domingo, outubro 10, 2010

IMAGINE 
LENNON POR IRI5

O Cristianismo vai desaparecer. Vai diminuir e encolher. Nós, Beatles, somos maiores do que Jesus neste momento. Não sei qual vai desaparecer primeiro – o rock and roll ou o Cristianismo. Cristo não era mau, mas os seus discípulos eram obtusos e vulgares, É a distorção deles que estraga o Cristianismo pra mim.

Se estivesse vivo, John Lennon comemoraria 70 anos este fim-de-semana. 

Talvez acordasse sábado de manhã, dia do seu aniversário, saísse de casa – o edifício Dakota – e atravessasse a rua p/ dar um rolê no Central Park, onde foi erguido o memorial Strawberry Fields. Mídia e fãs o seguiriam e cercariam, mas ele, já esperando por isso e acompanhado da esposa Yoko e do filho Sean, aproveitaria a oportunidade p/ criticar o embargo de Israel à Palestina.

O dia inteiro seria de uma agenda lotada. Depois da sessão de fotos e entrevistas ao ar livre, pegaria um avião p/ Liverpool, a cidade inglesa onde nasceu em 09 de outubro de 1940, p/ inaugurar o monumento Peace And Harmony, escultura da artista Lauren Voiers. Da cerimônia participariam Cynthia Powell, c/ quem foi casado de 1962 a 68, e o filho de ambos, Julian.

Participaria de uma conferência c/ familiares e amigos, seria padrinho de um saral de poesia e um festival de cinema, e à noite faria um show no mítico Cavern Club, onde sua banda tocou por 3 anos, de 61 a 63, antes de gravar o 1º disco. Quem sabe Paul McCartney & Ringo Starr aparecessem de surpresa p/ dar uma ‘jam’?

Tudo isso de fato aconteceu ontem – exceto pela ausência de Paul e Ringo na festa do Cavern, que mesmo assim teve os ingressos esgotados c/ semanas de antecedência. 2010, um ano redondo, marca também ½ século da formação dos Beatles, 4 décadas do fim da banda, e os 30 anos de morte do “5º melhor cantor de todos os tempos”, segundo votação da revista Rolling Stone em 2006.

John Winston Lennon [o nome do meio era homenagem ao primeiro-ministro britânico que venceu a 2ª Guerra Mundial, Winston Churchill] montou sua 1ª banda aos 16 anos – The Quarrymen – p/ tocar um ritmo chamado ‘skiffle’. Aos 18 perdeu a mãe, Julia, atropelada por um policial bêbado.

Apesar de não ter um bom histórico escolar, foi aceito na Liverpool College of Art, onde conheceu Cynthia, a 1ª esposa, e Stuart Sutcliffe, c/ quem montaria seu 1º grupo de rock.

Stu foi o cara mais azarado do séc.XX: 1) baixista original da banda mais bem-sucedida do mundo, criou o nome The Beetles – em homenagem à banda de Buddy Holly, The Crickets – e nunca lucrou nada c/ isso porque a grafia que pegou foi The Beatles – trocadilho entre ‘besouros’ e ‘batida’ – e 2) deixou o grupo p/ casar c/ Astrid, uma alemã que conheceu em Hamburgo, antes da gravação do disco de estréia. Os singles de Please Please Me e Love Me Do estouraram nas rádios e Stu morreu de aneurisma meses depois, aos 21 anos.

Quanto ao John, formou uma parceria afinada c/ Paul, e junto a Ringo e um guitarrista sagaz, George Harrison, gravou 13 discos que mantiveram-se no 1º lugar das paradas de sucesso durante toda a década de 60; ditou tendências, modismos e comportamentos; e foi o motor da locomotiva que transportou o rock’n’roll do universo juvenil romântico ao experimentalismo c/ temas adultos.

WITH THE BEATLES foi o 1º álbum a vender 1 milhão de cópias na Grã-Bretanha. A HARD DAY’S NIGHT, HELP! e MAGICAL MISTERY TOUR eram projetos multimídia, disco & filme em lançamentos simultâneos. YELLOW SUBMARINE, um desenho animado. RUBBER SOUL, REVOLVER e SGT.PEPPER'S LONELY HEARTS CLUB BAND representaram uma guinada de maturidade musical e composições inspiradas. Até os últimos discos, ABBEY ROAD e LET IT BE, gravados quando a banda já não se entendia, são geniais.

Apesar da maioria das canções ser creditada a Lennon/MacCartney, foi John o autor de Help!, Revolution, All You Need Is Love, Strawberry Fields Forever, Lucy In The Sky With Diamonds, Come Together, Across The Universe e Don’t Let Me Down. A parceria entre os 2 amigos, sempre tão frutífera [She Loves You, I Wanna Hold Your Hand, Daytripper, Helter Sketter, etc.], azedou rapidamente após 2 incidentes: a morte do empresário Brian Epstein em 67 – Paul tomou a frente dos negócios e a gravadora Apple quebrou – e a aparição de Yoko Ono.

Sobrevivente do bombardeio do Japão pelos EUA, Yoko migrou p/ Nova York e lançou-se como artista plástica no movimento vanguardista Fluxus. John a conheceu em uma de suas exposições, ao subir numa escada que conduzia a uma palavra: “YES”. Apaixonado, iniciou ali uma parceria amorosa e artística que duraria até o fim da sua vida – em 1980, quando foi baleado 4 vezes em frente ao prédio onde morava em NY por um fã psicótico.

Em 1968, lançou c/ a namorada o álbum UNFINISHED MUSIC Nº 1: TWO VIRGINS, onde o casal aparece nu na capa. Em 69, casam-se no Rochedo de Gibraltar e usam a cama do hotel onde passam a lua-de-mel, em Amsterdã, p/ realizar a BED IN, entrevista coletiva em que receberam a imprensa embaixo de lençóis.

Essa bruxa japonesa o enlouqueceu, ele pirou”, reage um jornalista em cena registrada no filme The US vs. John Lennon, documentário lançado há 4 anos que investiga a perseguição do governo americano da era Nixon ao cantor inglês, nos anos 70. Na mesma cena, uma repórter questiona a eficácia de tal espetáculo. O manifesto hippie foi ridicularizado pelos meios de comunicação.

A ‘onopresença’ da mala que o John levava a tiracolo nas gravações dos Beatles apressou o fim da banda em 1970, ano de lançamento de JOHN LENNON/PLASTIC ONO BAND, um disco gêmeo c/ outro de título homônimo da amada. “YOKO ONO/PLASTIC ONO BAND se responsabilizava pelo lado experimental daquele cara-e-coroa, os guinchos e agressões verbais da cantora funcionando como agravante do ódio que ela já despertava nos órfãos do pop perfeito de Lennon & McCartney”, diz o jornalista Pedro Alexandre Sanchez:

O disco de Lennon era palavroso, raivoso e pleno de palavras de ordem. Em ‘God lançava a mítica constatação ‘the dream is over’ e professava descrença em tudo que não fosse ele próprio e Yoko – o que incluía afirmar que não acreditava na Bíblia, no tarô, em Hitler, Jesus, Kennedy, Buda, reis, Elvis, Dylan e os Beatles.

O cara que dizia que não queria mudar o mundo em Revolution agora era um ativista social. Devolveu à Rainha Elizabeth sua medalha de Membro do Império Britânico obtida no auge da beatlemania, protestando contra o apoio bretão à Guerra do Vietnã, ao envolvimento da Inglaterra no conflito de Biafra, e “ao fraco desenvolvimento de ‘Cold Turkey’ nas paradas de sucesso”. Lennon não perdia o bom humor nem quando militava.

Gravou sons engajados como Give Peace a Chance e Woman Is The Nigger of The World, declarou apoio ao Partido dos Panteras Negras e realizou o concerto Free John Sinclair, pedindo a libertação do ex-empresário da banda MC5 condenado a 10 anos de cadeia por portar 2 baseados. Acabou extraditado dos EUA em 1973.

No ‘exílio’ em seu próprio país, teve um caso c/ a assistente May Pang e gravou o disco WALLS AND BRIDGES. Passava a maior parte do tempo bebendo todas c/ Ringo, Harry Nilson e Keith Moon, do The Who. Lançou o álbum ROCK AND ROLL em 74, c/ covers p/ as músicas que ouvia na juventude. É dessa leva o sucesso Stand By Me, composição de Jerry Leiber, Mike Stoller e Ben E. King.

Em 75, ano em que ganhou o Green Card americano e pôde retornar à América, nasceu Sean. A essa altura, ele e Yoko já tinha reatado a relação, e John resolveu sair de cena p/ curtir a paternidade e criar o caçula. Só voltaria a gravar 5 anos depois, em 1980. Starting Over e Woman, canções de DOUBLE FANTASY, atingiram o nº 1 das paradas.

No dia em que seria assassinado, John Lennon foi retratado nu na cama, agarrado em posição fetal à mulher Yoko Ono, pela renomada fotógrafa Annie Leibowitz. Ao término da sessão, o fotógrafo amador Paul Goresh fez os últimos registros do ídolo vivo: entrando na limusine e, antes disso, autografando um álbum p/ o cara que iria matá-lo horas depois.

Quando a polícia chegou ao edifício Dakota, em 09 de outubro de 80, o autor dos disparos permanecia parado sobre a poça de sangue do herói morto, c/ uma cópia de O Apanhador no Campo de Centeio. Ele pediu desculpas “pelo transtorno que havia causado”, disse que o ex-Beatle traiu seus fãs e que o livro de J.D.Salinger trazia uma mensagem subliminar que o impeliu ao ato.

No final daquele ano, o FBI admitiu que investigava Lennon.

Além das homenagens citadas no início deste ‘post’, também acontece em Liverpool a exposição White Feather: The Spirit of John Lennon, c/ objetos pessoais que pertencem à família, na John Moores University, a mesma instituição que financiou a escultura de Voiers e onde será enterrada uma das 3 “cápsulas do tempo” c/ gravações, desenhos e outros souveniers p/ as próximas gerações.

O Garoto de Liverpool, do diretor Sam Taylor-Wood, está em cartaz mostrando o jovem Lennon às voltas c/ problemas na escola, as primeiras garotas e os primeiros acordes, que aprendeu c/ Paul. O filme estreou no Brasil 01/10. Boa pedida também é o filme Backbeat, de 94, que retrata a fase Hamburgo, quando John, Paul, George e Stu usavam um visual rocker mais agressivo e tocavam alto em bares nas docas.

Em 09 de dezembro o festival Lennon Remembered encerrará as festividades na Echo Arena, em Liverpool. A escalação dos artistas ainda permanece em segredo, como muitas coisas permanecem misteriosas quando se trata de Beatles.

A capa de SGT.PEPPER'S... é um enterro? O verdadeiro Paul McCartney morreu num acidente de carro em 66 e foi substituído por um sósia, “the only one Billy Shears”?

Teria a CIA feito lavagem cerebral em Mark Chapman, que permanece preso até hoje? E Lennon, estaria vivo se não tivesse conhecido a Yoko Ono?

Em 22 de janeiro de 81 a foto de John & Yoko abraçados estampou a capa da Rolling Stone. “Se tivesse dito que a televisão era mais popular do que Jesus, ninguém teria ligado. Não sou anti-Deus, anti-Cristo ou anti-religião. Não queria dizer que éramos melhores ou maiores, ou nos comparar a Jesus Cristo como pessoa ou Deus ou seja o que for. Disse o que disse e estava errado – ou fui mal-interpretado.

O SONHO ACABOU
AGORA SÓ TEM PASTEL E COXINHA
BEATLES NO CAVERN CLUB, LIVERPOOL 1961
EM HAMBURGO, ALEMANHA, C/ STU NA BATERIA
AGORA EU SEI DE ONDE VEM O 'BEAT' DE MANGUEBEAT
FASE SGT.PEPPER'S, 1967: NO AUGE DA PSICODELIA
NO 'BED IN' DURANTE A LUA-DE-MEL EM AMSTERDÃ
JOHN, YOKO & EUA, UMA RELAÇÃO TUMULTUADA
FOTOGRAFADO AO LADO DO SEU ALGOZ, 1980
LENNON GOSTAVA DE DESENHAR








Nenhum comentário: