quinta-feira, novembro 12, 2009

ROQUEIRAGEM No último fim de semana, alguns dos melhores grupos de rock dos anos 80/90 se apresentaram no Brasil. Em Natal [RN], os escoceses do Exploited – precursores do hardcore – se apresentaram no Festival DoSol, que contou c/ mais de 30 bandas, entre elas o power trio canadense Danko Jones, as pernambucanas Eddie e Devotos, as sergipanas Plástico Lunar e The Baggio's, e os baianos do Retrofoguetes, entre tantas outras.

No Rio de Janeiro e em São Paulo, rolou o Maquinária, megafestival que trouxe os quarentões do Jane's Addiction e Faith No More. As duas bandas haviam acabado e estão de volta em suas formações quase originais. O evento ainda teve Deftones, Evanescence e Panic at the Disco no cast internacional, e Sepultura e Nação Zumbi representando a terrinha.

No blog do Programa de Rock [104.9 MHz] você encontra a cobertura completa dos 2 festivais: o paulista Marcos Bragatto, do portal Rock Press, esteve em Natal, e a carioca Deise Santos, do Revoluta, e o piauiense Fernando Castelo Branco, da banda Káfila, conferiram os shows no Rio e em Sampa, respectivamente. Alguns dos melhores momentos:

EXPLOITED

Não é qualquer dia que se vê um símbolo vivo do rock, carregando no peito sua própria imagem. Pois quem se acostumou a reconhecer a caveira moicano do Exploited no imaginário coletivo do rock, pôde ver, ontem à noite, em carne e osso, a cabeça que lhe deu origem. Quando Wattie subiu no palco para encerrar um dia em que treze bandas se apresentaram, trouxe com ele toda a história do punk mundial, que certamente não seria a mesma sem a interferência do Exploited.MB, de Natal

JANE’S ADDICTION

O show que se espera de uma banda como eles. Tudo é muito profissional. Um belo pano de fundo usava uma gravura de uma caveira mexicana, estilo ‘dia dos mortos’, o telão passou um trecho de um filme onde a banda é citada. Bailarinas, uma delas esposa do vocalista Perry Farrell, interagiram em Three Days, Summertime Rolls e na jam final, com passistas de uma escola de samba (talvez o ponto baixo: clichê e brega). Dave Navarro deu pití com um fotógrafo, mas sem grandes consequências. Perry Farrell é o último dos andróginos, uma coisa entre Bowie e Ney Matogrosso.FCB, de SP

FAITH NO MORE

Parecendo não querer perder tempo, a banda explodiu a sonoridade de From Out of Nowhere – uma viagem no tempo aos idos anos 90 – que fez o público vibrar. Na sequência, o vocalista provoca ao dizer que a música que irão tocar é uma homenagem ao seu primeiro amor, Iris Lettieri – locutora carioca, que trabalhava no Aeroporto do Galeão. Patton, em sua primeira passagem pelo Rio, ouviu a voz de Iris no aeroporto e ficou encantado [...]. Feita a provocação – já que Iris processou a banda por usar sua voz indevidamente no álbum Angel Dust –, eles dispararam uma versão de Evidence, com pitadas de brasilidade.DS, do RJ

No blog do Binho Nunes estão disponíveis as 3 primeiras músicas do show do FNM: “Mike fez o impossível dentro do palco, cantou muito (por sinal sua voz continua brilhante e bem conservada), atuou, gesticulou, falou português, pirou geral quando foi parar frente a frente ao público e definiu a noite com a frase: PORRA CARALHO!

Ah, e ainda teve Iggy Pop & The Stooges, Sonic Youth e Primal Scream no Planeta Terra Festival, no Playcenter [SP]. Os velhinhos botaram pra quebrar nesse finde...

DANKO JONES no Festival DoSol, em Natal

"TOCA RAUUUL!"

3 comentários:

Adelvan disse...

foi rock pra caralho. Fiz uma resenha do Sosol pro Portal Revoluta, assim que estiver noa r coloco o link aqui.

Marcos Bragatto disse...

Copiar o meu texto e colocar aqui sem citar a fonte correta é um erro terrível. Agora, me chamar de paulista já é sacanagem, né?

Marcos Bragatto

Deise Santos disse...

Nossa, por acaso achei isso aqui publicado... Porque você não pediu autorização. Não teve Maquinaria no Rio de Janeiro. O show do Faith no More no Rio de Janeiro foi só deles, com uma banda de abertura. Chamar o Bragatto de paulista foi sacanagem mesmo...