sexta-feira, fevereiro 25, 2011

OS ALQUIMISTAS ESTÃO CHEGANDO 
"É VERDADE SEM MENTIRA CERTO MUITO VERDADEIRO"

A Tábua de Esmeralda é o texto que deu origem à alquimia, protociência que almejava  a criação da vida artificial, a obtenção do elixir da longa vida – um remédio p/ todos os males – e da pedra filosofal – substância que transmutaria metais inferiores em ouro. Foi escrito pelo faraó Hermes Trismegisto e encontrado por soldados de Alexandre da Macedônia na Pirâmide de Gizé. Os hieróglifos foram talhados c/ uma ponta de diamante em uma lâmina de esmeralda.

Soa familiar? A TÁBUA DE ESMERALDA também é título & tema do 10º álbum de estúdio de Jorge Ben, gravado em 1974 e considerado o melhor de sua produtiva, extensa e bem-sucedida carreira. Apesar do fracasso comercial quando foi lançado, o disco resistiu ao tempo e influenciou um sem-número de artistas que vieram depois, do Planet Hemp [lembra?] a Belô Velloso [quem?].

Tábua de Esmeralda é Jorge Ben no auge de sua criatividade e experimentação”, escreveu em seu blog o jornalista André Barcinski, autor dos livros Barulho e Maldito: “Um disco produzido e tocado com perfeccionismo, mas que mantém uma sensação leve, quase de jam session, como se tivesse sido gravado de improviso.

Diz a lenda que o disco foi gravado ao vivo na íntegra”, especula o pessoal do blog Eu Ovo. “É um clássico da música popular brasileira, criado numa fase de iluminação e alquimia, e foi o último em que Ben Jor tocou exclusivamente violão.” P/ Barcinski, “o melhor disco pop já gravado no Brasil”. Elogios e especulações à parte, as informações são verdadeiras.

É um disco-conceito, concebido no ápice criativo de um músico que já havia introduzido uma nova maneira de tocar violão – usando palheta e incorporando elementos de soul, funk e rock na batida do samba – e quebrado a banca logo em seu disco de estréia, SAMBA ESQUEMA NOVO, de 1963 – cuja faixa Mas Que Nada é sucesso internacional até hoje [a 2ª canção brasileira mais executada no mundo depois de Garota de Ipanema].

Abre c/ a pegada rock’n’roll de Os Alquimistas Estão Chegando Os Alquimistas e suas viradas de bateria, segue c/ O Homem da Gravata Florida, homenagem ao suíço Paracelso [que além de alquimista foi astrólogo, físico e médico], até chegar em Errare Humanum Est, onde um sintetizador une-se ao arranjo sinfônico p/ dar um clima espacial na faixa influenciada pelo livro Eram Os Deuses Astronautas, de Erich Von Daniken.

Procuro mostrar se eram os deuses astronautas ou não. É uma mecânica quase celeste”, disse Jorge na época do lançamento: “Tenho muito respeito e admiração pelo trabalho de um alquimista, pois ele dedica toda a sua vida a estudar e procurar com uma fé e perseverança não comparável a coisa alguma. Desde o LP As Rosas Eram Todas Amarelas já há o reflexo do estudo e da tentativa de aplicar tudo isto à música.

A quarta faixa, Menina Mulher da Pele Preta, é um xaveco numa mulata de olhos azuis, e ele segue assim, transitando do misticismo à malandragem, como em Eu Vou Torcer, Magnólia e Minha Teimosia Uma Arma para Te Conquistar, que abre o lado B. Depois vem Zumbi, que se tornaria um hino da causa negra no Brasil, e Brother, um soul-gospel em inglês caô-caô.

O Namorado da Viúva é engraçada, Hermes Trismegisto e Sua Celeste Tábua de Esmeralda é a transcrição do texto original – como ele fez em Jorge da Capadócia, uma oração musicada – e 5 Minutos (Cinco Minutos) encerra os trabalhos num lamento triste – uma das muitas sacações que fazem de A TÁBUA... uma obra-prima.

Jorge sempre foi um grande melodista. Aos 32, acumulava mais de 10 anos de carreira fonográfica e acabara de lançar ON STAGE no Japão, gravado ao vivo. A despeito do que cantava em País Tropical, era um band-leader experiente apesar de ainda jovem, na flor da idade. Sem falar que sua banda de apoio era o Trio Mocotó. No estúdio ele dispunha de um recurso que não existe mais, a orquestra da gravadora. E estava inspiradíssimo.

Um ano depois, Tim Maia gravaria os dois volumes da sua fase RACIONAL, álbuns temáticos misturando exoterismo, filosofia, pseudociência e religião. Também passou a vestir só roupa branca, enquanto Ben, que veste branco por causa do candomblé, abandonava o violão no disco ÁFRICA BRASIL e se tornava adepto das Fender Stratocaster – modelo de guitarra eternizado por Jimi Hendrix.

Culpa os estúdios, que passaram a ter pé-direito mais baixo. “Dizia que os estúdios modernos não conseguiam gravar o instrumento da forma que ele gosta, ‘com respiração’”, diz Barcinski. “Desculpa fajuta, claro. Ele não quer e pronto.” O fato é que diferentes gerações descobriram Jorge Ben & A TÁBUA DE ESMERALDAS mas, exceto pelo acústico da Mtv gravado em 2002, nunca viram o ‘Babulina’ empunhar seu mítico violão.

Eu assisti um show dele em 2008, durante o Projeto Verão na praia de Atalaia. Inteiro aos 66, acompanhado da Banda do Zé Pretinho, mandou todos os seus hits naquele esquema de pout-pourri, emendando País Tropical c/ Fio Maravilha, Taj Mahal, Chove Chuva e W/Brasil. Tocou duas de A TÁBUA..., Brother e Zumbi. E assim ele vinha levando os fãs em banho-maria, fosse num evento de porte médio em Aracaju ou em grandes festivais como o Live Earth no Rio.

Até que o jornalista Bruno Natal deciciu criar uma campanha em seu site Queremos, que trabalha c/ o conceito do crowdsourcing, uma espécie de ‘vaquinha’ onde um grupo de pessoas se compromete a cobrir os custos de um evento, viabilizando sua realização. A idéia começou lá fora c/ projeções de cinema, mas aqui pegou c/ os shows. Bruno e seus amigos já trouxeram ao país Belle & Sebastian, LCD Soundsystem e Vampire Weekend, entre outros.

Artistas como Emicida, Pitty, B.Negão, Marcelinho da Lua e Pupillo da Nação Zumbi deixaram seu depoimento no site e 1.697 pessoas curtiram a página no Facebook. Até que, numa apresentação no Morro da Urca na noite de sexta-feira 11, o homem anunciou: “Agradeço as mensagens no Twitter, no blog e tudo. Eu quero dizer que estou ensaiando música por música do LP pra gente fazer um show, pelos pedidos que tem, que são muitos. Manda o recado pro pessoal, manda no Twitteeer!

Não se sabe se será um show ou uma tour, nem quando ocorrerá, mas Natal já comemora: “Jorge foi o Pelé do violão! A minha geração, todos esses jovens músicos, ninguém c/ nossa idade viu Jorge ao violão.” O Barça casou dinheiro no bolo: “Se a turma do Rio convencer Ben Jor a voltar a ser Jorge Ben, nem que seja por uma noite, eu pago pra ver”.

Nem Hermes nem Paracelso encontraram a pedra filosofal, mas c/ A TÁBUA DE ESMERALDAS Jorge Ben conseguiu transformar vinil em ouro. “A maioria das músicas são alquímicas, mas sempre pela filosofia musical. Eu pretendo que a minha música traga paz de espírito e tranqüilidade para quem a escuta. Parto das coisas mais sérias até as mais simples, como o meu time de futebol, porque todas elas têm muita importância e motivo de existirem.

TABULA SMARAGDINA ou O SEGREDO DE HERMES

1) É verdade, certo e muito verdadeiro 2) O que está em baixo é como o que está em cima é como o que está em baixo, para realizar os milagres de uma única coisa 3) E assim como todas as coisas vieram do Um, assim todas as coisas são únicas, por adaptação 4) O Sol é o pai, a Lua é a mãe, o vento o embalou em seu ventre, a Terra é sua ama 5) O Pai de toda Telesma do mundo está nisto 6) Seu poder é pleno, se convertido em Terra 7) Separarás a Terra do Fogo, o sutil do denso, suavemente e com grande perícia 8) Sobe da Terra para o Céu e desce novamente à Terra e recolhe a força das coisas superiores e inferiores 9) Desse modo obterás a glória do mundo 10) E se afastarão de ti todas as trevas 11) Nisso consiste o poder poderoso de todo poder: vencerás todas as coisas sutis e penetrarás em tudo o que é sólido 12) Assim o mundo foi criado 13) Esta é a fonte das admiráveis adaptações aqui indicadas 14) Por esta razão fui chamado de Hermes Trismegisto, pois possuo as três partes da filosofia universal 15) O que eu disse da Obra Solar é completo.

NEM DEUSES NEM ASTRONAUTAS
>  Mas Que Nada estourou nos EUA ainda nos anos 60, c/ a versão do pianista Sérgio Mendes
>  País Tropical fez sucesso c/ Wilson Simonal
> Minha Menina foi composta p/ Os Mutantes
>  Nos anos 70 Fio Maravilha venceria o Festival da Canção na voz de Maria Alcina
>  Nos anos 80 Jorge Ben se tornaria Ben Jor p/ sanar o desvio dos royalties internacionais das suas músicas, que estavam indo p/ a conta do americano George Benson
>  O samba-rock de Jorge é influência básica p/ Fred Zero Quatro, vocal/guitarra/cavaquinho do Mundo Livre S.A., que batizou seu trabalho de estreia como SAMBA ESQUEMA NOISE 
>  E a faixa 11 desse disco, O Rapaz do B... Preto, é uma homenagem a O Homem da Gravata Florida
>  A gentileza seria retribuída c/ Mexe Mexe, que Jorge deu de presente a Zero Quatro p/ o disco POR POUCO
>  A banda Planet Hemp incluiu um trecho de Zumbi em Dig Dig Dig, no álbum USUÁRIO
>  Umbabarauma (Ponta de Lonça Africano) foi regravada por Max Cavalera quando ele saiu do Sepultura e montou o Soulfly
Racionais MC's o samplearam em Fim de Semana no Parque e o rapper Dexter em O Oitavo Anjo
>  Integrantes da Nação Zumbi mantém um projeto paralelo chamado Los Sebozos Postizos, só p/ tocar músicas de Ben Jor
> Em 2006 o grupo Black Eyed Peas revisitou Mas Que Nada e sua versão alcançou o Top 13 na parada da Billboard

Nenhum comentário: