sexta-feira, novembro 13, 2009

TRIPLO X Alt Porn é um gênero de filmes de sexo explícito que foge dos clichês da indústria XXX. Significa ‘pornografia alternativa’ em inglês. “Numa tentativa de reinventar ou reinterpretar o pornô, empresas emergem no mercado inspiradas por uma atitude underground, atrelada ao estilo de vida e aos gostos musicais dos produtores, atores e demais envolvidos”, escreveu o jornalista Daniel Carmona no ensaio ‘Alt Porn: o Pornô Infuenciado pelo Rock e pela Liberdade’, de novembro de 2008.
No Brasil, o principal representante do ‘alt porn’ é a produtora Xplastic, de São Paulo. Formada pelos rockers R.Rufião, Marcelo Barbellax e Osvaldo Tatão, estreou em 2002 c/ o vídeo Histórias Sujas, ganhou notoriedade em 2006 c/ OverDrive, e fechou contrato de distribuição c/ a Explícita em 2007, ano de lançamento de Libertinos Séc.XXI, um clássico da putaria c/ Mônica Mattos, Tamiry C., Karen Nofxxx e uma trilha sonora da pesada: Ästerdon, Backseat Drivers, Future Visions, Hater Sonic, Popstars Acid Killers, Salad Star, Firstations, Vincebuz, The Year of The Monkey, Phobia Punk Rockers, Laura’s Problem, Those Fabulous Dirty Tales, Juventude Maldita, Invasores de Cérebros e Miami Bros. “Um vídeo sobre personagens comuns das grandes metrópoles, aqueles que vivem sob suas próprias regras ao som de bandas independentes”, dizem os autores.
O filme mais conhecido da Xplastic une fetichismo, corpos tatuados e sexo hardcore. Os capítulos têm títulos como Joy Stick Joy! e Mulheres Honestas Não Valem Uma Dose de Conhaque. As pessoas gostavam do pornô, mas estavam insatisfeitas c/ o formato único e, portanto, repetitivo”, explica Rufião: “Alt Porn é também fazer o pornô da maneira mais democrática possível. É meio que um faça-você-mesmo.” A tendência surgiu no final dos anos 80 e se consolidou c/ a internet. As principais referências no estilo são as produtoras americanas Burning Angel e Supercult. “O importante é que isso funciona como uma grande família”, diz Rafael Husek, do site Freak Glam: “Conhecemos todo mundo, das modelos aos fotógrafos que sempre trabalham c/ o Alt Porn”.
É uma nova vertente que rompe c/ estereótipos e valoriza o respeito às garotas, o visual punk, surfista, skatista”, diz a produtora multimídia Paula Guedes. “É como um papo de bar levado a sério, contrapõe o gigolô Rufião: “As coisas se misturam e a estética fica interessante. Os próprios meios de comunicação acabam partindo justamente p/ copiar esse jeito amador que vem do Alt Porn. O rótulo serve p/ colocar as coisas na prateleira. Mas tem que tomar cuidado p/ não deixar isso limitar. Esta nova leitura da pornografia nasceu justamente da liberdade do estilo. A função negativa seria justamente limitar o Alt Porn ao pornô de meninas tatuadas, por exemplo, e pronto.
O último lançamento da Xplastic é Indulgência, de 2008. A sinopse, segundo Barbellax: “Um cara gosta de pornografia, olha pro lado, vê uma menina bonita e diz que quer fazer pornografia c/ ela”. Tatão completa:“Arte ou não, é apenas a opinião das pessoas”. C/ vocês, os ‘pimps’ do pornô alternativo nacional em uma entrevista p/ o jornal A-Side:
1. Como vocês começaram a trabalhar com pornografia?
Xplastic: Nós tínhamos uma banda e nós três gostamos de filmes do gênero. Então nós gravamos um videoclip c/ Barbies e mandamos p/ um festival, e o resultado é esse!
2. Logo de cara vocês já sabiam que seriam algo relacionado ao ‘alt porn’?
Xplastic: Nós começamos como pornô, e vários rótulos surgiram depois. Um deles foi o Alt Porn... É apenas um rótulo, chame como quiser, mas não deixa de ser pornô.

3. Atualmente a Xplastic tem uma parceria com a Explicita, uma das maiores produtoras de filmes adultos nacional. Como foi a negociação?
Xplastic: O Marcelo da Explícita leu uma matéria sobre a gente na Sexy Premium e entrou em contato c/ o editor da revista pedindo nosso contato. Nós marcamos um jantar, conversamos e decidimos gravar o filme Libertinos Séc.XXI, o primeiro dessa parceria.
4. E a Explicita só distribui os filmes ou também ajuda, seja no casting de atrizes e atores ou até mesmo durante as filmagens?
Xplastic: Não, isso tudo é a gente que faz. A Explicita só distribui nosso material, ou seja, ela dá total liberdade pra gente, e nós entregamos tudo pronto p/ eles.
5. Fale um pouco dos atuais projetos da Xplastic.

Xplastic: Temos vídeos para mandarmos p/ fora do país, clips de 3 minutos, essas coisas. Nós participamos do Festival Pornô de Berlim e estamos entrando no mundo de podcasts para iPods e celulares.
6. De onde surgem as idéias para os filmes?
Xplastic: A partir de conversas, de outros vídeos que nós alugamos, de amigos... Não existe um lugar ou uma reunião específica do tipo "Vamos pensar nos próximos filmes". Por exemplo, nós podemos ir embora agora, conversando dentro do carro, e surgir alguma coisa.

7. Como é feito o casting de atrizes e atores?

Xplastic: A gente sempre procura novas pessoas pela internet - Orkut, fotologs, etc - ou rola indicações de amigos ou pessoas que já trabalharam c/ a gente. Muitas vezes nós descobrimos rostos novos, como é o caso da Karen Nofxxx, que nunca havia feito nada assim.
8. O que vocês estão achando da cena pornô nacional atualmente?

Xplastic: A cena está ressurgindo. Esses filmes de celebridades - Gretchen, Rita Cadillac, etc - estão fazendo o interesse do público aumentar, e as pessoas começam a procurar coisas novas, fora desse ciclo.

9. Qual a opinião de vocês sobre sites como o SuicideGirls.com ou o GodsGirls.com, ou então vários sites desse estilo que surgiram após a explosão do Alt Porn?
Xplastic: O que levou o sucesso p/ sites desse tipo foi, principalmente, fotologs. As garotas que saem nesses sites, muitas vezes, já se exibiam pelos próprios fotologs, sem ganhar nada p/ isso. Aí um cara, vendo isso, resolveu juntar tudo em um lugar só e disse "eu pago 500 dólares pra você fazer fotos assim"... Sendo que muitas vezes as meninas fariam aquilo sem receber nada em troca, só pelo glamour.

10. A Xplastic já trabalhou com atrizes e atores de outros países?

Xplastic: Nós temos uma cena da atriz Dana De Armond, que o Supercult.com cedeu p/ nós colocarmos no nosso DVD OverDrive. Mas nunca trabalhamos pessoalmente c/ estrangeiros.
11. Vocês, por trabalharem com entretenimento adulto, provavelmente tem alguma atriz favorita. Qual seria?
Xplastic: Cada um tem a sua, mas, no geral, podemos dizer que a Belladonna é uma que agrada a todos. Mas temos outras preferidas, como Sasha Grey, Melissa Lauren, Dana De Armond, Joanna Angel, Kylee Kross, Tiffany Mix, Nina Hartley, etc.
12. Para finalizar, alguma dica para quem quer começar no ramo, seja na frente das lentes ou por trás das lentes?
Xplastic: Quem quer ser ator ou atriz, faça seu caminho pela internet. Seja uma webcelebrity, via fotolog, via orkut, sei lá. As pessoas têm que saber quem você é. Se for por trás das câmeras, tem que ser persistente, não desistir. Mas, no geral, não se pode pensar no que os outros vão achar e tem que fazer porque gosta. Nós, por exemplo, com ou sem Explícita continuaríamos fazendo o que a gente faz.

X-Plastic é pornografia em 3 acordes. Uma banda que faz vídeos desde 1998 contaminando a subcultura c/ um olhar pornográfico. Libertinos Séc.XXI

4 comentários:

Viva La Brasa disse...

Especial de sexta-feira 13

Riot disse...

SUPERCOOL ;)

Boogie Boy disse...

X-plastic rules!!!

qualquer alternativa que fuja do modelo pornográfico do mercado atual será bem vindo...

Long life to X-Plastic!!

Xplastic disse...

Valeu pelo Post!!!