quarta-feira, agosto 11, 2010

MENINOS DA VALA 
JADSON ANDRÉ LÁ ONDE A CORUJA DORME

Antes da nova seleção brasileira de futebol estrear ontem à noite no New Meadowlands Stadium, em Nova Jersey, um outro time canarinho já vinha levantando as sobrancelhas dos gringos em HuntiNgton Beach, Califórnia, ao longo da semana passada.

O US Open of Surfing é um tradicional evento 6 estrelas do WQS patrocinado pela Hurley e Nike 6.0, que desde 2009 uniram-se p/ pagar ao campeão a inédita soma de US$ 100.000,00 em campeonatos de surf. “Incrível a capacidade dos yankees de auto-celebração e como realizam bem essas festas”, escreveu em seu blog Júlio Adler, repórter da revista Hardcore no circuito mundial: “Onda merda pode, contanto que seja em casa e a casa seja nossa.” Deles, no caso. 

Capitaneados por Adriano ‘Mineirinho’ de Souza, a seleção brasileira de surf fez estragos em ondinhas de vala bem parecidas c/ as do litoral brasileiro – fáceis, manobráveis, propícias ao surfe aéreo. Mineiro, top 5 do mundo aos 23 anos, e sua turma de amigos menores de 21 eliminaram nomes como Jeremy Flores, Cory Lopez, Austin Ware, Shaun Cansdell e Kiron Jabour, arrancando elogios dos locutores Barton Lynch [campeão mundial 1988] e Pat O’Connell [astro de Endless Summer 2].

Esses caras estão em outro nível de surf”, exclamou O’Connell após o 9.67 de Jadson André na quinta-feira, quando venceu sua bateria c/ 17.80 pontos em 20 possíveis. Mas, diferente da seleção do Mano Menezes, que venceu por 2x0 o time da casa, no surf a vitória ficou c/ os EUA. Jadson, 20 anos e campeão da 3ª etapa do WT 2010, chegou até o último dia e perdeu por 19 décimos p/ o atual bicampeão mundial Mick Fanning, 16.26 x 16.07.

Miguel Pupo, 18, filho de um ex-campeão, também chegou às quartas-de-final no domingo e só perdeu p/ o líder do ranking ASP, Jordy Smith, que marcou a maior pontuação da fase, 17.66 x 16.10. “De qualquer maneira, Pupo foi uma grande revelação para o público internacional, mostrando que brasileiros são capazes de voar com alguma elegância e um surfe mais bem composto”,escreveu Adler.

"O show do dream team brasileiro só foi parado fora-d'água", informa o site da revista Surfar: "O último dia do evento foi marcado por decisões polêmicas dos juízes, que até então eram atrações com suas performances nas pequenas ondas.

Alejo Muniz, 19, o 'Messi de Santa Catarina' que está se garantindo c/ a última vaga p/ a elite, venceu a categoria Pro-Jr. [até 20] mas não levou, porque cometeu interferência e teve uma de suas notas cortada pela metade. Nessa, quem se deu bem foi o moleque local Evan Geiselman, que segundo Júlio “parecia uma menina raquítica surfando ao lado de Alejo”. Carissa Moore [foto acima] levou na feminino PRO, mas essa é uma menina mesmo, de apenas 17 anos.

Completando a festa californiana, Brett Simpson levou o evento & a bolada pelo 2º ano consecutivo, batendo pela segunda vez um favorito na final – em 2009, Fanning, este ano, Jordy. “Inacreditável, mas ganhei de novo!” Simpson, 25, teve que passar por Kelly Slater na semifinal – levando por uma diferença mínima, 13.37 x 13.33 – p/ derrotar Smith [foto abaixo] na decisão por 13.97 x 8.33.

Se o núcleo da nova seleção de futebol são os ‘Meninos da Vila’ do Santos, a base da ‘seleção’ do surf é o time da Oakley: Mineiro, Jadson, Pupo. Treinados por Luís Henrique 'Pinga' , são os pontas-de-lança da mais forte geração de brasileiros no circuito mundial desde a chegada de Fábio Gouveia & Teco Padaratz em 88. “Na júnior, Alejo provou que é hoje o surfista mais bem preparado de sua faixa etária”, concluiu o Goiabada.

Júlio Adler, ele mesmo competidor nos anos 90, é hoje p/ o surf o que João Saldanha e Nelson Rodrigues foram p/ a crônica de futebol. De ambos, herdou a prosa rica e fluida, c/ um pouco de malandragem. Mas também o defeito de puxar a sardinha pro clube que torce. Enquanto saúda um argentino como o futuro do Brasil, esquece de citar Gabriel Medina, 16 anos, campeão mundial sub-16 & sub-18 e dono do aéreo superman mais alto da atualidade.

Gabriel tem sido comparado a Paulo Henrique Ganso, meio-campo do Santos e da seleção c/ o passe mais caro do país – equivalente a R$ 120 milhões. “Sim, o garoto Medina, que deu show a cada onda surfada até as oitavas”, comentou o internauta Daniel Leite: “Pra mim esse mlk representa o que há de mais arrojado no surf brasileiro, criatividade, talento e capacidade de definir a bateria a qualquer momento.

9º lugar no US Open, 60º no ranking da FIFA e subindo.

SELEÇÃO BRASILEIRA DE SURF [COPA 2014]
 ADRIANO 'ROBINHO' DE SOUZA, CAMISA 7
JADSON 'NEYMAR' ANDRÉ, CAMISA 11
GABRIEL 'GANSO' MEDINA, CAMISA 10
 ACIMA E ABAIXO, MIGUEL 'PATO' PUPO, CAMISA 9
FOTOS: REVISTA SURFAR + US OPEN OF SURFING

Um comentário:

Julio Adler disse...

Excelente analise Homem Brasa.
E sim, puxo mesmo a sardinha - sem pena.
Comparar o Ganso ao Medina é como comprarar o Maguila ao Foreman.
Falei ?