã e confidente de Fidel, já chamou Bush de “diablo” em plena ONU, mas tem a sua maior fonte de renda no petróleo que vende aos EUA, maior importador da Venezuela (enquanto Cuba sofre c/ embargos econômicos). Esperto, o pendejo. No entanto, a pobreza crônica e o desemprego continuam marcando fortemente a economia venezuelana.
Os protestos em Caracas continuam, e mesmo c/ toda a comunidade internacional condenando sua última peripécia, ele ainda consegue fazer seguidores. Os presidentes Evo Morales, da Bolívia, e Rafael Correa, do Equador, já pensam em fechar canais de TV locais que fazem oposição aos seus governos. Sem querer querendo, Hugo Chávez vai fazendo estragos. Nem precisou fazer a opção levantada pelo jornalista Granier, da RCTV – ele É o líder da nova esquerda latino-americana, e também um ditador.
Adolfo Sá - trabalha em uma TV estatal e é fã do Chaves (o seriado) ilustrações: La Brasa & Sus Amigos

6 comentários:

Escarro Napalm disse...

Não consigo ter uma opinião formada do tipo Deus/Diabo quanto a Hugo Chavez. Essa decisão de fechar a TV talvez (friso o talvez) tenha sido exagerada. Mas eu recomendaria ao nobre articulador deste blog que procurasse meios alternativos de informação além dos da grande imprensa, pois isso é briga de cachorro grande e há MUITOS e GRANDES interesses por trás das noticias. Não tenha medo de ler revistas de esquerda, caro amigo. Leia também a Caros Amigos e a Carta Capital. Essa TV foi golpista pra cacete sim. Já viu um documentário chamado A REVOLUÇÃO NÃO SERÁ TELEVISIONADA, sobre o golpe na Venezuela ? Pois, as TVs privadas incitaram abertamente o povo contra o presidente, chegaram a exibir chamadas de 15 em 15 minutos convocando o povo às ruas para apoiar o golpe - mas o o povão mesmo, a massa, foi às ruas em apoio a Chavez, pra tristeza deles. Porque será ? Porque finalmente o povão está vendo um pouquinho a cor do dinheiro do petroleo na Venezuela. Há inumeros projetos sociais de saude e educação nas favelas, coisa que não existia até então. Chegou-se ao cumulo de num programa de receitas culinãrias na televisão na época ser elaborado um prato chamdo "receita pra derrubar o presidente". Mas enfim, Chavez nem pode reclamar muito, pois ele mesmo também já foi um golpista. É tudo muito confuso. Mas pelo menos ele é abusado, ao contrário de Lula, que mete o rabo entre as pernas e vai mandar o povo plantar cana por ordens superiores - e de quebra chama os unsineiros de heróis, pede desculpas a Sarney pelas criticas que fez à ferrovia norte-sul, é amigo de Delfin ...
ê mundo doido.

Viva La Brasa disse...

Quem tem medo da esquerda? Eu tô mais pra anarquista que pra capitalista, e sou a favor da liberdade antes de tudo... Não defendi a RCTV especificamente, só acho que fechar a parada é uma tremenda palhaçada e abre um precedente perigoso... O cara é um mala, fala sério. Acho foda que a esquerda sofreu pra caralho na mão da direita, e qdo chega ao poder faz igual e até pior... Talvez eu devesse assinar a Caros Amigos, mas prefiro gastar meu dinheiro c/ revista de mulher pelada. Abrax @

espedito disse...

Interesses à parte, esse tal de Chavez é um pé no saco de qquer 1 c bom senso

Escarro Napalm disse...

Hey, desculpa se pareci pedante te recomendando leituras heim. Só quis dizer que esas paradas de politica têm sempre muitas questãoes envolvidas e tudo que se fala a respeito na imprensa é sempre uma visão parcial da coisa, geralmente contaminada pela ideologia - o que é natural, ideologia é apenas a forma pela qual a gente vê o mundo, interpreta os fatos. Não acho errado jornalista ter ideologia, acho errado ele esconder que as têm. Então, por conta disso, acho fundamental que se procure informar pelas fontes as mais variadas possiveis. Que se leia a Veja, A Istoé e a Época, mas também a Carta Capital, Caros Amigos ou piauí. Vai se formar uma tempestade mental em sua mente, mas é melhor do que ter "aquela velha opinião formada sobre tudo", heheheheheh
Um abraço e tudo na paz, tranquilo.
E viva as revistas de mulher nua.
Adoro.

Adolfo Sá disse...

Nah, cara, tá em casa, basta ver o post sobre o Escarro (zine/blog). Eu já esperava uma polêmica nesse texto do Chávez, e valeu mesmo as dicas de leitura... Acho a Veja uma merda, mas as que vc recomendou são ducaralho, só aproveitei pra tirar uma onda, heheh. Keep on truckin´, bastardo.

Anônimo disse...

...Durante oito dias, em 2005, assistir a RCTV. Jamais tinha visto uma emissora de tv chegar ao cúmulo de pedir, sem qualquer cerimônia, a morte do presidente Chávez...
leia mais...
http://www.infonet.com.br/colunistas/ler.asp?id=60072&titulo=Cristian_Goes