segunda-feira, maio 28, 2012

O VELHO E O MAR
O velho era magro e seco, com profundas rugas na parte de trás do pescoço”, escreveu Hemingway em O VELHO E O MAR. “Tudo nele era velho, menos os olhos, que eram da cor do mar e alegres e não vencidos.

Zé Peixe era prático da Marinha, guiava as embarcações na boca da barra do Rio Sergipe. Fez sua lenda pulando do alto de navios em alto-mar e nadando de volta à terra firme ao final de cada dia de trabalho – durante mais de 50 anos. Tipo um super-herói, um Aquaman. Só parou aos 80. As rugas pareciam escamas. Os gringos o chamavam de Joe Fish. Morreu há 1 mês, no dia 26 de abril, vítima do Mal de Alzheimer.

Zé Peixe é um ícone para Sergipe”, discursou o capitão-de-fragata Berivaldo Vieira quando Zé recebeu a medalha Almirante Tamandaré: “Ele foi prático em uma época em que existiam poucos recursos tecnológicos e chamou a atenção pela forma como desempenhava o seu trabalho. Passava muita serenidade para os comandantes que realizavam as manobras e virou referência para a praticagem.

A estátua de permanece de pé na Capitania dos Portos.
FOTOS: ED KAISH + ARQUIVO PESSOAL

JOSÉ MARTINS RIBEIRO NUNES [05/01/1927* - 26/04/2012+]

sábado, maio 26, 2012

CHEIRO DA TERRA 
A polícia existe p/ servir e proteger. Servir a quem? Proteger de quê?

A polícia representa o aparelho repressivo do Estado que tem sua atuação pautada no uso da violência legítima”, define Celma Tavares, jornalista mestre em Ciências Políticas pela UFPE. “Mas essa violência legítima está ancorada no modelo ‘ordem sob a lei’, ou seja, a polícia tem a função de manter a ordem, prevenindo e reprimindo crimes, mas tem que atuar sob a lei, dentro dos padrões de respeito aos direitos fundamentais do cidadão – como direito à vida e à integridade física.

Durante anos, acreditou-se que a truculência e corrupção da Polícia Militar originava-se da falta de preparo e na baixa remuneração do seu quadro. Hoje, um policial militar em Sergipe ganha no mínimo R$ 2.576 por mês, chegando a mais de $13 mil nas altas patentes – acima da média nacional, superando os salários do Exército. “As carreiras mais bem aquinhoadas com aumentos de salários nos últimos anos são representadas por fortes sindicatos ou associações de classe, que lutam por seus interesses”, divulgou em nota o Clube dos Militares.

O que justifica então os episódios protagonizados pela PM em Aracaju?

Cláudio Miguel é vocalista do grupo Cataluzes, autor de um clássico do cancioneiro sergipano, ‘Cheiro da Terra’, faixa 3 do álbum de estréia da banda em 1983, VIAGEM CIGANA, gravado no Rio de Janeiro. “Um disco histórico”, atesta Rian Santos do Jornal do Dia. “Com apenas 16 canais, o Cataluzes conseguiu mais do que muito músico entupido de recursos, com a participação do saudoso Paulo Moura, que assina os arranjos e a direção artística. O grupo foi o primeiro vencedor do Festival de Música Popular Sergipana, no início dos anos 80, abrindo a porteira para a caralhada de bons músicos e compositores que desembocaria na diversidade criativa de nossos dias.

Na quarta-feira 16/05, Cláudio Miguel tocava uma composição nova que entrará no próximo disco, reunido c/ amigos em frente a uma loja de conveniência, quando um Beetle desgovernado invadiu o posto e bateu numa bomba de combustível. “Ouvi o estrondo, de repente apareceu um garoto nervoso chorando e eu o levei pra dentro da loja”, relata o músico. Em seguida, retirou seu próprio carro do local – temendo uma explosão – e voltou p/ pegar o violão. A polícia o esperava. “Eles disseram pra mim que ‘quem protege bandido é bandido também’ e aí eu disse que aquela atitude era uma molecagem porque todos me conhecem e eu não sou bandido.

Preso por desacato, foi conduzido algemado dentro de um camburão até a delegacia, onde permaneceu por duas horas e assinou um termo circunstanciado. O que ‘us hômi’ não sabiam é que estavam levando o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/SE. Cláudio, advogado, abriu processo contra seus algozes. “Fui violentado enquanto cidadão. Eu é que fui desacatado e não ficarei submisso a pessoas despreparadas para exercer a função de policial.

É até bom que isso tenha acontecido c/ alguém de tal porte, c/ voz ativa e capaz de se defender. Imaginem o que pega na periferia, pelas quebradas, na calada da noite – sem ninguém saber. “Assusta, assalta os delinqüentes dos vis albergues naturais”, já dizia a letra de ‘Vida Cigana’. A OAB divulgou nota de repúdio em que “reafirma a necessidade de melhores mecanismos para avaliação do preparo técnico e psicológico dos agentes policiais do estado de Sergipe, sobretudo diante dos últimos acontecimentos.” Referência ao massacre no Hospital de Urgência.

Na noite da sexta-feira 27/04, uma tentativa de assalto descambou p/ uma troca de tiros. O irmão de um tenente da PM foi atingido nas costas e não resistiu. Os 3 ladrões foram baleados, mas conseguiram fugir de moto. O sobrinho do tira, que acompanhava o pai, também sobreviveu e foi p/ o hospital c/ uma bala na perna. De lá, ligou p/ a família avisando que os bandidos estavam sendo atendidos no mesmo setor que ele. Em poucos minutos, o tenente e seus 2 outros irmãos – um deles soldado da PM – invadem o hospital e matam 3 pessoas à queima-roupa.

Segundo testemunhas, o tenente arrancou Márcio Alberto Silva Santos da maca e atirou no peito da vítima. O irmão soldado teria disparado contra a cabeça de Adalberto Santos e assassinado Cledson dos Santos c/ 7 tiros: um na orelha, um no pescoço, um na barriga, 2 nas costas e 2 na nuca. “Após o massacre, os PMs e o outro irmão saíram tranquilamente do hospital, mesmo com a presença de policiais militares, civis e seguranças de uma empresa particular”, informa o site Alerta Notícias.

O governador destacou o coronel Maurício Iunes p/ o comando da Polícia Militar de Sergipe. “Tudo vai ser apurado”, diz o novo comandante. Iunes é conhecido por ser linha-dura, já enfrentou até rebelião de presídio, mas há 2 anos teve que entregar seu cargo de comando no policiamento militar da capital após acusação de espancar e manter sob cárcere privado um universitário de 20 anos que estava saindo c/ sua filha de 14.

Nós nos encontramos pela 1ª vez aquele dia, na porta do condomínio Mar Azul”, depôs Paulo Ítalo. “Na hora o coronel chegou, me algemou e me levou pra casa dele, onde ele e o filho me espancaram por 30 minutos.” Iunes dá sua versão: “Eu o acusei de aliciamento de menores, trouxe pra casa e o detive porque ele ficou agressivo e quebrou o braço do meu filho Tiago. Se eu tivesse batido durante meia hora, garanto que ele não poderia nem falar.

Candelária, Carandiru, Carajás, Pinheirinho. Exemplos não faltam de uso arbitrário da força e abuso de autoridade da PM. Eu não vi, não ouvi e não falei. Só sei que a polícia nunca está por perto quando a gente precisa. Servir a quem? Proteger de quê? 

Eu quero o cheiro das manhãs da minha terra, ver o sol descer na serra e o vento norte soprar/ Eu quero mesmo é ficar bem juntinho dela, na praia de Atalaia, mirando as ondas do mar”...

domingo, maio 13, 2012

NÃO ME MANDE FLORES
FEMEN & SEXO ÁGIL: “MULHERZINHA É O CARALHO!”
O movimento que o corpo faz, de vergonha, pra cobrir o peito, não é feito só pela coluna que se curva e pela mão que esconde. Ele fica entranhado, movendo na alma, e a vergonha acompanha por toda vida o pensamento”, escreve Karina Buhr no blog-manifesto SEXO ÁGIL, lançado no dia internacional da mulher junto a um ensaio fotográfico em que posa topless ao lado de outras artistas – a atriz Mariah Teixeira e as cantoras Nana Rizinni e Marina Gasolina – e um marmanjo – Adriano Cintra, ex-CSS.

Sempre odiei o 08 de março, não faz sentido: o mundo é uma merda e chega essa data e você ganha uma florzinha”, diz Karina, que lançou seu 2º disco solo ano passado, LONGE DE ONDE.  “Perdi a paciência e convidei pessoas queridas que achei que iam topar. Viajei na história das meninas mostrarem o peito nas fotos e o homem se esconder, trocar essas obrigações impostas, pra brincar, pra tentar abrir o olho, de uma pessoa que seja.” Meus olhos abriram. Belos peitos, c/ todo respeito.

Das primeiras operárias ao sufrágio universal, foi um longo caminho p/ as mulheres na conquista de seus direitos, e hoje filhas e netas das que queimaram os sutiãs nos anos 60 protestam tirando a roupa. A moda começou na Ucrânia c/ o grupo Femen – já falei sobre elas e não canso de apoiar o movimento. Ativistas que agem seminuas em intervenções contra o governo, os impostos, o machismo e até jogos de futebol. Em sua última ação, tentaram roubar o troféu da Eurocopa, que acusam de envolvimento na máfia da prostituição.

O problema é que as máfias que lucram com prostitutas controlam os governos”, explana Inna Shevchenko, porta-voz do grupo. “Representamos o novo feminismo, o feminismo em ação. Se o corpo da mulher pode vender todo tipo de coisa, nós também temos que usá-lo para vender idéias sociais.

Não é brincadeira. Oksana  Shachko, 24 anos, pode passar os próximos 5 na cadeia por mostrar os seios e mandar à merda o embaixador indiano em Kiev. “Era um protesto feliz pelos direitos das mulheres ucranianas”, defendeu-se na primeira audiência Oksana [“uma garota com rosto de boneca”, segundo Sergei Supinsky da AFP]. Outras ativistas, incluindo Inna, também foram presas em diversas ocasiões, como as eleições russas – contra o redivivo Putin – e os escândalos sexuais – de Berlusconi a Strauss-Khan.

Seus atos podem mudar o mundo ou apenas alimentam uma mídia obcecada por sexo?”, pergunta Dialika Neufeld no jornal alemão Der Spiegel. “As pessoas vêem a mensagem além dos seios nus?”, questiona Taara Martsenyuk, socióloga ucraniana radicada nos EUA.

Devemos pensar no feminismo não como um clube exclusivo ao qual se tem acesso por tortuosos caminhos institucionais (Quem vende o título deste clube? Onde entregam a carteirinha?), mas como aquilo que o inspirou desde o começo”, pondera a jornalista e filósofa Carla Rodrigues no artigo O FUNK É FEMINISTA: “Ser um movimento plural, sem hierarquias, dogmas, controle ou estrutura centralizadas, que não defende uma verdade, mas está em permanente construção de uma agenda em evolução.

Igualdade salarial de gêneros, casamento entre pessoas do mesmo sexo e liberdade individual para abortar estão na luta da mulher do século XXI. Shevchenko crê que o estilo de protesto Femen será cada vez mais visto no Brasil, nos States, na África, Austrália, Japão e até China. “Vamos difundir nossas idéias femininas a respeito de todos os temas em todo o mundo.

PAGANDO PEITINHO
 ATIVISTA DO FEMEN EM ATAQUE-SURPRESA, ONTEM
OKSANA SHACHKO PODE PEGAR 5 ANOS DE PRISÃO
OKSANA E AMIGAS SE PREPARANDO PARA A AÇÃO
MARIAH, MARINA, KARINA & NANA: SEXO ÁGIL