quinta-feira, junho 25, 2009

GOLD COAST DO AGRESTE Baía Formosa é a praia onde Fábio Gouveia forjou seu surf. Precisa dizer mais? Nascido em João Pessoa, um lugar que dá menos onda que Aracaju, o paraibano – campeão mundial amador em 1988, Top 5 WCT 1992, campeão WQS ’97, bicampeão brasileiro e chefe do estilo – pegava carona em caminhões pau-de-arara p/ surfar umas paredes alinhadas no point break de direita do Rio Grande do Norte.

Em seu mais recente post no blog da Hang Loose [marca que o patrocina há 21 anos], Gouveia escreveu: “[...] cheiro de surf ou de mato queimado? Coisas lembram coisas. Músicas, cheiros etc. lembram coisas. E mato queimado com brisa me lembra Pontal de Baía Formosa e suas ondas em dias clássicos.

Dias clássicos porque ao passar pela plantação de cana de açúcar queimada para a colheita na rodovia que liga a BR 101 com o município de Baía Formosa, sempre coincidia de o mar estar bom, ou pelo menos, muitas vezes estava.


Pode crer, Fabinho, cheiro de mato queimado me lembra surf também. Mas nada a ver c/ cana-de-açúcar. Aqui na área, quando o vento pára, antes ou depois da chuva, é sinal de que ‘tá dando onda. E vento parado, a fumaça não dissipa...

LÁ DO NORTE
Eliade Pimentel é jornalista, nascida e criada em Natal [RN], e minha amiga há quase 15 anos. Nos conhecemos num congresso de estudantes de comunicação na USP, eu namorei uma amiga dela, a Luciana, nos reencontramos num carnaval de Olinda, mas aí eu já ‘tava namorando outra... Mais recentemente, voltamos a nos falar pelo Orkut, e como o mundo é pequeno e redondo, recebi um e-mail do site LadoNorte, de outro amigo jornalista – o Jesuíno André, longboarder paraibano roqueiro & pai-coruja do Natan – c/ a cobertura da 5ª etapa do circuito nordestino de surf profissional, escrita por ela.

O campeonato aconteceu na Praia do Pontal, o principal pico de BF, aquele mesmo onde o ‘Fia’ moldou sua linha. Apenas 2 sergipanos competiram desta vez: o amador Kayan Barbosa e o pro Rafael Melo [foto]. Kayan dançou logo de cara, mas Rafael ‘Galego’ venceu bem sua bateria de estréia [13,17 pontos], dichavando uma direita servida c/ um tubo intercalado por batidas e rasgadas.

Em seus melhores momentos, a onda da Baía Formosa lembra as direitas da Gold Coast australiana, como Snapper Rocks e Burleigh Heads, guardadas as devidas proporções. São linhas que ora quebram tubulares, ora gordas, mas sempre emparedando e permitindo a conexão c/ a próxima sessão. É uma das ondas mais perfeitas do Nordeste.


SANTA GRANOLA
O campeão foi o local Alan Jones, que já havia vencido uma etapa este ano, em Pernambuco, e também feito a final em Sergipe, onde terminou em 3º. C/ a vitória em casa, Jones assume a liderança isolada do ranking a uma etapa do fim. Mas deixo p/ a Eliade contar esta história. Afinal, graças à granola Delícias Lilica, produzida por ela, o nativo da BF retira energia p/ vencer tanto: “Sua mãe, Cida, sempre coloca o cereal na vitamina do atleta. Faz efeito, hein, olha a saúde do garotão!”. C/ a palavra, Eliade Pimentel, minha amiga jornalista natalense, assídua freqüentadora da Gold Coast do Agreste:

[...] Acabou hoje o Greenish Pro 2009, que vale pontos para o circuito nordestino profissional. Quando ouvi o locutor anunciando José Júnior, Chupetinha, para a primeira bateria do dia, fui correndo assistir ao espetáculo. E não deu outra, ele fez a melhor pontuação.


Durante todo o campeonato, diversos rapazes da cidade entraram no mar e mostraram que conhecem bem o Pontal, a praia mais bonita de todo o litoral potiguar, ou, a mais enigmática, com todas as suas pedras e seus mistérios. De todas as baterias que tive a oportunidade de assistir, desde a primeira, disputada no domingo, em que Alan Jones foi o líder, senti uma emoção diferente, por ver os surfistas de BF se destacando em meio a todos aqueles nomes que a gente vê nas revistas (quem acompanha o noticiário de surf, naturalmente).


[...] Hoje à tarde, um dos surfistas mais queridos de toda Baía Formosa, filho de um casal massa, Cocota e Cida, confirmou o favoritismo para a etapa e faturou o primeiríssimo lugar, além de ter garantido outras premiações pelo fato de ter conquistado a melhor pontuação (somatório), expression session e melhores ondas (confirmem tudo isso no www.cearasurf.com.br, porque eu não entendo muito de “surfês”).

ALAN JONES é um cara tímido, creio que saiu ao pai. A mãe, Cida, é mais expansiva. Nas ondas, o menino cresce e aparece. Na cidade, rolou a maior carreata, exatamente porque ele é amado e idolatrado por todos os outros surfistas da região. O locutor do campeonato falava que parecia gol do Brasil quando ele estava no mar. E parecia mesmo, porque na cabeça de toda a torcida, era cada um deles que estava dropando no mar do Pontal.


Nesse tempo em que freqüento a cidade, os nomes se repetem, confirmando que muita gente tem talento naquela praia linda. Chupetinha, campeão nordestino uns anos atrás, continua na luta, sempre viajando a trabalho. Esdras Cavalcante e seu primo Júlio Cavalcante (Nego), no ano passado, faturaram o Pena Amador, entre outras conquistas campeonatos afora. Alan Jones ultimamente tem se destacado bastante e seu nome está no auge, como um dos primeiros do ranking.
E Ítalo Ferreira [foto], um menino talentosíssimo que virou até estrela de cinema (Surf Adventures 2) .

No dia a dia, outros meninos e meninas entram no mar de BF, seja no Picão (Praia do Porto), no Pontal, no mar aberto ou no Secret Point. Costumo dizer que filho de pescador em Baía Formosa é o próprio peixe, porque a maioria do pessoal tem talento para o surf.


E a mim, sobra apenas a vontade de sentir aquela liberdade que essa turma emana quando está no mar
. Eu fico com meu banho de mar no Pontal, mesmo em cima das pedras, ou em frente à cacimba de dona Raimunda, o local onde eu me apaixonei definitivamente por Baía Formosa. Ai como eu amo essa cidade, seus habitantes, seu modo de vida e suas belezas naturais.


Valeu Greenish por proporcionar mais uma importante etapa do circuito, e valeu a todos que estavam trabalhando em prol desse campeonato.
Aos surfistas de Baía Formosa, um recado: cuidem do seu quintal, ajudem a preservar o Pontal.

COMBI

O campeão passou metade do tempo da bateria final em 4º lugar, mas virou o jogo c/ uma onda acima dos 9 pontos e outra perto de 8, colocando seus adversários em combinação. Os pernambucanos César Molusco [foto] e Halley Batista terminaram em 2º e 3º lugares, respectivamente, e a revelação local, o mirim Ítalo Ferreira, fechou em 4º.

Jones tem apenas 19 anos. C/ a 2ª vitória no circuito este ano, o nativo de BF soma 5960 pontos e praticamente garante sua vaga no Super Surf 2010. Se ele confirmar o favoritismo na última etapa, será a 1ª vez que um título da ANS ficará nas mãos de um potiguar.

A seguir, fotos do campeonato e imagens de Kayan e Galego direto do YouTube. O fotógrafo é Rodrigo Mesquita, que está seguindo todo o circuito. O clip, filmado e editado por Léo Menezes, não tem música de BG, mas vale pela onda high score do Rafael Melo, na qual o ‘Galeguinho’ dropa, rasga, encaixa no trilho, bota p/ dentro e segue esporrando a danada até o inside. Quem quiser conferir o vídeo oficial do evento, é só clicar AQUI.
* GREENISH PRO - BAÍA FORMOSA *
Felipe Martins, power surfer de Natal [RN]
Rafael Melo [SE] passando por dentro
Alan Jones, local da BF, campeão e líder
MUCHAS GRÁCIAS a Fábio Gouveia, Eliade Pimentel, Jesuíno André, Leonardo Menezes e Rodrigo Mesquita

Um comentário:

fabio" binho "nunes disse...

caraca Brasa vc desenterra cada coisa classica!!!!!

....como diria o Joel Santana, é crassico , prayer , mete form behin, mte from de midium.....