sábado, novembro 21, 2009

DILÚVIO O temporal que atingiu o Rio Grande do Sul na quinta-feira possibilitou uma cena inusitada: surfistas nas águas do arroio Dilúvio, apropriado nome de um canal que corta a cidade de Porto Alegre. Nada a ver c/ Pororoca, um fenômeno periódico e natural em grandes rios. O caso na capital gaúcha, localizada a quilômetros de distância da praia mais próxima, foi de aumento no fluxo de água e acúmulo de lixo.
O designer de pranchas Nelson Pinto, 22 anos, e seus amigos publicitários Juliano Didonet, 21, e Ricardo Dullius, 22, encararam a correnteza gerada pelas fortes chuvas p/ surfar as ondulações do rio de esgoto, na esquina da avenida Ipiranga c/ a rua Lucas de Oliveira, no bairro Petrópolis. Neste local, o arroio tem um desnível que forma a ‘onda’. Não precisa dizer que o maior perigo era a poluição, e não as paredes de concreto do canal – havia a possibilidade real de adquirir hepatite ou outra doença nas águas contaminadas.
A correnteza estava muito forte. Ficamos com receio, mas depois que Nelson foi, a gente caiu também. Valeu a pena”, disse Dullius à repórter free lancer do jornal Zero Hora, Marcelle Santana. O episódio remete ao surf no Eisbach, em Munique, um arroio do rio alemão Isar. Oficialmente proibida, a prática nesse riozinho já foi tema de propaganda dos relógios Swatch [estrelada pelo havaiano Conan Hayes no papel de um invasor noturno] e recentemente registrada pelo brasileiro Pablo Aguiar no filme Simples Olhar [c/ os pros James Santos e Cássio Sanches].
Aqui no Brasil o surf em canais urbanos também não é permitido. A aventura de Nelson, Dullius e Didonet durou poucos minutos. Antes que chegasse a primeira viatura, os 3 fissurados surfistas gaúchos evadiram-se do local do crime. De cabeça feita.
RIO DE NOVEMBRO [POA/RS - 19/11/2009]
SURFAR NUM RIO REVOLTO PERTO DE UMA BORDA DE CONCRETO É MOLEZA...
...DIFÍCIL MESMO É DESVIAR DAS GARRAFAS PLÁSTICAS E COLIFORMES FECAIS

2 comentários:

Espedito Santos disse...

"Aquele riacho deixa o Tietê no chinelo. É muito podre; passa ilha de fezes boiando, bicho morto, vocês nem imaginam", diz Pedro Felizardo, fotógrafo gaúcho residente na Gold Coast, Austrália.

(do site Waves)

Viva La Brasa disse...

"Ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão."

Nós dois (eu e o Waves) roubamos a notícia do portal Terra, que por sua vez roubou do Zero Hora.

Valeu, EXP.