segunda-feira, junho 18, 2012

TODAS AS MULHERES DO MUNDO
FOTO: ARTHUR SOARES [CINFORM/ SNAPIC]
Marcha do Milhão. Marcha para Jesus. Marcha da Maconha. Encontre uma causa e marche por ela. “Tout finira au marche aux puces.

Junho começou c/ a estréia da Marcha das Vadias em Aracaju. Convocadas pelas redes sociais c/ direito a flyer ilustrado pelo cartunista de esquerda Carlos Latuff, centenas de garotas – e dezenas de barbados – marcharam da praça da Catedral à praça do General, entrando pelo Largo Esperanto, passando pelo calçadão da João Pessoa, parando o trânsito da rua Itabaianinha.

Puta, vagabunda, é elogio se significa desprendimento das suas regras idiotas.

Mulheres comportadas raramente fazem história!

Se ser livre é ser vadia, somos todas vadias!

O caju é meu! Só chupa quem eu quiser!

Respeito dá tesão, machismo não!

Indecente é o seu sexismo!

Gatinhas de sutiã no centro da cidade. Bandeiras de arco-íris e grupos organizados, como as Mulheres Petistas Feministas. Palavras de ordem estampadas em cartazes, como “mulher bonita é mulher que luta” e “ei machista, meu orgasmo é uma delícia”, esta última uma variação da clássica “ei polícia, maconha é uma delícia”...

Infelizmente a sociedade não se choca com os números que mostram que a cada 5 minutos uma mulher jovem é vítima de violência no Brasil, mas se choca c/ a Marcha das Vadias”, protesta Lays Vanessa, uma das organizadoras. “É a violência que deve chocar, e não um movimento que busca a valorização e a liberdade da mulher.Luna Safira, 17 anos, filha do meu amigo Nino Karvan, também marchou. “Acredito que nossa cidade precisa quebrar os paradigmas que são impostos às mulheres.

O evento teve apoio de ONGs, SMTT, partidos políticos, e a greve dos professores da UFS garantiu a presença maciça de universitários. Se a Marcha ocorresse em outra hora que não às duas da tarde de uma sexta-feira, talvez atraísse mais mulheres independentes que estavam correndo atrás em pleno horário comercial de um dia útil da semana p/ pagar suas contas, como minha esposa Gil, empresária autônoma, ou Daniela Rodrigues, líder de uma banda de rock e sócia num restaurante vegano.

Acho super válido e queria ter ido, mas estava trabalhando”, lamenta Daniela, vocal e guitarra da Renegades of Punk. Nos anos 80, a hindu Chandra Talpade Moharty chamou o feminismo ocidental de ‘etnocêntrico’, e foi apoiada pelas ativistas negras Angela Davis e Alice Walker. Nos anos 2000, a Dani escolhe o caminho do meio. “Quando a coisa tem potencial político, pouco importa se é modinha ou não pra mim. Pelo menos começa a se debater algumas coisas como estupro e culpa.

A Slutwalk surgiu em 2011 no Canadá, após uma série de casos de estudantes abusadas na Universidade de Toronto. O sensível tira Michael Sanguinetti aconselhou então que as minas, p/ não serem estupradas, evitem se vestir como prostitutas. A reação do mulherio canadense foi tirar a roupa e ganhar as ruas. O movimento se espalhou pros EUA, Europa e América do Sul c/ a velocidade de um viral na internet. No mesmo ano chegou ao Brasa.

Nem santa nem vadia”, desfilou a escritora Solange De-Ré na primeira Marcha das Vadias brasileira, organizada por ela e Madô Lopez na av. Paulista. A tradução literal da expressão ‘Slutwalk’ segue a proposta original, de protestar contra a violência mas também contra os padrões estéticos e os bons costumes usando humor. Solange, mãe de uma menina, é modelo e noiva do vocalista do Defalla, Edu K. A radicalização da proposta a fez desistir da marcha este ano.

Eu e a Madô nos desligamos oficialmente da Marcha das Vadias SP, pois não concordamos em emprestar nosso nome a um movimento tomado por pessoas preconceituosas que vieram ao longo desse processo deturpando a imagem humanista que tentamos passar desde o começo. Não somos feministas ou machistas, somos pessoas! Acreditamos que ao separar os sexos dessa maneira, estamos também nos separando da paz entre nós mesmos, e assim dando abertura à falta de respeito mútua, a uma disputa de poder e razão desnecessários, e cultuando a intolerância.

Hoje não pega nada dizer a porra da buceta é minha”. As mulheres vêm conquistando no dia-a-dia o espaço que lhes é de direito e uma delas ocupa a Presidência da Repúblicae faz questão de ser chamada de presidenta

Mas em 1969 a frase transo de manhã, de tarde e de noite custou a Leila Diniz seu emprego na Globo. A morena bonita era a principal estrela de novela da emissora, só que pagou caro por estar à frente de seu tempo. Falava o que pensava, frequentou a praia grávida de biquini e tentou se reerguer como vedete. Uma noite teve o camarim invadido por um coronel apaixonado. Diante das negativas, o coroa quis saber qual era o preço dela:

- Escuta aqui, minha filha, você não dá pra todo mundo?

- Dou pra todo mundo, mas não dou pra qualquer um, respondeu Leila.

Quando Xuxa revelou na TV que foi abusada sexualmente por familiares, o número de ligações p/ o Disque 100 saltou pra 112.000 no domingo em que foi exibido o programa – que atingiu pico de audiência nesta temporada, 26 pontos no Ibope – , embora as ligações tenham voltado às habituais 80 mil nas semanas seguintes. A dançarina Sweetie Bird sofreu abuso na adolescência e se tornou uma pin-up de shows burlescos fora do padrão ‘magrinha’.

Quem sobrevive à violência sexual passa por um longo e doloroso processo de recuperação da autoestima e de afirmação de gênero”, diz Sweetie. Masculinizar a mulher não torna o mundo um lugar mais seguro. Eliminar a liberdade de vestir o que bem entender também não. Não é culpa do(a) atacante ser um(a) imbecil. Isso é culpa de uma sociedade sexista em que a expressão de gênero é uma cruz e não uma bandeira. Não foi culpa minha. Eu sobrevivi.

1º de junho de 2012, ninfetas marcham de lingerie em Aracaju. Um passo à frente e você não está mais no mesmo lugar.” A máxima do Chico Science desce redondo no contexto como uma cerveja antes do almoço

Apesar da ausência das profissionais do ramo, as ‘vadias’ estão de parabéns. Quem sabe o que algumas delas passaram p/ chegar até ali? Pintadas pra batalha, o clima era de carnaval, mas certas gurias que passearam – ou, se preferirem, protestaram – deixaram-se levar pelo calor do momento e lembravam mais o Mel Gibson em CORAÇÃO VALENTE do que guerreiras nativas ao natural.

Mulheres já vêm queimando suas roupas de baixo desde os anos 60, e as índias brasileiras são adeptas do topless desde antes de Cabral. Não é fácil se libertar dos próprios preconceitos, certo? 

Quase duas semanas após a Marcha das Vadias em Aracaju, o que mudou? As mulheres passaram a ser mais respeitadas no mercado de trabalho? Os homens que participaram da parada jogaram fora suas coleções de PLAYBOYEstupradores arrependeram-se de seus crimes e se entregaram p/ a polícia? Ou pelo menos pararam de praticá-los? O número de denúncias aumentou?

Em 2011, foram registrados quase 3000 B.O.s na Delegacia de Atendimento à Mulher e instaurados quase 1000 inquéritos. Este ano, a média tem sido de 10 mulheres sofrendo algum tipo de injúria a cada dia. 40% dos casos acontecem em casa – e o algoz é o pai, ou o padrasto, o tio, o marido... Não é só o abuso sexual, é também a agressão física, verbal, o assédio moral.

Digitando 'mulher' e 'Sergipe' no Google, os primeiros resultados que aparecem são:  Mulher procura homem”; Mulheres solteiras procurando namorado”; Tenho 27 anos, sou sincera, alegre”; Sou legal, tô muito solitária, quero um”... Melhor parar por aqui.

Mexeu com uma, mexeu com todas”, avisa o lema da Marcha das Vadias 2012, que já rolou em capitais como Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e, claro, São Paulo.

Viva La Brasa apóia esta causa. Mas vale lembrar que, assim como “uma andorinha só não faz verão”, marcha de um dia só não faz revolução.

VAI VADIAR*
FINALMENTE A CLASSE RESOLVEU SE UNIR
CIVILIZAÇÃO = LIBERDADE DE EXPRESSÃO
 GAROTAS MÁS VÃO PRA QUALQUER LUGAR
TROCA DE IDÉIA OU CONFLITO DE GERAÇÕES?
VÁRIOS MARMANJOS COLARAM NA FITA, NÉ
UM DOS REGISTROS MAIS BONITOS DA MARCHA
PROTESTO C/ MINITRIO E GAROTAS DE SUTIÃ
LUNA SAFIRA E OS 2 HOMENS DA SUA VIDA
O AMOR É IMPORTANTE, PORRA!

HOMENAGEM À PIONEIRA LEILA DINIZ [25/03/1945* - 14/06/1972+]
 
FOTOS:  Priscila Reis, Mariana Aragão, Luciano Otávio, Juliana Sobral, Arthuro Paganini, Arthur Soares, Adriano Torres Azevedo
*VEJA POST NO BLOG FOME DE TUDO