quarta-feira, dezembro 29, 2010

FLORES 

É um sonho! Eu venho pro Hawaii há tanto tempo e este é meu lugar favorito no mundo, as ondas, as pessoas, tudo!

No dia 16 de dezembro o francês Jeremy Flores venceu o Billabong Pipeline Masters in Memory of Andy Irons, última etapa do reformulado circuito mundial de surf. Foi a 1ª vitória de um europeu no World Tour da ASP, e também a 1ª dele na divisão de elite.

Flores na verdade nasceu nas Ilhas Reunião, possessão francesa no continente africano. Venceu o circuito WQS em 2006 e estreou no WT no ano seguinte, quando fez uma das melhores temporadas de estréia de um novato e terminou em . Durante duas temporadas seguidas terminou entre os Top 10, mas nos últimos 2 anos não vinha arrumando nada.

Até o segundo semestre deste ano. Duas semifinais – Tahiti e Portugal – e a inédita vitória no Havaí o levaram ao 9º lugar no ranking final deste ano. “Tenho surfado em todo tipo de condições, onda pequena ou grande, competindo em 3 baterias por dia, e finalmente encontrei o ritmo certo”, disse no pódio em Pipe. 

Jeremy é muito jovem, 22 anos, faz parte da mesma geração de Adriano Mineirinho e Jordy Smith, e namora há alguns anos c/ a surfista brasileira Bruna Schmitz, 19. Seu surf é mais baseado em estilo do que agressividade, e no Masters deste ano soube usar seu porte franzino p/ se encaixar nas paredes apertadas do Backdoor.

Mais uma vez a esquerda de Pipe quase não bombou – o que tem sido uma constante nos últimos anos – favorecendo os regular footers, como o vicecampeão Kieran Perrow e os 3ºs colocados Dane Reynolds e Kelly Slater.

Aos 38, Slater continua dando no couro. Não bastasse garantir o absurdo 10º título mundial c/ uma etapa de antecedência, deu seu show particular, finalizando tubos c/ cutbacks emendando em batidas verticais de backside. O único a arrancar nota 10 dos juízes no último dia. Só parou no Jeremias.

O australiano Joel Parkinson, 29, definitivamente recuperado do rasgo no pé, sagrou-se tricampeão da Triple Crown. No feminino Stephanie Gilmore, 22, levou seu 4º título mundial consecutivo em 4 temporadas disputando o WT feminino – fenômeno.

Realizado pela 1ª vez em Pipeline, o Vans Duel for the Jewel, última etapa do circuito das mulheres, foi vencido pela revelação australiana Tyler Wright, de apenas 16 anos, que também ficou c/ o carro oferecido ao melhor novato na tríplice coroa. Ou, no caso, à melhor novata.

Eu nem sabia que estava na disputa desse título”, disse Tyler, que nem tem idade p/ dirigir ainda. “Legal demais! Eu já tinha surfado Pipe umas duas vezes e eu amo esse lugar, você pega uns tubos grandes. Foi muito divertido competir aqui e eu acho que é isso que importa.
STEPHANIE GILMORE, 4 TÍTULOS MUNDIAIS EM 4 ANOS
JEREMIAS BATE CORNER E AINDA CABECEIA PRO GOL
FALTOU POUCO P/ SLATER FAZER SUA 7ª FINAL NO ANO
DANE REYNOLDS NÃO SABE VENCER MAS SABE DAR SHOW
OWEN WRIGHT, ESTREANTE DO ANO NO CIRCUITO MUNDIAL
BANCADA DE PIPELINE: É AQUI QUE AS ONDAS QUEBRAM


Dusting Off Backdoor from MSW Six Weeks North Shore on Vimeo.

Nenhum comentário: