segunda-feira, setembro 05, 2011

AVENIDA OCEÂNICA
“ÁGUA MOLE EM PEDRA DURA” ATALAIA NOVA, 2011
Semana difícil essa que passou. Parente sendo operado, meu contrato cancelado, entrevista de emprego – deu em nada! – e eu no vermelho c/ uma reforma que não termina... Mas meus problemas são fichinha comparados aos dos meus vizinhos da Atalaia Nova.

Na madrugada de terça p/ quarta, uma ressaca do mar arrastou as pedras de contenção, derrubou muros e adentrou casas no final da Av. Oceânica. “Nunca vi nada parecido”, diz dona Gedalva, que mora e tem um bar ali. “Os ventos eram muito fortes e as ondas mais ainda, o mar saiu arrastando tudo que havia pela frente.Muito triste mesmo.

Dona Gedalva é mãe da melhor amiga de uma ex-namorada minha. Eu já freqüentei não só o bar mas a casa dela, que junto c/ outras 11 está interditada pela Defesa Civil por causa do risco de desabamento. “Foi um susto, há muito tempo não via o mar tão agressivo”, comenta dona Maria de Fátima, que perdeu móveis, TV e até a geladeira depois que a água invadiu.

Eram quatro da manhã quando acordei já com a água tomando conta da minha casa. O muro foi derrubado e as ondas praticamente cobriram minha residência, inundou tudo.” A Atalaia Nova é um braço de terra na embocadura do Rio Sergipe. O avanço do mar é constante e as ressacas são cíclicas, vêm de 2 em 2 anos, como eu registrei aqui em agosto de 2007 e maio de 2009.

Tudo começou c/ a construção de um molhe p/ conter o avanço do mar na Coroa do Meio em Aracaju, do lado continental. Um quebra-mar também foi construído do lado de cá do rio, porém nas marés mais altas, na hora da cheia, a barreira forma um refluxo que levanta as ondas. Postes ameaçam cair, bares estão abandonados c/ a estrutura comprometida.

Pedras foram colocadas na reduzida faixa de areia que sobrou. A ressaca da última quarta arrastou quase todas. “Nós passamos por esse problema há anos, já cobramos das autoridades que refizessem a barreira”, continua dona Maria. “Nada foi feito e novamente fomos prejudicados.” Ela ganhou sua casa em um programa da prefeitura, nos anos 80.

Isso foi uma tragédia anunciada”, diz Manoel Domingos, dono da casa verde localizada bem em frente ao encontro do rio c/ o mar, trecho onde costumo passar os reveillons. “Tem um bom tempo que pedimos para os órgãos públicos restaurarem a mureta de proteção, mas ninguém veio. Foi preciso esta destruição para eles verem que era necessário.

A RUA QUE VIROU PRAIA
 LOCAIS CARREGAM PEDRAS NA AV. OCEÂNICA
 MUTIRÃO P/ FAZER O QUE O ESTADO NÃO FAZ
DONA GEDALVA E SEU BAR DESTRUÍDO
 DONA MARIA E O QUE SOBROU DO MURO
IMAGINA PERDER SEUS PERTENCES ASSIM
A CASA VERDE DE MANOEL DOMINGOS

VIVA LA BRASA + Jornal da Cidade + EmSergipe / imagens: André Moreira + F5
agradecimentos:  Karina Mendes, Denise Gomes e Átila Amaral

Um comentário:

Anônimo disse...

É muito triste ver a natureza revoltada e ver destruir o que todas essas pessoas levaram a vida inteira para construir. O que me conforta é o essas pessoas são guerreiras e com certeza irão dar a volta por cima...


kelly!