domingo, março 11, 2012

FITA DE MOEBIUS*
Desenho em estado de transe.

Jean Giraud, gênio das histórias em quadrinhos.

Nascido na França em 1938, cresceu lendo ASTERIX, TINTIN, SPIRIT e os pulps norte-americanos de aventura do pós-guerra. Sintetizou tudo isso em seu estilo de linhas finas e limpas, c/ pouco uso de sombras. Publicou suas primeiras histórias aos 18 na revista FAR WEST e chamou atenção de Joseph Gillain, o Jijé, autor de JERRY SPRING – emulação dos quadrinhos de faroeste.

Em 63, estréia na clássica revista PILOTE a série FORT NAVAJO. C/ roteiro de Jijé e desenhos de Giraud, o western tinha como protagonista o tenente Blueberry, anti-herói baseado nas feições do ator Jean-Paul Belmondo, individualista e sarcástico, que logo passou a batizar a série. BLUEBERRY trazia enquadramentos inéditos p/ as grandes paisagens e detalhismo em cada plano fechado, técnica que influenciaria um dos maiores nomes do gênero, o cineasta Sergio Leone.

Em 74, após uma temporada nos EUA, funda a Les Humanoïdes Associés c/ Enki Bilal, Jean Claude Gal e Richard Corben. Sob o pseudônimo Moebius, lança a MÉTAL HURLANT, revista de fantasia e ficção científica que explorava o absurdo, o erotismo, o surrealismo, e que anos depois daria origem à americana HEAVY METAL. “Minha ambição era tremenda”, disse numa entrevista. “Eu queria arrasar, para que todo mundo na indústria dos quadrinhos ficasse impressionado.”

Fizeram muito mais do que impressionar. “A ficção científica em quadrinhos atingia novos impactos pelas mãos deles, uma FC que abria espaço para o irracional, o inexplicável, o onírico, por vezes sem vinculação a um enredo maior, no desdobrar dos eventos”, escrevem Carlos Patati e Flávio Braga no ALMANAQUE DOS QUADRINHOS. “Mas sempre com conceitos visuais e realizações plástico-narrativas audaciosas.” As séries ARZACH, GARAGEM HERMÉTICA e O INCAL – roteirizada pelo chileno Alejandro Jodorowisky – elevaram Moebius ao status de lenda.

Recebeu convites de Hollywood. Em 79 desenvolveu os cenários de ALIEN, dirigido por Ridley Scott, e em 82 desenhou o storyboard de TRON, dos estúdios Disney. Fixou residência na América durante 4 anos, período em que trabalhou em filmes como WILLOW e O SEGREDO DO ABISMO, e numa versão do confronto do Surfista Prateado contra Galactus, “o devorador de planetas”, clássico da Marvel c/ roteiro de Stan Lee. Voltou à Europa em 89, onde seguiu publicando.

Realizou a série erótica GRIFFES D’ANGE, roteirizou a releitura de LITTLE NEMO do pioneiro Winsor McCay, e deu sequência aos seus antigos sucessos europeus c/ LES VACANCES DU MAJOR e APRÈS L’INCAL. Em parceria c/ Jiro Taniguchi, fez o mangá ICARO e influenciou toda uma geração de japoneses. Alguns dos melhores quadrinistas do nosso tempo devem até a última gota de nanquim ao traço de Moebius: os italianos Milo Manara e Paolo Serpieri, o alemão Mathias Schulteiss, o americano Geoff Darrow e o sergipano Luiz Eduardo são alguns exemplos.

Jean Giraud, o Moebius, morreu ontem aos 73 anos.

Sua obra permanecerá viva.

Em estado de transe.

SUPERFÍCIE NÃO-ORIENTÁVEL
JEAN GIRAUD *08/05/1938 - +10/03/2012
 

*A fita de Moebius é o espaço topológico proposto pelo matemático alemão August Ferdinand Möbius: uma fita c/ as pontas coladas após dar-se meia-volta numa das extremidades, formando uma superfície não-contornável estudo que estabeleceu as bases da orientabilidade.

Nenhum comentário: