terça-feira, setembro 29, 2009

LUA DE FELEu sou o demônio, e vim aqui fazer o trabalho do demônio! Susan Atkins, 09 de agosto de 1969.

Em uma noite de verão, um homem acompanhado por 3 garotas sobe em um poste e corta a linha de telefone do nº 1050 na Cielo Drive, Califórnia. Em seguida, invadem a propriedade e assassinam a golpes de faca todos que encontram por lá: o playboy Wojciech Frykowski, o cabeleireiro Jay Sebring, a socialite Abigail Folger e a atriz Sharon Tate, grávida de 8 meses e ½.

Tate era um dos símbolos sexuais dos anos 60, uma das mulheres mais bonitas do mundo, recém-casada c/ o cineasta Roman Polanski, c/ quem contracenou em Dança dos Vampiros, longa-metragem de ‘67. Nascido na Polônia em 1933, Polanski teve seus pais enviados p/ Auschwitz na 2ª Guerra Mundial, e sobreviveu refugiado em casas de famílias católicas nas zonas rurais da França.

ATÉ QUE A MORTE OS SEPAREO assassinato de Sharon Tate não teve motivações políticas ou sexuais. Ela morreu porque era a pessoa errada no lugar errado. Seus assassinos – Charles Watson, Susan Atkins, Linda Kasabian e Patricia Krenwinkel – estavam numa missão a serviço de um guru, Charles Manson: destruir a casa que pertenceu ao músico Terry Melcher e matar todos que lá estivessem.

A obsessão de Manson por Melcher começou um ano antes, quando ambos foram apresentados pelo Beach Boy Dennis Wilson. Na época, o serial killer era um compositor de rock iniciante que queria um contrato. Terry Melcher se recusou a fechar um negócio”, explicou a revista Rolling Stone em sua edição brasileira de agosto de 2008.

Em março de ’69, o casal Roman & Sharon alugou o rancho de Terry. 6 meses depois, na noite fatídica, Polanski estava na Inglaterra, filmando uma nova versão de Macbeth, peça shakespeariana c/ fama de maldita. Àquela altura, ele já era um dos principais diretores de cinema do planeta: seu 1º longa, o francês Faca na Água, foi premiado no Festival de Veneza e indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro; Armadilhas do Destino e Repulsa ao Sexo, ambos rodados na Inglaterra, lhe renderam os Ursos de Prata e de Ouro no Festival de Berlim.

Foi em uma produção EUA/Inglaterra que Polanski conheceu Sharon Tate: ele escreveu, dirigiu e atuou em Dança dos Vampiros, estrelado pela beldade americana. Em ’68, estréia em Hollywood c/ O Bebê de Rosemary, sucesso de público e crítica, filme de terror sobre uma mulher grávida que carrega, sem saber, o Anti-Cristo em seu ventre.

Numa bizarra ironia, 1 ano depois sua esposa na vida real é assassinada c/ 16 facadas às vésperas de dar à luz. Watson, o executor, diria no julgamento que Sharon “implorava por misericórdia p/ ter seu filho”, até morrer sussurrando apenas a palavra “mãe...”. Susan Atkins, que descreveu-se como “o demônio” à 1ª vítima da noite [Frykowski], usou o sangue derramado da atriz p/ escrever a palavra “PIG” na porta da casa, antes de sair.

PUNIÇÃO, REDENÇÃO...A ‘Família Manson’, como ficaram conhecidos os assassinos de Sharon Tate, só foi presa em dezembro e julgada no ano seguinte, num processo que durou até 1971. Foram todos condenados à pena de morte, embora suas sentenças tenham sido reduzidas posteriormente p/ prisão perpétua. Apenas Linda Kasabian foi liberada, por ter atuado como testemunha de acusação. Polanski só retornou aos EUA em 1974, p/ dirigir Chinatown, suspense policial que se tornaria um clássico do cinema. Durante as filmagens, torna-se amigo do ator principal, Jack Nicholson. Uma parceria que não daria muito certo.

Em ’77, o cineasta franco-polonês realizou na casa de Nicholson uma sessão de fotos c/ uma modelo americana, Samantha Geimer, p/ a revista Vogue. “Tudo ia bem, até que ele me pediu p/ trocar de roupa na frente dele”, contou a menina no tribunal, meses depois. “Ele me fez beber champanhe e tomar Quaalude. E abusou de mim.” Como se a acusação de estupro não fosse o suficiente, ainda havia outro agravante: Roman tinha 43 anos; Samantha, 13.

Os pais da garota abriram um processo por violência sexual. A princípio, Polanski declarou-se inocente, mas 6 meses depois mudou de estratégia [orientado pela defesa] e declarou-se culpado por “corrupção de menor”. O juiz Lawrence Rittenband recomenda 3 meses de prisão p/ “exames mentais”, e Roman passa 47 dias no hospital-presídio de Chino, Califórnia. Liberto sob condicional em janeiro de ’78, foge p/ Paris ao saber da possibilidade de ser condenado à pena máxima, 50 anos.

Polanski nunca mais pisou nos EUA. Exilado na França, adaptou o romance Tess, de Thomas Hardy, em 1979, c/ a jovem Natassja Kinski, filme que lhe rendeu 3 prêmios César e uma indicação ao Globo de Ouro e Oscar. Confirmou o bom-gosto p/ mulheres casando-se c/ Emmanuelle Seigner, estrela de seus filmes nos anos 80/90, como Busca Frenética [c/ Harrison Ford] e Lua de Fel [c/ Peter Coyote e Kristin Scott Thomas].

No início dos anos 2000, voltou à cena c/ O Pianista, história passada nos anos 40 c/ toques autobiográficos. O filme lhe deu a Palma de Ouro em Cannes em 2002 e o Oscar de melhor diretor em 2003 – que não foi receber, por razões óbvias. “Usei minhas memórias e material da época, mas não é a minha biografia”, esclarece o polêmico cineasta.

... E PUNIÇÃO NOVAMENTE

Após quase 40 anos na cadeia, o hippie-satanista Charles Manson tornou-se um misto de ermitão e ícone pop, fazendo música em parceria c/ Axl Rose e inspirando até o batismo de um astro do rock, Marylin Manson. O assassino de Sharon Tate, Charles Watson, converteu-se ao cristianismo e poderá tentar a liberdade condicional em 2011, quando completará 65 anos. E Susan Atkins, a que dizia ser o demônio e escreveu “porco” c/ o sangue da atriz, morreu na última quinta-feira, 24, de câncer no cérebro.

Dois dias depois, Roman Polanski foi preso em Zurich, onde receberia um prêmio especial por sua obra, logo ao descer no aeroporto. A acusação é a mesma de 1977: drogar e estuprar Samantha Geimer, quando ela era menor de idade. Em 1994, Polanski pagou uma indenização de US$ 225.000 a Samantha, encerrando o processo civil. Mas o procurador Roger Gunson negou-se a absolvê-lo no expediente criminal, e fixou uma nova pena de 4 anos.

Aos 76 anos, o velho ‘Pola’ vive a real possibilidade de ser extraditado p/ os EUA e passar um bom tempo atrás das grades, por um crime cometido há 32 anos. Paralelamente, o Brasil se meteu em uma confusão diplomática inversamente parecida, ao abrigar o presidente deposto Manoel Zelaya em sua embaixada em Honduras, em meio a um governo militar golpista. Mas essa é outra história...

A prisão de Polanski é resultado da rejeição definitiva do pedido de suspensão das acusações pelos advogados de defesa, e de um acordo entre EUA e Suíça, avalista da milionária dívida do banco UBS, que quase foi à falência na crise de 2008, após gestões fraudulentas. “No filme O Terceiro Homem, de Orson Welles, a Suíça é tratada como fabricante de cucos, mas se poderia acrescentar alguma coisa mais grave que seus relógios, sua cumplicidade na 2ª Guerra, seu segredo bancário receptador das riquezas do 3º mundo e, agora acuada por Kadhafi e pelos EUA, [...] seus exercícios genuflexórios diante de um e do outro”, escreve Rui Martins direto da cidade suíça de Berna:

Pior, porém, que tudo isso, é a falta de uma consciência política e cultural, mesmo sendo um país rico, coisa que enfurecia o dramaturgo Durenmatt e o escritor Max Frisch, sem se esquecer os acessos de ira do sociólogo e escritor Jean Ziegler, todos os três suíços. A Suíça é rica, mas infelizmente inculta e sem visão.

ÚLTIMO ROMÂNTICO"Aos olhos de muitas pessoas, eu passo por uma espécie de gnomo e de depravado, mas meus amigos, e as mulheres de minha vida, sabem ao que se ater", escreveu Polanski em ‘84, na autobiografia Roman.

O estupro de Samantha Geimer está no filme Polanski, de Damian Chapa, lançado em 2005. A notícia da prisão do cineasta causou congestionamento em sua página na Wikipedia, que teve bloqueada a edição de conteúdo: “As discussões no fórum da enciclopédia livre indicam que houve discordância sobre se as acusações de exploração sexual contra Polanski deveriam receber mais destaque do que suas realizações enquanto cineasta”, informa o jornal Telegraph.

O ministro de Assuntos Exteriores da França, Bernard Kouchner, e seu colega polonês, Radoslaw Sikorski, enviaram um pedido de intervenção a favor da libertação do diretor p/ a secretária de Estado americana, Hillary Clinton. “Esta história é um pouco sinistra”, disse Kouchner, que não questiona a Justiça Internacional, mas “a forma como ela foi utilizada neste caso”. Sirkorski não descarta a possibilidade de fazer um pedido formal ao presidente Barack Obama.

Polanski formou-se em cinema em Lodz. Produziu vários curtas na universidade, quase todos experimentais. Em Vamos Arrombar a Festa, organizou um baile de alunos e, sem avisar a ninguém, chamou um bando de hooligans p/ invadir a festa. Em entrevista ao jornalista francês Paul Giannoli, foi bem honesto quanto à sua atração pelas ninfetas, as quais se refere como ‘frutos verdes’: “Eu amo as jovens, 1º porque elas são mais bonitas, é claro, mas principalmente porque elas satisfazem meu desejo de pureza e romantismo.

A própria Samantha, assediada pela mídia na ocasião do Oscar de 2003, absolveu o velho safado: “As pessoas querem que eu guarde mágoa dele. Honestamente, não me sinto assim. Acho ele um diretor realmente bom.

FACA NA ÁGUA

VIDA E OBRA DE ROMAN POLANSKI

Catherine Deneuve em Repulsa ao Sexo

C/ Sharon Tate em Dança dos Vampiros

Dirigindo Mia Farrow em O Bebê de Rosemary

Charles Manson preso pelo massacre na Cielo Drive

C/ Francesca Annis e John Finch, atores de Macbeth

Jack Nicholson e Faye Dunaway em Chinatown



2 comentários:

Anônimo disse...

Foda essa ae Brasa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!, Sempre alguém ter que pagar o pato , principalmente quando ha negociações Políticas no meio ou acordos.
O cara é um genio e fez o que fez, agora colocar o Cara no xilindró é pesado.
Chinetown é muito bom, mais do que um clássico,
vou dar uma pesquizada nessa história dele, acho ele um dos melhores diretores do Drama-Supesnce -sinistro, faz o que faz sem pagar comédia.
Quero ver o tal filme Damian Chapa, deve ser fodão também...

Abraxx

Da Crow

Adelvan k. disse...

50 anos por comer uma ninfeta ??!!! - Cacete, isso é o que se pode chamar de uma xoxota cara, uma foda pro cara se arrepender pelo resto da vida. Os Estados Unidos são um pais de loucos.