domingo, março 14, 2010

GLAUCO

A primeira pessoa que recebeu ele em São Paulo fui eu. Ele dormiu na minha casa, comeu da minha comida, paquerou a minha mulher (risos), ele teve uma participação intensa na minha vida. Perdi uma boa parte da minha história com a morte do Glauco. Éramos amigos muitos íntimos e tínhamos uma relação forte. Apesar de distante nos últimos tempos, o nosso elo não havia se quebrado. Tinha algo que se encaixava entre mim, Laerte e Glauco. ANGELI

O Glauco costumava faltar bastante aos encontros de Los 3 Amigos, pelo menos na época em que eu participei do bando. Mas quando ele aparecia dava conta do recado em segundos e logo sumia novamente. Ele tinha um dos traços mais difíceis de imitar. Era muito caligráfico, quase uma assinatura. O Laerte era o único que conseguia fazer o boneco do Glauquito quando o Glauco não estava. Numa entrevista com Los 3 Amigos, o Glauco faltou a sessão de fotos e nós tivemos a idéia de fazer uma caricatura dele pra preencher sua falta. Que notícia de merda, essa, hein?ADÃO ITURRUSGARAI

Foi na revista dele que eu publiquei meus primeiros desenhos, que mandava pra sessão de cartas. Ele tinha aquela coisa de responder, agradecer o envio dos desenhos. Glauco, Angeli e Laerte são os responsáveis por fazer no Brasil essa coisa do quadrinho adulto. Eles vêm com esse humor que fala mais de comportamento, que mostra tipos de pessoas mais próximas do real. WEAVER LIMA

A trajetória dele na época da censura foi um divisor de águas. Ele fazia um humor mais ácido e muito engraçado. A atuação dele como chargista foi algo fantástico, e depois, como quadrinista, ele criou um estilo de personagens completamente fora dos padrões. É o fim de uma proposta de humor que moldou as novas gerações. O Angeli, o Glauco e o Laerte eram os três mosqueteiros. Agora ficam só dois. CAMILO RAINI

***Meu traço não é bom para retratar o futuro. Corro o risco de não falar a língua da moçada.A notícia do assassinato de Glauco Villas Boas e seu filho Raoni na madrugada de sexta deixou não só os fãs de quadrinhos, mas todo o Brasil triste. C/ seu traço limpo e anguloso e humor inusitado e ligeiro, Glauco marcou os anos 80 c/ a revista do Geraldão – o solteirão donzelo tarado pela mãe que passa o dia se drogando – e toda uma galeria de personagens desajustados e cômicos: Doy Jorge, Casal Neuras, Dona Marta, Zé do Apocalipse... Nos anos 90 fez roteiros p/ o TV Pirata e a TV Colosso na Globo e fundou a própria igreja, Céu de Maria, seguindo o Santo Daime.

O Angeli sempre tirou muito sarro de mim porque eu sou muito místico”, disse em 2001 numa entrevista: “Sou pisciano. Sempre gostei da linha espiritual, de estudar. Depois que eu comecei a freqüentar o Santo Daime – que é uma bebida que vem lá da Amazônia, que os índios consagram – Angeli e Laerte tiraram muito sarro dessa minha nova jornada. Chegaram a fazer história sobre o Glauquito, que encontrou suas raízes, montou uma seita e fez um chá com as suas raízes.

Hahaha! Até quando falava sério o cara era engraçado.

Eu sou daimista. Criamos um grupo de estudo e passamos a receber o Daime lá da floresta. É um centro de pesquisa espiritual. O Daime tem um potencial de cura muito grande. Eu coordeno o ritual, que é bastante musical. São vários hinos, recebidos pelos caboclos lá da mata, que a gente executa depois de ter ingerido o Daime. A gente faz um trabalho musical e as pessoas vão estudando, dentro da força do Daime, porque ele é um expansor de consciência. Me trouxe muita disciplina, principalmente com meu trabalho de cartunista, do traço. Também relacionado à saúde, porque eu era muito exagerado, boêmio, e isso atrapalhava o meu dia-a-dia. O traço é uma coisa que você precisa estar harmonizado com você mesmo. Senti uma evolução muito grande no meu trabalho e em todos os aspectos da minha vida.

Ironia maldita, Glauco e seu filho morreram após serem baleados 4 vezes cada por um ex-frequentador do culto, Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, playboy junkie que invadiu o sítio do cartunista dizendo ser Jesus Cristo. “É uma tragédia”, lamenta Adão Iturrusgarai, o ‘4º amigo’ dos 3 Amigos. “Ele era muito rápido pra descobrir os seus pontos fracos e detonar com você. Era muito divertido”, Adão diz, referindo-se a Glauco, não ao demente do ‘Cadu’, que até o fechamento deste post continuava foragido: “É muito triste ver isso acontecendo. Não é ler que o Glauco morreu. É ler que ele foi assassinado. E junto a um filho. Não existe mais ética ou moral no ser humano.

O que deixou todo mundo de cara, mais do que a perda prematura, foi a brutalidade do ato gratuito. “Como eu disse no primeiro momento, no Twitter, o fato é tão chocante que nossa reação não pode ser medida em palavras, mas em um sentimento de dor, luto e desesperança”, disse o tuiteiro Mauricio de Souza: “Apesar disso, nós sairemos do choque. E vamos encontrar caminhos, mesmo que sejam longos, demorados, para contermos essa onda de irracionalidade e desumanidade.

Até o Presidente mandou uma nota: “Glauco foi um grande cronista da sociedade brasileira, entendia os usos e costumes da nossa gente e expressava isso com inteligência e humor”, escreveu Lula: “Foi uma perda tremenda. Diante dessa verdadeira tragédia, quero expressar meu sentimento de pesar a familiares, amigos e admiradores.

***GERALDÃO Surfistão! Gravidão! foi um dos gibis mais marcantes da minha vida. Eu começava a pegar onda e já sacava a Chiclete com Banana do Angeli, e só dei um tempo de desenhar o Bob Cuspe no meu caderno da escola quando conheci os quadrinhos do Glauco – a partir daí passei a copiar o Geraldão também. “A gente trabalhou juntos na Circo por quase 10 anos”, diz o editor Toninho Mendes: “Eu não consigo acreditar no que está acontecendo.

O Glauco era o batedor que ia na frente testando os limites pra todo mundo que vinha atrás”, fala Arnaldo Branco, outro da minha geração, parceiro da revista Tarja Preta: Sempre ficava impressionado como o cara falava abertamente de sexo e drogas ainda na vigência da censura (velada, que fosse). Fazia humor urgente, em estado bruto.

Era o único que não conheci pessoalmente da turma dos Los 3 Amigos”, diz Allan Sieber: “Mas segundo os chegados, era um gênio da resposta imediata, muito rápido no gatilho mesmo.” Pra Fernando Gonsales, Glauco foi “um dos grandes revolucionários do humor brasileiro: ele deu uma escrachada que revolucionou.

Em poucas palavras, Caco Galhardo resumiu o sentimento geral: “Para todos os cartunistas foi uma grande referência. O Geraldão é uma grande referência e o Glauco era um cara pacífico. Como alguém pode fazer uma coisa dessas? O atirador não tem noção”, comentou na sexta-feira: “O Glauco era um gigante. Ele tinha o dom de repetir a mesma piada e ser engraçada dez mil vezes. O mundo acordou mais xarope hoje.

***Comecei a desenhar no 2º grau. Sempre desenhei na turma do fundão, que eu fui freqüentador assíduo. Desenvolvi essa linguagem e vi que era uma ferramenta muito poderosa: o humor aliado com caricatura. Também tive contato com o pessoal do Pasquim, todos aqueles desenhistas, o Ziraldo. Aquilo foi me inspirando.

Glauco tinha acabado de completar 53 anos. Publicava tiras e charges na Folha de S.Paulo desde 1984. À sua galeria original de personagens, agregou nas últimas décadas Edmar Bregmam, Geraldinho, Faquinha, Ficadinha, Zé Malária, Nojinski e Netão, um tipo que “surgiu com essa nova moda da internet” – disse em 2001 numa entrevista p/ o UOL: “O Netão tem uns 30 anos, é metropolitano, casado, vive internado num apartamento e viaja pelo mundo afora pelo computador.” Glauquito, que tinha medo de ficar ultrapassado, não teve nem a chance de envelhecer. Mas sua verve sobreviverá.

Eu desenho a nanquim com papel e depois escaneio. Eu uso o computador quando é pra aplicar cor. Tentei usar computador pra desenhar, mas meu desenho sai como se fosse uma criança. Não tenho o domínio ainda. Mesmo aquela canetinha que tem uma tela. Pra meu tipo de traço, estou acostumado com a pena, que dá um toque todo peculiar.GLAUCO [1957-2010]

CHARGES
HOMENAGENS
PARCERIA DE ANGELI E LAERTE, 12/03/2010

RESULTADO DA BUSCA POR 'GLAUCO' NO TWITTER

VIVA LA BRASA'S HALL OF FAME, 13/03/2010

2 comentários:

Anônimo disse...

bacana. lembro dos seus desenhos das antigas. valeu por aquelas chiclete com banana, geraldão e outras. bela homenagem. abraço EXP

Andre Chagas disse...

muito boa essa homenagem mesmo.o cara teve muita historia pra contar. que falta esse cara vai fazer...