sábado, fevereiro 06, 2016

SOFRÊNCIA 
FOTO MANOELA VELOSO
“Um momento feliz inspirado na dor dos outros”, Alex Sant’Anna define seu novo disco: ENQUANTO ESPERA. 
Quando eu dirigia a TV pública local, Alex era o responsável pela FM na mesma fundação. O único da mesa diretora com quem eu bebia uma cerveja. Seu lado festeiro é bem conhecido com a Naurêa, banda de forró que tem 3 álbuns lançados, 3 EPs, 1 DVD, passagens por festivais como o Recbeat e turnês pela Europa - Inglaterra, Alemanha, Áustria, Eslovênia e Suíça.
Hoje é seu aniversário. Ontem ele abriu o carnaval em Aracaju no Rasgadinho, tocando versões sacanas pra velhas marchinhas. “A gente se diverte muito, o que acaba passando pro público e eles mandam de volta uma energia muito maior”, diz o folião.
Mas Alex não é só alegria. Sua vida não foi das mais fáceis. Passou parte da adolescência entrando e saindo de hospital, com Síndrome de Guillain Barré. Em 2006, seu grande parceiro de música Pablo Ruas morreu num acidente de moto. Recentemente teve que aprender a lidar com o vitiligo, e por sinal tá bem melhor.
Casado com a atriz e cantora Diane Veloso, compõe trilhas sonoras pras peças dela e canções pra Banda dos Corações Partidos. Melancolia e tristeza infinita também dão o tom nos seus trampos solo: Aplausos Mudos, Vaias Amplificadas (2002), Cansado (2010), Fragmentos (2012) e o mais recente.
Lançado em outubro, Enquanto Espera é uma crônica do tempo que a gente perde, da cobrança alheia e das expectativas frustradas. Alex reuniu um grupo afiado - Allen Alencar e Luiz Oliva nas guitarras, Rafael Findans no baixo, Betinho Caixa d’Água na percussão - e entregou a produção pro seu irmão Leo Airplane, tecladista/ guitarrista da Plástico Lunar e sanfoneiro multibandas.
“Leo sempre esteve ao meu lado em todas as gravações, mas nesse disco novo foi quando realmente assumiu um papel de produtor musical. A última opinião foi dele. As opções estéticas também.”
Falando em estética, é um belo disco. Projeto gráfico da Gabi Etinger - a mesma do meu livro - e sons que vão do frevo ao rock naquele clima de quarta-feira de cinzas.
Parabéns, Alex.
ALEX NO FESTIVAL ZONS
NAURÊA NO RASGADINHO 2016
NUMA TOUR PELA ALEMANHA