sexta-feira, julho 30, 2010

BATALHA DE PUERTO
'FUN' ESCOLHE SEU PAREDÓN, ENQUANTO OUTROS SÃO ESCOLHIDOS
Puerto Escondido tem os melhores tubos do continente. Ciudad Juarez é o lugar mais violento do mundo. Os dois ficam no México, e estão bombando. 

Puerto é um destino turístico internacional próximo a Acapulco, e sua população de 45 mil habitantes aumenta exponencialmente junto c/ o tamanho das ondas de maio a setembro, quando costuma receber surfistas de todas as partes do globo. Diz a lenda que a cidade tem esse nome por ter servido de esconderijo do pirata Andrés Drake, um ‘Jack Sparrow’ da vida real, irmão do capitão Francis Drake da esquadra britânica.

Juarez é uma das maiores cidades mexicanas, fica na fronteira c/ os EUA, tem mais de 2 milhões de habitantes e 17 parques industriais. Fundada em 1659 c/ o nome de Paso Del Norte, originalmente abrangia as duas margens do Rio Grande, até ser dividida em 1848 – e a parte norte-americana tornou-se a cidade de El Paso, no Texas.

LA LINEA [DEL TIEMPO]
Por sua localização estratégica, Ciudad Juarez tem a desonra de liderar o ranking mundial da violência, ganhando até de Bagdá, Cabul e Rio de Janeiro. Em 2009 foram 191 homicídios por cada 100 mil habitantes, resultado da disputa entre cartéis do narcotráfico que eclodiu em 2006, após a implantação da política de ‘tolerância zero’ do presidente Felipe Calderón.

Só nos 10 primeiros dias de 2010, foram 100 mortes associadas à guerra de gangues. No último dia 15, um carro-bomba carregado c/ 10k de explosivos matou 4 pessoas, e feriu 11. O atentado, atribuído ao grupo La Linea, atingiu um comboio policial. Uma nova detonação ocorreu no momento em que chegavam na cena jornalistas e equipes de resgate.

Em maio de 1911, a cidade foi um dos mais importantes palcos da Revolução Mexicana, no sangrento confronto conhecido como Batalha de Juarez, quando as tropas do presidente Porfírio Diaz combateram os rebeldes liderados por Francisco Madero, Pascual Orozco, Garibaldi Jr. [neto do famoso Giuseppe Garibaldi] e Francisco ‘Pancho’ Villa [FOTO].

A rendição das forças federais só veio após 4 dias e 3 noites de intensa troca de tiros. “Os revolucionários decidiram queimar casa por casa para forçar a rendição do inimigo”, escreveu o historiador Emerson Kent, autor de Wars and Battles in History: “Casas de civis e prédios públicos queimaram, assim como a delegacia e a biblioteca. Funcionou.

MEXPIPE
Puerto está 800 km ao sul da Cidade do México e a 200 km da capital do estado de Oaxaca, do qual faz parte. Um bom lugar p/ se esconder. Lá, o único estampido que se ouve é o das bombas aquáticas produzidas pelos fundos de areia das praias de Zicatela e La Punta, ondas violentas disputadas por um crowd internacional.

No dia 22 deste mês foi encerrada a Batalha de Puerto, também conhecida como Quiksilver Pro Puerto Escondido, etapa de nível 4* do WQS. Munidos de suas ‘guns’, big riders do mundo inteiro e competidores da nova geração duelaram em tubos de 2 a 3 metros pelos $12.000 dólares e 1.000 pontos no ranking classificatório p/ o World Tour oferecidos ao campeão.

14 brasileiros participaram da competição. Destaque p/ as notas 10 do paulista Júnior Faria [campeão de uma etapa 5* no Brasil] e do baiano Dennis Tihara [FOTO]: “Quando entrei na água levei aquelas séries gigantes na cabeça. Por sorte, quando finalmente consegui varar eu tava no pico certo. Vieram as duas primeiras da série e aí eu peguei aquele tubo perfeito.

Tihara e Faria foram barrados nas oitavas-de-final, mas Ricardo dos Santos, Stephan Figueiredo e Nathan Brandi sobreviveram até o último dia. “Fazia muito tempo que eu não vestia uma camisa de lycra”, me falou por e-mail Stephan ‘Fun’, free surfer patrocinado pela MCD, que mesmo sem competir há anos venceu quase todas as baterias que disputou, incluindo as oitavas e quartas-de-final: “Foi alucinante pra mim, peguei boas ondas e ganhei uma merrequinha. Te confesso que não gosto de campeonato, mas nessas condições é irado.

Brandi parou nas quartas e ficou em 9º; Fun ficou em 7º lugar, depois de eliminar o havaiano Jesse Merle-Jones; Ricardinho eliminou o havaiano Mark Healey, o californiano Peter Mel e os mexicanos Diego Cadena e Angelo Lozano, p/ ser o mais jovem integrante numa final composta por novos nomes.

MUCHA LUCHA
Na batalha de 4 surfistas pelo título em Puerto, a vitória ficou c/ o rebelde local David Rutherford, 24 anos [FOTO]. Nas semis, marcou um 10 num tubo de backside, e na final somou a maior média do evento, 18.45: “Eu me diverti muito durante toda a competição, e me sinto bem por representar os locais.

Os havaianos Kevin Sullivan, 23, e Casey Brown, 22, ficaram respectivamente em 2º e 3º lugares. “Eu trabalhei duro por mais de 3 anos pra fazer minha primeira final profissional”, falou Sullivan no pódio: “Foi duro lá fora. Você tem que estar no ponto certo quando as ondas vêm, porque é um beachbreak.

Ricardinho, 20, ficou em 4º e foi o melhor brasileiro. Desde os 16, o recruta da Guarda do Embaú [SC] vem se destacando nos tubos mais sinistros do mundo, como Pipeline no Havaí e Teahupoo no Taiti. Em 2008 ele venceu o Billabong Pro-Jr. do Chile pegando altas em Punta de Lobos. Portanto, nenhuma surpresa sua atuação no México. “O moleque tem disposição e know-how nos tubos”, diz Fun, que permanece escondido até o final da temporada.

Em 07 de maio, o surfista americano Noel Robinson morreu afogado em um swell que trouxe ondas de 5 metros p/ Puerto. Em Ciudad Juarez, a polícia crê que o atentado de 15 de julho seja uma retaliação à prisão dos líderes da Linea – Armando Corral, Juan Pablo Ledesma e Carlos Vázquez Barragán, ‘El 20’ – em 17 de junho.

Como diria Emerson Kent, “the grave diggers have their hands full.

PUERTO JUAREZ
 DAVID 'VILLA' RUTHERFORD EN EL CAMINO DE LA VICTÓRIA
JUAREZ, 1911: INSURREIÇÃO NO CAMPO DE IRRIGAÇÃO
 O VICE KEVIN SULLIVAN FEZ SUA 1ª FINAL PROFISSIONAL
REBELDES ABREM FOGO PROTEGIDOS PELO MURO DE ADOBE
 CASEY BROWN ENCAROU A ARTILHARIA PESADA DE PUERTO
EM JUAREZ O BAGULHO É LOUCO E O BACULEJO É DE LEI
RICARDO DOS SANTOS, NOME FORTE DA NOVA GUARDA
CIUDAD JUAREZ SOCIAL CLUB: SÓ GENTE FINA
LAS CHICAS DANDO SEU SUPORTE À CAUSA LOCAL
 VIVA MÉXICO! OU MORRA TENTANDO...
 

2 comentários:

fabio" binho "nunes disse...

Então o México realmente é sinistro e místico demais, a cultura da adoração pela caveira, que representa o feriado de Finados para eles, faz o clima ficar todo mais pesado, ver caveiras por todas as partes é legal e sinistro para quem tem medo, a Polícia de la é a mais sinistra do mundo, colocam droga no seu na sua mochila na revista, para levantar qualquer nota de dollar, a coisa é feia por lá ainda.
Mesmo nos dias de hoje, mas as ondas e comida compensam esquecer esse trauma, sem contar com a Vibe do lugar que é animale!


Viva Mexico!!!!

Viva La Brasa disse...

Sinistro!
Não é a toa que o Brujeria é de lá:
http://www.brujeria.com/