terça-feira, fevereiro 12, 2008

PERIFERIA
Não é a Regina Casé, é o Ganso "Hot Black"

Estréia hoje pela TV Brasil o episódio piloto de PERIFERIA, projeto do Marcão & Hot Black sobre a produção cultural dos bairros pobres das cidades - mais especificamente, de Aracaju. Hot Black (vulgo "Ganso") e Marcão são rappers e têm uma banda, a Mensagenegra, e um programa de rádio, o Império Periférico (104,9 Mhz). Fechando a trinca, Júlio "Detefon", skatista/ videomaker que colabora c/ imagens e reportagens.
Ganso apresenta o programa, e como não poderia deixar de ser, os temas que envolvem o hip-hop dão a tônica: neste nº 1 tem matérias c/ a banda Mente Armada e o skatista Fabrízio "Cara de Sapo", e entrevista c/ uma psicóloga especializada em menores delinqüentes (tema: redução da maioridade penal). O cenário é um muro grafitado nos fundos do prédio da Aperipê TV, e os convidados ficam sentados num banco de carro apoiado em calotas e pneus velhos. Bem favela mesmo. Mas a TV fornece toda a infra, e a liberdade de criação é total. O projeto começou sob a batuta de Raphael Borges, o "Mingau", moleque de atitude que mês passado ganhou um festival nacional de curtas valendo um curso de cinema de 2 anos em São Paulo. Antes de sair fora, Mingau passou a bola pra mim, que agora dirijo e edito o programa.
Não sei se o Periferia vai ser veiculado definitivamente em rede nacional, mas já estou trabalhando nas próximas edições, que trarão, entre outras coisas, entrevista c/ o skatista Adelmo "Juninho", matéria sobre o projeto social que os Guerreiros Revolucionários desenvolvem na comunidade do Bugio, e um rolê do Ganso pelo evento de graffiti "Just Write My Name", em SP, registrado pelo Toni C., autor do documentário "É Tudo Nosso".
Periferia, hoje, 19:00 H, TV Brasil.
É "nóis" na fita.
CENAS DOS PRIMEIROS EPISÓDIOS:
Abertura do programa...O que esses caras estão tramando?..Hot Black na quebrada do Mente Armada...Alex (Mente Armada) mostra seu "Instinto Cabuloso"...Fabrízio Santos "Cara de Sapo"...Aula de skate..."Just Write My Name"... DJ Buiú...

por Adolfo Sá

7 comentários:

Anônimo disse...

e aí? vai ser toda terça? perdi a exibição, 7 hrs é muito cedo! e aqui em s.p. é tv cultura, tv brasil só a cabo... se vc tivesse noticiado antes, daria pra se programar. mesmo assim parabéns, abraço!

Exp. Santos

Anônimo disse...

É isso aí, Adolfo. Até que enfim! Como sempre texto que flui muito bem e com muita informação. Quanto ao programa dos 'manos', ficou muito bom e bem editado. Parabéns!

Anderson Ribeiro

Emerson Wiskow disse...

Opa! cara, fazia tempo q não passava por aqui. continua beleza.
abração

Álvaro Müller disse...

Grande Sá!

Acho muito válida a iniciativa dos caras e a edição dispensa comentários. Porém, faço uma ressalva: espero ver um dia essa galera fazendo hap e hip-hop sem precisar copiar as gírias e as vestimentas da turma do Sudeste. Aí, sim, poderemos ver da nossa periferia a sua própria cara.

Mas fica aqui a minha admiração pela iniciativa dos caras e pela edição do programa.

Bandeira de Melo disse...

Adolfo, Ganso e Equipe!

Quando o morro desce o asfalto, a dialética estabelecida é de pura magia e de pleno vigor. As sociedades brasileiras devem entender que a unidade é a saída para tudo que complica o nosso crescimento enquanto país e enquanto sociedade plural.

Parabéns pela direção, pela edição e a Aperipê TV assume uma postura política necessária ao dar espaço, voz e vez à nossa periferia.

Saudações,
Bandeira de Melo

Maria Eugênia disse...

Oiii Professor.Muito bom seu blog. Adorei!!! Assuntos muito interessantes. rsrsrs...

Beijossss... VIVA LA BRASA!!!!

Julieta Menezes disse...

Parabéns pelo blog e principalmente pela postagem sobre o programa,Ganso para mim é indizível,não existe ser melhor para assumir o comando!!
Deixo aqui meu escrito sobre a Periferia:
“Extremidades escondidas
Bordas excluídas
Pessoas esquecidas
Vidas suicidas

Muros visíveis
Dividem os invisíveis
A sociedade não enxerga
Que a ‘periferia’ não é cega

Os ‘marginais’ do sistema
Discutem seu problema
A comunidade está em alerta
Buscando a saída certa

Os muros já foram quebrados
Os manos estão passando o recado
Que a periferia também escuta
E não só tem filho-da-puta

As rachaduras não são problemas
Servem como mapas do sistema
Os esquecidos precisam ser entendidos
Para diminuir o número de feridos

‘Periferia’ sabe ler
‘Periferia’ sabe escrever
Está assustado por quê?
Por ser o último a saber?

Os galhos não podem ser cortados
Precisam se espalhar por todos os lados
Esta é a natureza do movimento
Não adianta jogar cimento

Se o sistema procura um culpado
A periferia encontrou um aliado
Pois só através da luta
A vitória pode ser justa.”

Abraços, Julieta Menezes