terça-feira, abril 05, 2011

RÁDIO ROCK 
IRMÃOS SNOOZE, HOMEM-BRASA E ADELVAN KENOBI: 
HÁ 4 ANOS NO PROGRAMA DE ROCK

Te dei o sol te dar o mar pra ganhar seu coração/ Você é raio de saudade, meteoro da paix...” SCHWIIISZCH... “Ximbalaiê quando eu vejo o sol beijando o mar/ Ximbalaiê...” SCHWVUUU... “Foge mulher maravilha, foge com o superman/ Foge mulher maravilh...” SCHWIIIiieeee....

Não dá mais p/ ouvir rádio. A invenção do MP3 e o surgimento de sites de compartilhamento gratuito quebraram as pernas da indústria fonográfica, que nunca mais se levantou. C/ a venda de CDs apresentando queda de 10% ao ano na última década, as gravadoras passaram a investir todos os seus níqueis em sucessos instantâneos. “A expectativa é de que o crescimento da música digital compense essas perdas, mas isso ainda não aconteceu”, diz Rafael Barifouse, jornalista da revista Época. “É que esse mercado depende muito das mídias físicas, que representam 75% das vendas. A música digital responde por só 4%.

Nessa busca pelo novo, a prática de pagar p/ um artista tocar na programação das rádios – também conhecida como jabá – foi institucionalizada, enriquecendo ainda mais as emissoras comerciais. E tome-lhe Luan Santana, Maria Gadú e Parangolé. A coisa anda tão feia que antigas ‘divas’ da MPB hoje lançam seus discos por selos pequenos e tentam ganhar dinheiro recitando poesia em blogs. Rock então, sem chance de sintonizar. Você sabe cantar alguma música do Restart? Lembra de algum refrão do NX-Zero? Ainda existe CPM22? Emos, coloridos, descartáveis – se Kurt Cobain estivesse vivo, daria outro tiro na cabeça. No que depender das rádios brasileiras o rock está morto, enterrado e se revirando no caixão.

Mas toda regra tem sua exceção. Em Aracaju, a Liberdade FM toca até bossa nova e às sextas-feiras exibe o Rota 99, c/ 3 horas de rock. Também às sextas vai ao ar pela Aperipê FM o Programa de Rock, apresentado por Adelvan ‘Kenobi’ Barbosa. A Aperipê é uma fundação estatal que abrange a TV onde eu trabalho e mais uma emissora AM e outra na faixa de freqüência modulada. A FM mantém programas exclusivos p/ o samba, o blues, jazz, música sinfônica etc. Adelvan, por sua vez, vem de uma experiência no programa Guilhotina da Itabaiana FM, em sua cidade natal. A estréia do PDR foi na noite de 30 de março de 2007, ao som de You Really Got Me dos Kinks.

Aconteceu de repente, foi mais um sonho realizado”, diz Kenobi, “sempre tive essa vontade de ter meu próprio programa de rádio, até porque eu sempre compartilhei meus interesses, divulgando as coisas que gosto. Eu e Fabinho da banda Snooze fomos chamados pela Aperipê FM, uma emissora pública, gerida e mantida pelo Estado, portanto livre de amarras comerciais, o que é ótimo! Aliás, o programa só poderia existir numa rádio como a Aperipê mesmo, pois comercialmente é inviável, já que toco de tudo, do Extreme Noise Terror ao Cocteau Twins, passando pelos alternativos daqui, do Brasil e do mundo. Me divirto muito fazendo o Programa de Rock. É diversão levada a sério – como eram os fanzines, aliás.

AK é um dos meus melhores amigos, parceiro de inúmeras gigs. Tentei convencê-lo a festejar a data, mas não rolou. “Faço o programa de graça, mas tirar dinheiro de meu bolso pra viabilizar coisas no mundo ‘roque’ sergipano, já era. Sobre organizar festas, eventos ou qualquer coisa que implique esforço extra e, principalmente, gasto: CANSEI DE TER PREJUÍZO.

A gota-d’água foi o réveillon de 1999, que quase acabou numa ação de despejo. Um pentagrama invertido feito c/ luzes de natal sinalizava o apartamento p/ os convidados metaleiros, que barbarizaram o condomínio do cara, numas de fin-de-siécle. “Foi o caos, mas também não me arrependo, era o último dia do milênio e eu tinha decidido que alguma coisa tinha que acontecer.” Confira a ata do síndico [clique na imagem p/ ler na resolução original].

Ex-vocalista das bandas de crustcore ExTxCx e 120 Dias de Sodoma, ex-proprietário da loja Lokaos e ex-editor do zine Escarro Napalm nos anos 90, Adelvan parou de fazer festas e shows mas não se aposentou do rock’n’roll. Quando Iggy Pop e Flaming Lips tocaram em São Paulo, ele estava lá. Assistiu Mudhoney e Dinosaur Jr. em Salvador, e todo ano bate cartão no Abril Pro Rock. De volta de Recife, onde viajou p/ o show do Iron Maiden no último domingo, o guerreiro Jedi do rock sergipano listou p/ o Viva La Brasa os melhores momentos dos 4 anos do PDR na 104,9 FM:

> O primeiro programa que a gente fez exclusivamente com rock sergipano, p/ mim foi um marco – que eu saiba foi a primeira vez em que tanto tempo ininterrupto foi dedicado apenas ao rock feito em Sergipe no rádio. Depois vieram vários outros, e a própria rádio instituiu o Projeto Sergipanidade, só c/ música local na programação por um dia inteiro. Sempre procuro inserir músicas sergipanas no meio do programa, nada de segregá-las a blocos ou especiais específicos.

> Os debates sobre o movimento punk e os fanzines – foram idéias da direção da rádio que deram muito certo, retrataram bem uma galera e uma época ‘heróica’ que não pode ser esquecida. Fiz mesclando gente de várias épocas e idades e segmentos, e ficou bem legal, creio que deu um ótimo panorama sobre os assuntos. Parte do debate sobre o punk sergipano está disponível p/ download no blog do programa.

> Logo quando a rádio recebeu os equipamentos novos, tive a idéia de chamar os caras da Máquina Blues e da Plástico Lunar pra fazer um pocket-show ao vivo só com violões, no estúdio. A captação ficou excelente e hoje os pocket-shows são corriqueiros, mas creio que foi o Programa de Rock que começou também.

> Ser indicado ao Prêmio Dynamite, porque não foi esperado. Eu e Fabinho nem divulgávamos o programa ‘pra fora’, já que na época não era transmitido via net. Foi algo meio que do nada, totalmente inesperado. Ficamos em penúltimo lugar, mas foda-se! Foi massa ter sido indicado, hehehe.

> Entrevistar o Chorão3 da Gangrena Gasosa ao vivo – sou fã da banda e dele como pessoa, sabia que a entrevista renderia e rendeu.

> Entrevistar Autoramas ao vivo também foi do caralho – são todos muito gente boa e verdadeiras enciclopédias vivas do rock, especialmente Gabriel e Bacalhau, claro, que são lendas-vivas.

> Houve uma grande frustração: era pro Leptospirose ter ido quando passaram por aqui, mas foram barrados na portaria porque estavam todos de bermuda!

ROCK’N’ROLL RADIO
ADELVAN E AS GATAS DO SILENT CRY...
...ENTREVISTANDO OS PUNKS DA CESSAR FOGO...
...E C/ AS JEZEBELS: SINTONIZADO NO ROCK



PROGRAMA DE ROCK
toda sexta das 20 às 22hs – Aperipê FM 104,9 Mhz
http://aperipe.swapi.uni5.net/players/playerfm.php

Nenhum comentário: