sábado, agosto 27, 2011

ACIMA DA MÉDIA 
O FUTURO JÁ CHEGOU... E VEM DO BRASIL
Superlativo. Imparável. Avassalador. Em apenas 2 anos de surf profissional, Gabriel Medina já esgotou o uso de adjetivos como ‘fenômeno’ e ‘prodígio’. São tantas atuações de tirar o fôlego, c/ notas 10, médias altíssimas e vitórias arrebatadoras, que a mídia especializada está tendo que ser tão criativa na descrição de seus feitos quanto ele é nas ondas c/ suas manobras futuristas. Aos 17, já acumula 3 vitórias no circuito mundial e está classificado p/ o World Tour – estréia em setembro, na Califórnia.

Sua última façanha foi a vitória de ponta-a-ponta na França, primeiro no Airwalk Pro Junior, dia 14, e em seguida no Sooruz Lacanau Pro, no mesmo domingo que a Seleção Sub-20 conquistava o mundial de futebol. Medina é o primeiro surfista a vencer as duas categorias em 32 anos desta etapa na ASP, c/ direito a 4 notas 10 ao longo da semana – uma delas na final. “Estou chocado, ele só me envergonhou aqui”, disse no pódio o vicecampeão Mitch Crews, da Austrália, provocando risos na praia. “Na real ele é um surfista incrível e estou feliz com o segundo lugar.”

Gabriel surgiu em 2009 como o mais jovem vencedor de uma etapa do Qualifying Series. Tinha 15 anos e ainda era amador quando bateu na final do Maresia 6* em Floripa o local Neco Padaratz, 32 e top do WT. Prêmio: US$ 20.000,00 e profissionalização imediata. No segundo semestre chocou o mundo em sua primeira vitória na França, c/ a média perfeita de 20 pontos – duas notas 10 – na final do King of the Groms, espécie de mundial sub-16, igualando a marca de Kelly Slater em Teahupoo 2005. Eleito a revelação do ano pelos leitores das revistas Fluir e AlmaSurf.

Em 2010 impressionou o campeão mundial Martin Potter, pai da nova escola, c/ “uma das melhores performances já vistas” durante o ISA World Junior. Campeão sub-18 na Nova Zelândia, somando 19.90 p/ derrotar um australiano, um taitiano e um sulafricano na final. As notas que descartou – 9.46, 8.50 e 8.20 – ainda superariam as melhores dos seus oponentes. Na Austrália, venceu o Grom Search e ganhou a vaga p/ o Rip Curl Pro em Bells Beach, batendo o campeão mundial CJ Hobgood e perdendo apenas p/ o bicampeão Mick Fanning, que ele afirma ser seu ídolo, num misto de elogio e estratégia já que ambos são patrocinados pela mesma marca.

Chegou às semifinais no mundial sub-20, também na Austrália, c/ direito a nota 10, e a mais uma semi no QS da Espanha, onde compete novamente semana que vem. Na França, a segunda vitória: Cash for Tricks, campeonato internacional de aéreos que lhe valeu €1.425,00 e um contrato c/ a Nike.Ele está absolutamente fora da curva média de rendimento”, diz o jornalista Túlio Brandão, do site Waves. “Decide quase todas as suas baterias com combinações humilhantes e pontuações que muitas vezes ultrapassam os 19 pontos. Descarta, com freqüência, notas superiores a 8 pontos. Parece um Tyson no auge.

No início de 2011 foi a vez do Boost Mobile SurfSho, outro campeonato de aéreos, outra vitória na Austrália. Notas 10 e 9.93 na final, descartando um 9.07 e levando p/ casa um BlackBerry e mil dólares. Em maio calou a boca dos que se apressaram em taxá-lo de maroleiro, c/ um desempenho sem precedentes na pesada onda da Praia da Vila, durante o SuperSurf em Santa Catarina. Marcando três notas 10 e as oito melhores médias, sendo 3 delas acima de 19 pontos nas quartas, semi e final, Gabriel obteve sua segunda vitória no circuito mundial apresentando, literalmente, um super surf.

Eu diria que, na Vila, Medina foi além: mostrou ao mundo um novo jeito de surfar ondas de 6 pés, que até então não tinha sido apresentado por nenhum outro surfista do mundo”, completa Brandão. Como se estivesse no quintal de casa em Maresias [SP], abria suas atividades c/ 360 airs, kerrupts & superman no ponto mais crítico das paredes de 2 metros, emendando manobras na face até o inside. “Ninguém conseguiria ganhar dele hoje”, admitiu o australiano Tom Whitaker, ex-top WT e vice da etapa. “Durante duas horas tudo que não era Medina ficou antigo e ultrapassado”, resumiu Júlio Adler na revista Hardcore.

C/ a vitória no SuperSurf, tornou-se o mais jovem a vencer um evento Prime da ASP. Prêmio: US$ 40.000,00 e 6.500 pontos na classificação. Na semana seguinte ficou em 2º no Quiksilver Prime em Portugal – mais $20 mil dólares e 5.200 pontos na tabela – e em julho foi destaque no Mr.Price Pro na África do Sul, dois campeonatos que testaram seu surf de backside em ondas de responsa, sejam de linha ou tubulares. Gabriel é imprevisível, tem um amplo arsenal de manobras aéreas, voa alto c/ projeção, quase nunca cai da prancha, e alia tudo isso a batidas, rasgadas e laybacks.

I just like to go big”, disse no pódio em Lacanau. Medina asserts domination”... Medina makes history”... As manchetes eram todas nesse naipe na França. Ele já não tem mais adversários na sua faixa etária, apenas admiradores. “Gabriel é um dos meus surfistas favoritos”, falou o 3º colocado, Kolohe Andino, que tem a mesma idade e foi eliminado por ele. Logo no início da semi, Medina pôs o campeão americano jr. em interferência. “Eu não queria fazer papel de bobo, mas ele fechou a disputa logo nos primeiros 2 minutos”, lamentou Andino. “Em ondas assim é impossível conseguir dois 10”. 

Não p/ Medina Show, apelido ganho após as vitórias back-to- back das últimas semanas. Gabriel, que já era chamado na imprensa estrangeira de “Wonder Kid” e “Rise Talent”, venceu o Airwalk Pro Junior c/ 100% de aproveitamento, fazendo as 7 melhores médias do campeonato e deixando todos os outros competidores em combinação nas 7 baterias que disputou – situação semelhante a um time estar 2 gols à frente no placar de uma partida. C/ seus aéreos reverses de ponta-cabeça que mais parecem loops, o garotão sobrou entre os sub-20. Gabaritou a semi c/ outra média 20 e na final marcou seu terceiro 10 na competição. Fudido!

Ao longo da semana passada seguiu batendo recordes e mesmerizando o público francês, que acompanhava suas apresentações na beira d’água. No Sooruz Pro venceu mais 6 baterias, c/ picos de 19.63 na 2ª fase e 19.23 na final. Abriu a decisão contra Crews tirando um 8.00, seguido de 7.43, 9.23, 7.10, 9.00, 8.53 e finalizou c/ um 10, p/ não perder o hábito. “Estou apenas tentando fazer as coisas que costumo fazer em casa”, falou Medina mais uma vez no topo do pódio. “Lacanau é muito semelhante ao pico de onde venho, eu curto muito estar aqui.

U$ 20.000,00 mais rico, será também o mais jovem a estrear no WT. C/ 27.058 pontos, está em 17º no ranking mundial unificado e terá pela frente 4 etapas da 1ª divisão em condições totalmente favoráveis. “Defina a onda como uma esquerda que varia de 1 a 6 pés, mais afeita a manobras que a tubos, perfeita”, Túlio Brandão cogita: “Agora, encaixe no contexto do atual modelo de julgamento da ASP, que valoriza e estimula as manobras aéreas mais progressivas. Neste cenário, não há como fugir do óbvio – Gabriel Medina é o melhor do mundo.

Jeff Mull, repórter ianque do GrindTV, admite que por décadas o termo “surfar como um brasileiro” foi usado de modo pejorativo. “Antiestético, um estilo que não caía bem. Mas a nova geração está demarcando um novo território, e na frente dessa revolução está um garoto moreno de cabelo enrolado com apetite voraz para notas 10. Seu nome é Gabriel Medina. Com um exército de camaradas na retaguarda e um futuro brilhante pela frente, ele está redefinindo não só a reputação do surf brasileiro, mas o surf progressivo como um todo.

O moleque é tão campeão que vence até preconceito. “Eu entro pra arriscar mesmo nas baterias”, diz tranqüilo entre sessões de skate e horas vagas no Facebook. Normal fora d’água, freak total c/ a prancha nos pés, o piá que queria ser jogador de futebol já começa a tirar o sono de muito surfista profissional consagrado. “Eu não tenho nada a perder, então arrisco os aéreos mais difíceis depois que já consigo uma boa vantagem nas baterias. É isso, apenas tento me divertir mostrando o que sei fazer. E tem dado certo.

Alguém aí já usou a palavra ‘gênio’?

MEDINA SHOW
GABRIEL É UMA MÁQUINA DE FAZER DINHEIRO
 
AÉREO SUPERMAN NA NOVA ZELÂNDIA, ISA 2010
 FREE SURF NAS MENTAWAII, "A MELHOR VIAGEM"
 COMPETINDO NO WT DE BELLS BEACH, AUSTRÁLIA
 KERRUPT FLIP NO SUPERSURF, SANTA CATARINA
DUPLA VITÓRIA HISTÓRICA EM LACANAU, FRANÇA
 NADA MAL P/ UM ADOLESCENTE DE 17 ANOS





quarta-feira, agosto 24, 2011

HORA DO LIXO
Estreou à zero-hora de ontem [ou à meia-noite de segunda, você decide] o programa TRASH HOUR, apresentado pelo meu amigo-de-fé-irmão-camarada Allan Sieber direto do seu estúdio Toscographics, onde ele produz tiras diárias p/ a Folha, quadrinhos p/ a Playboy e animações p/ a nova atração do Canal Brasil.

A direção é do guasca Fabiano Maciel, que escreveu junto comigo os roteiros, e a produção é do não menos guasca Nuno Godolphim”, elenca o apresentador, cartunista & criador do Negão Bolaoito, que comandará um talkshow animado. “Tem o Flu fazendo a trilha e o Edu K na voz do Bolaoito. Ou seja, é quase um CTG em pleno Rio. Que merda!

Allan também entrevista – convidados do naipe do artista um-sete-um Cabelo, o primeiro convidado; Marcela Rossi, ex-freira e ex-lésbica; e Marlon & Mairon, a dupla caipira de um homem só. “Tem motorista de ambulância, camareira de hotel, astróloga, metaleiro... E provavelmente é o único programa na TV brasileira onde dá pra fumar e beber.” São 12 minutos c/ quadros como Fala Que Eu Não Te Escuto e Faça Você Mesmo, que ensina a ganhar dinheiro fácil sem sair de casa.

E tem a Mulher Audiência. A atriz Thatiana Moraes interpreta a assistente que manda no patrão. “Ela fotografa perfeitamente, tem atitude”, diz o diretor, “e mora no Méier!”... Na reportagem A Mulher Audiência É do Méier, publicada na Piauí #56, a jornalista Mariana Filgueiras explica a idéia em torno da personagem. “O raciocínio foi o seguinte: todo programa de televisão com boa audiência tem mulher”. Como dá p/ ver no teaser, a loira é mesmo de subir o Ibope.

Dia 29 estréia a adaptação da série Vida de Estagiário, às 19h pela TV Brasil. “Achei incrível não terem cortado nada dos programas”, comemora Sieber. “As animações do Bola é que são as mais periclitantes, é só grosseria mesmo, hehehe.

sexta-feira, agosto 19, 2011

PLANO B
O Senhor tem um plano para sua vida, irmão!”, falou o pastor ao passar por mim na rua, me entregando um panfleto da Igreja Universal. Era início de 2004, eu acabara de ser despedido da produtora em que trabalhava e na real só tava andando cabisbaixo por causa do brilho do sol, que me alumiava as vistas mesmo usando óculos escuros [quem não tem colírio]...

Se o Senhor tem um plano p/ mim, deve ser um Plano B.

Meses depois, estou morando num quitinete classudo no Rio de Janeiro e os panfletos que me dão são de casas de massagem. Frequentando bons lugares em más companhias, vou parar num fim de tarde dentro de uma lojinha maluca no pé da colina de Santa Teresa. Logo ao entrar, um sujeito c/ óculos fundo-de-garrafa me intima:

- Você é o Adolfo, de Aracaju né?

- Não sei, você é da polícia?

- Eu te conheço! Tá lembrado de mim não?

- Lógico, pô! Quibe c/ Qsuco na Cinelândia por R$ 0,50!

Marcos OF do fanzine Meleka Korrosiva, um dos mais originais dos anos 90. Conheci num encontro de zineiros no Centro Cultural Banco do Brasil, perto da Candelária, em 96. O formato da maioria dos zines, incluindo o meu, era de uma folha A4 na horizontal dobrada ao meio – o dele era o único dobrado na vertical. Foi o 1º cara que eu conheci c/ o nome sujo no Serviço de Proteção ao Crédito. Um precursor.

- E aí, ainda tá no SPC?, perguntei enquanto fumávamos um no estúdio de tatuagem nos fundos da loja.

- Ah, aquilo ali vence depois de 5 anos! Ao invés de pagar a dívida, juntei uma grana e montei esse negócio c/os parceiros...

A Plano B é uma headshop incrustada no coração da Lapa que vende discos, livros, quadrinhos, roupas, tattoos e aos fins-de-semana se transforma numa casa de shows p/ artistas de vanguarda. A lojinha surgiu naquele ano e se consolidou como o melhor espaço p/ a música experimental de gente como Jesus Coca, Miss Seda, God Pussy etc. Bandas instrumentais, eletrônicas, instalações e videoarte.

A maior parte dos artistas não está ‘experimentando’, pelo contrário, sabe muito bem o que fazer e está fazendo”, dizem os atuais sócios Fernando Torres e Fátima Lopes. “Também promovemos regularmente cursos e workshops dedicados a métodos e técnicas de produção, criação artística e musical, como circuit-bending e pure data, visando incentivar a produção e provocar o surgimento de novos artistas.

Sexta-feira passada, um ataque cardíaco fulminante levou embora nosso amigo Marcos, “pesquisador musical e agitador cultural”, como o definem Fátima e Fernando. Hoje a Plano B fará uma noite especial em sua memória. “Um concerto bem ao estilo da casa que ele ajudou a fundar. Improviso livre com os músicos que já passaram por aqui, antes e depois das sessões vão rolar uns podcasts feitos por ele junto com o Sandro Machintal.

Programa imperdível p/ quem tá no Rio – ouvir um som na faixa e de repente encontrar aquele gibi raro ou o álbum importado que você queria há tempos. Quando estive lá comprei o Ódio do Peter Bagge, Sin City do Frank Miller e uma camiseta preta que tenho até hoje, tudo a um precinho camarada. Ainda fiz a cabeça e ganhei um CD pirata do Tim Maia Racional.

O caminho do bem/ já iniciou, está acontecendo/ Fase racional, não estão sabendo”...

UM PLANO P/ SUA VIDA


Dedicado a MARCOS OLIVEIRA FERREIRA [in memoriam]

quinta-feira, agosto 18, 2011

FAXINA 
Dilma Rousseff assumiu a Presidência do Brasil em janeiro. Em apenas 8 meses de governo, 4 dos seus ministros já caíram: Antonio Palocci, da Casa Civil, preferiu declinar a explicar seu enriquecimento; Alfredo Nascimento, dos Transportes, acusado de desvio de dinheiro; Nelson Jobim, da Defesa, pediu p/ sair porque falou demais. Ontem à noite foi a vez de Wagner Rossi, da Agricultura, se demitir depois de voar em jatinho de agroempresários.

E podem cair mais. A bola da vez é Pedro Novais, do Turismo, aquele deputado que pediu verba indenizatória à União em 2010 apresentando nota fiscal de um motel no valor de $2 mil reais. O TCU bloqueou bens de 28 envolvidos no roubo de R$ 6.700.000 do Ministério. “Eu rio quando leio em algum jornal que vou pedir demissão”, disse o velhusco na Câmara. “Só existem 3 maneiras de eu sair – se a presidente Dilma quiser que eu saia, se eu deixar de ter apoio do meu partido ou se eu adoecer.

Dilma está afastando a banda podre que herdou do governo Lula. Um embate ético de alta tensão, que mídia e classe política comparam a algo corriqueiro como a limpeza de um lar. “52% aprovam faxina de Dilma nos transportes”, mostra a manchete do Correio do Brasil. “Cristovam Buarque defende faxina de Dilma”, noticia O Globo. “PT avalia que Dilma exagera na faxina”, diz o IG. “Dilma resiste à pressão da base e avisa que faxina segue se houver denúncias”, publica o Estadão. A presidente tratada como diarista.

Xico Sá, da Folha, foi o 1º a notar o machismo da metáfora. “Qualquer ato da mulher leva o verbo faxinar logo de cara”, escreveu em sua coluna. “É elogiada por deixar as coisas limpinhas, como no Ministério dos Transportes; é criticada por fazer um serviço porco em outros cômodos do organograma do poder. Dificilmente há um texto ou matéria de rádio e TV que não ponha a Dilma em uma tarefa doméstica. Governar, que já foi ‘abrir estradas’ com o presidente Washington Luís nos anos 1920, não pode se resumir a diárias clandestinas sem carteira assinada.

Faxina foi o que aconteceu na Inglaterra. Armados de pás e vassouras, moradores de Camden, Croydon, Ealing e outros subúrbios londrinos foram às ruas, organizados através do Twitter. Não foi o caso de mais um confronto c/ a lei, mas uma espanada no rastro de destruição dos conflitos da semana passada. “Eu moro numa das áreas onde teve confusão”, conta minha amiga Patricia Seibel, direto de Hackney. “Moro a duas quadras da rua principal, onde teve quebra-quebra. Nem pude voltar pra casa no dia.

Também rolaram mutirões de limpeza em Birmingham e Liverpool. “Quando eu cheguei no dia seguinte, por volta das 11h da manhã, tinha quatro lojas quebradas na rua principal”, diz a gaúcha que eu conheci em Maceió. “Fora isso, nada de muito anormal. Não se via um único policial por lá e já estava tudo limpo. Vi uns 4 ou 5 moradores da área com vassouras nas mãos e uns funcionários da prefeitura recolhendo as latas de lixo, usadas como armas durante a confusão. Lá pelo final da tarde é que chegaram vários policiais para evitar que rolasse treta de novo.

Patricia faz parte dos 60.000 brasileiros que vivem em Londres – 2 deles estão presos por envolvimento na baderna. Anderson Fernandes, de 22 anos, e Leandro Santos, de 21, são acusados de saque a uma joalheria e receptação de produtos roubados, sem direito a fiança. 65% dos detidos tiveram pedido de fiança negado. O Reino Unido entrou numa cruzada contra os rebeldes, c/ direito a ações de despejo em moradias populares e toque de recolher p/ menores de 16. Os amotinados terão que restaurar zonas destruídas vestindo macacão laranja. “Quero que suas vítimas os vejam”, mandou o vice-premiê Nick Clegg.

Um inglês de 20 anos pode pegar 4 anos de cadeia por “encorajar ou dar assistência em uma ação ofensiva”. Seu crime: organizar uma batalha de pistolas d’água pelo Facebook. Segundo o jornal The Guardian, guerra de água é uma brincadeira comum na Inglaterra, febre no verão de 2008. O julgamento será em setembro, na corte de Colchester. “Temos que enviar uma mensagem dura, espero que os tribunais imponham sentenças duras”, falou o primeiro-ministro. Nem todos os britânicos concordam c/ essa linha-dura. P/ o social-democrata Tom Brake, do partido de oposição, “a Justiça não pode ser revanchista”.

Um estudante foi condenado a 7 meses de prisão por causa de um engradado de água mineral. Uma jovem, mãe de 2 filhos, vai pegar 5 meses por aceitar do namorado uma calça roubada. “É compreensível que os distúrbios sejam considerados um fato agravante pelos magistrados, mas algumas sentenças não estão levando em conta a gravidade real do delito e acabam fazendo troça do princípio da proporcionalidade”, diz Andrew Neilson, da Liga pela Reforma Penal. Governo inglês e mídia mundial fazem coro p/ reprovar a depredação, mas esquecem de dizer que tudo começou como um protesto contra a violência da polícia.

Desde ontem, manifestantes enfrentam as forças policiais da Espanha num protesto contra a visita do papa Bento 16 a Madri. “Dos meus impostos, nenhum centavo vai para o papa”, dizia uma grande faixa contra os 50 milhões investidos na Jornada Mundial da Juventude, organizada pela Igreja Católica. Quase 40% da juventude espanhola está desempregada, reflexo da crise financeira na Europa. Até na Índia, ex-colônia britânica, estão rolando passeatas anti-stablishment. O movimento foi deflagrado por motivos que conhecemos bem: corrupção nos altos círculos do poder. Greve de fome lá, e no Chile também.

Por aqui, os escândalos se sucedem e a opinião pública assiste anestesiada. Quando a presidente tenta se impor, é chamada de governanta. Talvez porque o Brasil seja a Casa da Mãe Joana. Nesse caso, o que Dilma está fazendo não é uma faxina. É uma dedetização.

PROTESTE JÁ
PRÉDIO DE 1930 QUEIMA EM TOTTENHAM...
 ...PREJUÍZOS NA ORDEM DE € 170 MILHÕES
HACKNEY, BAIRRO ONDE PATRICIA MORA
 PLAZA MAYOR, MADRI, ONTEM À TARDE
O QUE RESTOU DO DEPÓSITO DA SONY
A REVISTA NOIZE PRODUZIU UMA MIXTAPE C/ WHITE STRIPES E
OUTRAS BANDAS DAS GRAVADORAS XL, DOMINO E WARP, CUJO
ACERVO TB FOI DESTRUÍDO NOS INCÊNDIOS. CLIQUE NO LINK:
http://noize.virgula.uol.com.br/2011/08/12/mixtape-7/

 

sábado, agosto 13, 2011

O IMPÉRIO CONTRA-ATACA
London calling to the faraway towns/ Now that war is declared and battle come down/ London calling to the underwolrd/ Come out the cupboard all you boys and girls”...

Cumprindo a profecia do Clash, meninos & meninas pobres transformaram Londres num campo de batalha. Durante 4 dias e 4 noites a cidade queimou em conflitos que começaram no subúrbio de Tottenham e se espalharam pelas cidades de Bristol, Birmingham, Liverpool, Manchester e Nottingham, numa onda de protestos e confrontos c/ a polícia. Lojas foram saqueadas e prédios queimados, 1.500 pessoas foram presas, 500 indiciadas e 5 morreram – um homem baleado, outro espancado e 3 atropelados. O premiê britânico James Cameron classificou a sucessão de eventos como “criminalidade pura e simples”, e prometeu “justiça rápida” p/ os responsáveis.

A treta começou após o assassinato de um morador de Tottenham, Mark Duggan, pai de família de apenas 29 anos, pela polícia londrina – a mesma que matou o brasileiro Jean Charles pelas costas. Você já viu esse filme antes. Rebeldes se unem, combatem o sistema e, após a vitória inicial, são subjugados pelo império. As circunstâncias do conflito desta semana são muito semelhantes ao estopim das revoltas no mundo árabe. No Egito, o suicídio de um jovem inconformado c/ a corrupção e brutalidade policial foi o que motivou milhares de pessoas a acampar no centro do Cairo, e resistir aos tanques do governo até a queda de Hosni Mubarak.

Passados 6 meses da revolução egípcia, a praça Tahir continua a receber protestantes. “Civil! Civil! Abaixo o poder militar”, gritavam os manifestantes reunidos ontem, sexta-feira, durante visita do chefe de estado, marechal Tantawi. O julgamento de Mubarak não dá garantia nenhuma que se seguirá um governo democrático. Se parece ruim, pior é nos países vizinhos do norte da África. Na Líbia a guerra perdura, e nem o reconhecimento pela ONU das forças rebeldes como governo legítimo foi capaz de derrubar Muammar Khadafi. Mais de 10.000 líbios já morreram, 14 apenas nos confrontos dos últimos 2 dias.

Na Síria, 1.500 baixas no lado do povo esmagado pelo regime de Hafez Assad, que também resiste há meses à pressão popular e internacional p/ que deixe o poder – herdado do pai, Bashar Assad, que em 1982 matou 20.000 cidadãos num bombardeio em Hama. No último domingo a história se repetiu, e 200 foram mortos pelo exército na mesma cidade. Desde março, 10.000 sírios já foram presos e outros tantos se refugiaram nos vizinhos Líbano e Turquia. Arábia Saudita, Bahrein, Kuat e Marrocos condenaram a violência, mas e o Assad c/ isso?

Toda vez que eclode uma revolta popular nos países muçulmanos, a reação das ditaduras é a intervenção através da mão pesada do Estado, c/ uso da força em primeira instância e bloqueio dos meios de comunicação no movimento seguinte. Desde os protestos dos estudantes no Irã em 2009, reprimidos brutalmente pelas tropas de Ahmadinejad, a internet é a principal aliada dos rebeldes – e inimiga pública nº 1. Foi assim no Egito, no início deste ano, é assim na Síria, pelo menos até que o impasse se resolva... e é o que o primeiro-ministro da Inglaterra planeja fazer.

No início o número de policiais nas ruas foi muito pequeno e suas táticas não funcionaram”, diz Cameron, que pretende criar leis p/ monitorar o uso da rede em seu país, impedindo o acesso a depender do caso. “Vamos ver se é correto impedir que as pessoas se comuniquem por sites e serviços quando sabemos que estão planejando violência, desordem e criminalidade”, discursou no Parlamento, referindo-se às redes sociais. A Scotland Yard está de olho no Blackberry Messenger, que permite conversas c/ mais de uma pessoa em tempo real e a criação de grupos num sistema de ciclo fechado.

As mensagens podem ser rastreadas através da fabricante do BlackBerry, a empresa Research In Motion, que aceitou cooperar c/ as autoridades e teve seu site invadido em retaliação. O grupo cracker Teampoison assumiu a autoria do ataque, que consistiu no recado: “Não devem ajudar a polícia fornecendo conversas de chat, localizações GPS e informações de cliente, ou pessoas inocentes que tenham um BlackBerry e estejam no site errado na hora errada serão falsamente acusadas.” V de vingança.

O principal argumento do premiê é a falta de argumentos dos amotinados, e aponta a depredação de lojas p/ roubar aparelhos eletrônicos e roupas de marca como símbolo da alienação de uma geração de vândalos. “Não é questão de pobreza, é questão de cultura”, diz o camarão, “uma cultura que glorifica a violência, que mostra desrespeito à autoridade e que diz tudo sobre direitos, mas nada sobre deveres.” Neste ponto, o discurso do premiê britânico se alinha ao do presidente chileno.

Nada na vida é de graça, alguém sempre vai pagar a conta”, disse Sebastian Piñera na quinta-feira após 2 meses de protestos no Chile por reformas na educação. Piñera chegou a apresentar uma contraproposta, mas diante da negativa dos reinvidicantes mandou seus carabineros partirem p/ cima de 60.000 estudantes e professores na capital Santiago. Em uma das marchas, 850 civis foram presos. A comparação c/ Pinochet é cada vez mais recorrente.

Camila Vallejo, presidente da Federación de Estudiantes de la Universidad de Chile e musa do movimento, classificou as prisões como “táticas ditatoriais que violam as liberdades constitucionais, como o direito à reunião”. A resistência chilena começa a influenciar os estudantes na Argentina e no Paraguai, que também saíram às ruas esta semana. Em Aracaju, os professores municipais estão em greve p/ que a prefeitura equipare seus salários ao piso nacional.

Por mais que os moleques baderneiros do Reino Unido pareçam rebeldes sem causa, a confusão que eles criaram esta semana merece ser celebrada por sua capacidade de se indignar e protestar contra o status quo – estejam eles certos ou errados. “Atualmente, cerca de 1 milhão de jovens ingleses estão desempregados, grande parte deles não tem acesso ao sistema educacional”, lembra Cristiano Viteck, do blog O Dilúvio.

Não é a devoção a um conjunto fixo de normas de protesto que pode mudar a sociedade, mas o uso apropriado de táticas para alcançar objetivos”, escreve o jornalista Craig O’Hara no livro A Filosofia do Punk. “Às vezes a violência é necessária, às vezes ela é contraprodutiva.” O depósito que a Sony usava p/ distribuir CDs e DVDs no país foi totalmente destruído num incêndio. E a indústria fonográfica não pretende arcar c/ mais esse prejuízo.

A maioria dos amotinados tem menos de 18 anos. A polícia exibe imagens dos procurados em telões e os tribunais estão trabalhando 24 horas por dia. Entre os detidos, há um garoto de 15 anos acusado de roubar chicletes e chocolates, 3 meninos de 14 e uma menina de 12 indiciados por desordem pública, e um guri de 11 que pegou um cesto de lixo.

Controle de internet e prisão de crianças. A que ponto chegou o império britânico.

BLACKBERRY X CARABINEROS
LEMA PUNK: "SE VOCÊ NÃO TEM NADA, NÃO TEM NADA A PERDER"
A BATATA DE ASSAD TÁ ASSANDO
 GENTE BONITA PROTESTA NA SÍRIA...
...E CAMILA COMANDA EM SANTIAGO
CARABINEROS DE CHILE, OSSO DURO DE ROER
 
DUCHA DE ÁGUA FRIA NO MOVIMENTO ESTUDANTIL
 ENQUANTO ISSO, NA LÍBIA...