sexta-feira, novembro 11, 2011

DO INFERNO 
Me and the Devil was walkin’ side by side”... Robert Johnson cantava sobre seu encontro c/ o capeta, os Rolling Stones têm simpatia pelo demônio, mas foi o Black Sabbath que amplificou o blues & as trevas e gritou: “Is it the end, my friend? Satan’s coming ‘round the bend, people running ‘cause they’re scared. The people better go and beware!

O heavy metal nasceu na Inglaterra, final dos anos 60, quando 4 cabeludos cansaram do papo hippie da época e resolveram fazer um som power’ sem ‘flower’. Flor, só se fosse de cemitério. “Nós éramos pobres”, lembra John Michael ‘Ozzy’. “O Sabbath foi uma reação contra aquela merda de paz, amor e felicidade. Era só olhar em volta e ver que bosta de mundo!

Todos vinham da classe operária e viviam na feia-e-fria Birmingham. Tony Iommi perdeu a ponta dos dedos num acidente de trabalho e passou a usar próteses que lhe permitiram tocar c/ mais peso que os guitarristas normais. Bill Ward também era brutal nas baquetas e Geezer Butler muito veloz no baixo. Ozzy Osbourne tinha um jeito chapado de cantar que garantia “free-pass” nos bares da cidade. Bem melhor que “flower-power”.

Os cabulosos mostraram a que vinham logo no 1º LP, lançado pela obscura Fontana Records na alvorada dos anos 70. A capa c/ uma bruxa já criava um clima, quando a agulha tocava no sulco vinha o medo: chuva, sinos, sirene... “What is this that stands before me? Figure in black which points at me...”, Ozzy pergunta daquele jeito demente dele. Soa um trovão. Filme de terror.

As letras iam de críticas sociais – “A woman goes to work every day after day/ She just goes to work just to earn her pay/ Child sitting crying by a life that’s harder/ He doesn’t even know who is his father[Wicked World] – aos temas que os tornaram célebres, bruxaria, ocultismo, satanismo – “Look into my eyes, you will see who I am/ My name is Lucifer, please take my hand[N.I.B.]. Chegam ao 8º lugar nas paradas inglesas. Nada seria como antes.

O 2º álbum, PARANOID, alcança o 1º lugar e ganha 1 disco de ouro e 7 de platina. Nos lançamentos seguintes –  MASTERS OF REALITY, VOL. 4, SABOTAGE estabelecem as bases de toda a cultura metaleira: do cabelão às tattoos, do culto ao tinhoso às roupas pretas, afinações em ré sustenido, mi bemol pra baixo... O cão chupando manga. Em 8 LPs, deixaram o legado p/ toda a música barulhenta & violenta que viria depois.

Como é de praxe nos gênios, nunca se prenderam à fórmula que eles mesmos criaram. Flertaram c/ jazz, progressivo e gravaram balada famosa – quem nunca ouviu o teclado climático do Rick Wakeman em Changes? Em Supernaut, o solo de bateria lembra um samba... Foram 10 anos c/ a mesma formação. Em 1978, Osbourne sai p/ uma bem-sucedida carreira solo: 90 milhões de cópias vendidas em 11 álbuns. “Enquanto houver garotos chateados, haverá heavy metal!

O Sabbath vendeu 100 milhões de discos em 4 décadas e continuou tão influente que o gesto do chifrinho c/ a mão foi criado pelo cantor substituto Ronnie James Dio, falecido em 2010. Alguns vocalistas depois, a real é que sempre houve tentativas de reunião entre Ozzy e sua ex-banda. “Não entrei nessa pra ser rock star, eu nem pensava em gravar um disco quando começamos!

Em 1992 arriscam uma jam na Califórnia durante a No More Tours. Em 97 apresentam-se no OzzFest tocando clássicas como Snowblind, Sweet Leaf, War Pigs, Electric Funeral, Children of The Grave, Into The Void, Sabbath Bloody Sabbath... O momento rende o Grammy de Best Metal Performance e o CD duplo ao vivo REUNION, c/ duas novas composições – Psycho Man e Selling My Soul.

Osbourne e Iommi passaram anos brigando pelos direitos sobre a marca, até finalmente selarem  um pacto. Há uma semana, o site oficial da banda passou a exibir os números 11.11.11 abaixo do logotipo. No Facebook e no Twitter, link p/ o lugar onde se apresentaram pela 1ª vez nos EUA, o Whisky A Go Go em Los Angeles.

Ozzy, 62, Geezer, 61, Bill e Tony, 63, usaram a data cabalística como jogada de marketing p/ anunciar o lançamento de um álbum de inéditas até o fim de 2011, o primeiro dos 4 desde NEVER SAY DIE há 33 anos. Na produção, Rick Rubin. Em seguida saem em turnê – já têm datas fechadas até junho, como o Download Festival na Inglaterra. “Acho que estou ficando louco mas enfim, enquanto estiver aproveitando, tudo bem”, diz Oz.

Vi quando o Cordeiro abriu o sexto selo e sobreveio grande terremoto, o sol se tornou negro como um saco de crina, a lua toda como sangue, as estrelas do céu caíram como a figueira quando abalada por vento forte, e o céu recolheu-se como um pergaminho quando se enrola”, reza João no capítulo 6 do Apocalipse Depois disso, vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, conservando seguros os quatro ventos, para que nada soprasse sobre a terra, nem o mar, nem sobre árvore alguma.

O diabo é o pai do rock. Robert Johnson vendeu a alma numa encruzilhada e morreu aos 27. Os Stones já têm quase 70 e ainda pegam a estrada. Se o mundo acabar em 2012, que seja ao som de Black Sabbath. 
11/11/11
SABBATH EM 75 E HOJE, NO WHISKY A GO GO
...FIM DO MUNDO CONFIRMADO P/ 2012

ÚLTIMA APRESENTAÇÃO DO SABBATH C/ OZZY NA TV: TOP OF THE POPS - BBC 1978

Nenhum comentário: