quarta-feira, junho 09, 2010

HOJE, AMANHÃ E DEPOIS Há 1 ano, o Supremo Tribunal Federal extinguiu a obrigatoriedade do diploma p/ o exercício da profissão de jornalista. “Quando uma notícia não é verídica ela não será evitada pela exigência de que os jornalistas freqüentem um curso de formação”, justificou o então presidente do STF, Gilmar Mendes: “É diferente de um motorista que coloca em risco a coletividade. A profissão de jornalista não oferece perigo de dano à coletividade tais como medicina, engenharia, advocacia. Não há razão para se acreditar que a exigência do diploma seja a forma mais adequada para evitar o exercício abusivo da profissão.

O meretíssimo arrematou sua jóia de pensamento c/ esta pérola: “Um excelente chefe de cozinha poderá ser formado numa faculdade de culinária, o que não legitima estarmos a exigir que toda e qualquer refeição seja feita por profissional registrado mediante diploma de curso superior nessa área. O Poder Público não pode restringir, dessa forma, a liberdade profissional no âmbito da culinária. Disso ninguém tem dúvida, o que não afasta a possibilidade do exercício abusivo e antiético dessa profissão, com riscos eventualmente até à saúde e à vida dos consumidores.

O resultado está aí: Caetano Veloso é colunista político do jornal carioca O Globo e Nizan Guanaes , colunista de 'mercado' da Folha de S.Paulo. “No passado o colunismo era um reduto dos mineiros. Agora ele é dominado pelos baianos”, polemiza Diogo Mainardi, ele mesmo colunista da revista Veja: “a fim de me livrar do colunismo, decidi procurar outra fonte de renda, investindo no mercado financeiro. [...] Se o investimento der certo, nunca mais farei um artigo. Se der errado, terei de me transformar num colunista baiano.

...EU sou baiano & sou colunista. Bom, pelo menos eu SOU jornalista. E apesar de não saber nem fazer um cuscuz, fui escalado p/ dirigir um documentário sobre as comidas típicas sergipanas, que vai ao ar AGORA pela Aperipê TV, canal 2. É meu 1º trabalho p/ o Nupe [Núcleo de Produções Especiais] e também será o 1º Especial Aperipê exibido no novo horário, quarta-feira 20h. Passei 1 mês gravando e montando o material, c/ ênfase nas pessoas, nem tanto nas laricas.

O curta chama-se MANAUÊ, um tipo de bolo de milho que é cozido antes de ir ao forno. No frigir dos ovos, acabei aprendendo um monte sobre o negócio. Mas já avisei: da próxima vez quero fazer um sobre as BEBIDAS típicas sergipanas... O Especial reprisa no sábado. E amanhã à noite, no mesmo horário, tem Cena do Som, o programa de música que estou dirigindo há uns 2 meses.

Quanto à questão do diploma, a mineira Priscilla Favaro [foto], 22 anos, recém-formada, resume o sentimento geral: “Se fosse fazer outro vestibular, não escolheria o jornalismo.

video

3 comentários:

fabio" binho "nunes disse...

caraca....comida??? , tipica, bolo de milho???

animale, cadê isso man

ja estou com fome, vai ter no youtube depois???

abraxxxx

Viva La Brasa disse...

acho que rola, daqui a um tempo...
por enquanto, as receitas do doc viraram interprogramações da tv local...
vão ficar no ar até o fim de junho.

Rafa Aragão disse...

Pow não vi ainda seu especial!! Mas quando tiver uma cópia deixa lá na sala,hehehe. É engraçado o Diogo Mainardi falar dos colunistas baianos,ele assim como os baianos citados é colunista e não tem diploma de jornalismo.